“Vingadores: Guerra Infinita” arrecada US$ 1,16 bi

Divulgação
“Vingadores: Guerra Infinita” bate recorde de bilheteria na estreia

Como esperado, “Vingadores: Guerra Infinita”, da Walt Disney, teve um pequeno aumento nas matinês de sábado e domingo. O segundo fim de semana do filme em cartaz arrecadou US$ 112,5 milhões, uma queda de 56,3% na comparação com a estreia recorde, que registrou US$ 258 milhões. É a segunda maior arrecadação em bilheteria de final de semana, atrás apenas de “Star Wars: O Despertar da Força” (US$ 149 milhões, impulsionado pela temporada de Natal), e ligeiramente maior do que “Pantera Negra” (US$ 111 milhões).

LEIA MAIS: “Vingadores: Guerra Infinita” quebra recorde

Ao ajustar a inflação, o resultado bruto do segundo fim de semana de “Vingadores: Guerra Infinita” é o 5º maior da história, perdendo apenas para “Homem-Aranha” (US$ 72 milhões em 2002 ou US$ 112,6 milhões ajustados pela inflação), “Os Vingadores” (US$ 103 milhões em 2012 e US$ 116,25 milhões ajustados), “Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros” (US$ 106,5 milhões em 2015 e US$ 118,35 milhões ajustados) e “Star Wars: O Despertar da Força” (US$ 157 milhões ajustados). A estatística meramente trivial e pouco orgulhosa para os nerds de bilheteria, diz que a nova produção da Walt Disney arrecadou US$ 145 milhões a menos em seu segundo fim de semana do que em seu fim de semana de estreia.

Então, sim, “Vingadores: Guerra Infinita” juntou-se ao clube de perdedores de US$ 100 milhões ou mais de bilheteria e caiu, em dinheiro bruto, mais do que qualquer outro filme (US$ 257,7 milhões menos US$ 112,5 milhões = US$ 145,2 milhões) – salvo “Star Wars: Os Últimos Jedi” (US$ 220 milhões menos US$ 71 milhões = US$ 149 milhões). A queda de 56% foi a segunda maior para qualquer estreia na casa dos US$ 200 milhões. Isso significa alguma coisa? Provavelmente não, mas isso não significou muito quando “Os Últimos Jedi” também deu um salto um pouco antes do Natal. De acordo com a última checagem, as pré-vendas de “Han Solo: Uma História Star Wars” ainda eram o dobro de “Pantera Negra” nas primeiras 48 horas.

O épico da Marvel “Homem-Formiga e a Vespa”, dos irmãos Russo, que arrecadou US$ 450,8 milhões em dez dias depois do lançamento, bem perto dos totais contabilizados em “Batman: O Cavaleiro da Trevas” (US$ 448 milhões em 2012) e “Vingadores: Era de Ultron” (US$ 458 milhões em 2015). Este é, facilmente, o segundo maior total arrecadado em 10 dias entre “O Despertar da Força” e o ápice de “Gonzo Bananas” de US$ 540 milhões. Como notado no início da semana, as circunstâncias por trás de “Star Wars: O Despertar da Força” são tão específicas (grande demanda, recorde de estreia, duas semanas depois de um feriado) que o filme deveria quase deixar de ser um ponto de comparação entre as grandes produções.

Entre as boas notícias está o fato de “Vingadores: Guerra Infinita” já ter ganho 1,75 vez o seu primeiro fim de semana, colocando-se no mesmo nível, em termos de pós-estreia, de “Os Vingadores” (1,79x), “Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros” (1,92x) e “Pantera Negra” (1,99x). E foi maior do que “Star Wars: Os Últimos Jedi” (1,67x). A diferença é que “Vingadores: Guerra Infinita” não terá um impulso de Natal e de Ano Novo ao longo de sua segunda semana útil (de segunda a quinta-feira). Então, não fique chocado se a produção começar a seguir “Star Wars: Os Últimos Jedi” em termos de números, pelo menos até o final do próximo fim de semana.

VEJA TAMBÉM: MTV: “Pantera Negra” tem mais indicações que “Vingadores”

Se “Vingadores: Guerra Infinita” tiver desempenho igual ao do “Homem de Ferro 3”, “Era de Ultron” ou “Guerra Civil” a partir deste ponto, sua arrecadação bruta ficará entre US$ 625 e US$ 665 milhões. Ainda não dá para garantir que vai ultrapassar “Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros” (US$ 652 milhões), da Universal/Comcast, ou “Titanic” (U$ 658 milhões), da Paramount/Viacom Inc., nos rankings norte-americanos. E teria que registrar uma arrecadação como a de “Pantera Negra” para ter uma chance de ultrapassar “Avatar” (US$ 760 milhões), da Fox – o que deixaria James Cameron chateado e faria com que ele empenhasse o dobro de seu potencial em um segundo episódio de “Avatar”.

“Velozes e Furiosos 5: Operação Rio”, que também estreou no último fim de semana de um mês de abril (2011), arrecadou US$ 677 milhões. Assim como “O Homem-Aranha: de Volta ao Lar” – e a maioria das comédias de Adam Sandler no final dos anos 1990 e início dos anos 2000 – o quinto filme da franquia das eletrizantes corridas de rua registrou uma queda gigantesca no segundo fim de semana depois da estreia, mas se estabilizou no mês seguinte. Considerando que a nova obra da Marvel tem mais duas semanas de tranquilidade antes de “Deadpool 2”, não seria uma má ideia apostar em US$ 670 milhões de arrecadação total.

Uma das variáveis em jogo é a total falta de competitividade em larga escala. A produção cinematográfica “Velozes e Furiosos 5” encarou “Thor”, “Missão Madrinha de Casamento”, “Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas” e “Se Beber, Não Case! Parte II” em seu primeiro mês. “Era de Ultron” enfrentou “A Escolha Perfeita 2” e “Mad Max: Estrada da Fúria”, enquanto “Homem de Ferro 3” enfrentou “O Grande Gatsby”, “Além da Escuridão – Star Trek” e “Velozes e Furiosos 6” nos primeiros 25 dias. “Vingadores: Guerra Infinita” não terá uma competição difícil até o próximo dia 21.

Fora da América do Norte, a produção tem batido recordes. Em apenas 11 dias, passou de US$ 1 bilhão, um dia mais rápido do que “O Despertar da Força”. Com um novo total no exterior de US$ 713 milhões, uma estreia recorde de US$ 17,9 milhões na Rússia e um novo ápice global de US$ 1,164 bilhão, o filme já ultrapassou “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge” (US$ 1,085 bilhão), “Capitão América: Guerra Civil” (US$ 1,153 bilhão) e “Minions” (US$ 1,59 bilhão) em direção a 15ª maior bilheteria bruta global de todos os tempos.

E TAMBÉM: 32 filmes que, como “Pantera Negra”, arrecadaram mais de US$ 1 bilhão em bilheteria

O filme tem lançamento marcado na China para sexta-feira (11), onde será trabalhado para atingir o atual recorde de US$ 13,5 milhões na tecnologia 4DX. “Vingadores: Guerra Infinita” arrecadou US$ 80,2 milhões somente com IMAX, incluindo US$ 40 milhões em salas IMAX norte-americanas. A produção foi inteiramente filmada com câmeras digitais IMAX.

Embora a produção não precise de uma grande arrecadação na China para ser um grande sucesso, pode ser que, de qualquer forma, ela registre grandes números. O filme poderia, facilmente, arrecadar US$ 200 milhões no maior mercado de cinema do mundo, já que “Era de Ultron” faturou US$ 240 milhões no país, enquanto “Capitão América: Guerra Civil” levantou US$ 190 milhões. “Deadpool 2” não tem, por enquanto, previsão de ser exibido nas salas de cinema chinesas (e, sendo uma comédia de ação obscena, talvez nunca entre em cartaz), enquanto “Solo, Uma História Star Wars” não deve ser um problema. Como já constatamos anteriormente, a China gosta tanto de “Star Wars” quanto os norte-americanos gostam de “The Monkey King”.

A especulação é de que é possível que “Vingadores: Guerra Infinita” tenha uma boa participação graças à falta de competição (além do fato de que as pessoas, claramente, gostam do filme) e termine o próximo domingo com US$ 535 milhões de arrecadação no mercado norte-americano e US$ 810 milhões no exterior (sem a China).

Supondo um fim de semana de estreia na China que arrecade entre US$ 95 milhões e US$ 155 milhões, “Vingadores: Guerra Infinita” pode terminar o seu terceiro fim de semana pouco acima dos US$ 1,519 bilhão, recorde da franquia. Ou pode levar mais tempo, como “Pantera Negra” que, no momento, passa dos US $ 700 milhões no mercado norte-americano.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).