Como falar para sua equipe que você cogita vender a empresa

iStock

Como e quando contar aos colaboradores são decisões extremamente pessoais (iStock)

O The Value Builder System trabalha com mais de 25.000 empreendedores para ajudá-los a melhorar o valor de suas empresas para quando chegar a hora de vendê-las. Ironicamente, a dúvida mais comum dos proprietários não tem nada a ver com o preço de seus negócios, mas sim com a maneira como devem comunicar a seus funcionários a venda da empresa.

VEJA TAMBÉM: 3 passos simples e efetivos para dominar negociações

Como e quando contar aos colaboradores são decisões extremamente pessoais. Envolvê-los no processo pode parecer ético, mas oferece enormes riscos: funcionários, temerosos com o futuro, podem procurar outros empregos; concorrentes podem se beneficiar da iminente transição e usar isso contra você; consumidores, até então leais, podem te substituir. Qualquer um desses efeitos, em meio às negociações, pode prejudicar a venda da empresa.

Dois grupos de funcionários

A recomendação é que você divida os funcionários em dois grupos. O primeiro deverá ser formado pelos líderes sêniores para quem você deve contar a notícia com o objetivo de fechar o negócio. A pessoa que vai comprar a sua empresa vai querer conversar com a sua equipe administrativa e essas são as pessoas que precisam saber o que está acontecendo. Consiga fazê-los concordar em manter o assunto em segredo e dê a eles algum incentivo financeiro para que o ajudem a fechar o negócio.

A recomendação é dividir os funcionários em dois grupos

O segundo grupo deve ser formado pelos funcionários de base, que só devem ser avisados quando o acordo já estiver mais definido. Isso pode até irritar certas pessoas e prejudicar algumas relações, mas é esse o preço que se paga em uma operação como essa.

Pode até soar maquiavélico, mas omitir a negociação dos funcionários juniores não é apenas bom para você, mas também para eles. Se você informar sua equipe inteira cada vez que aparecer uma chance de acordo, vai acabar desestabilizando a equipe, enchendo-a de dúvidas e incertezas.

Confidencialidade

Um exemplo de proprietários que, com dificuldade, fizeram isso de forma correta é o da dupla Lois e Ross Melbourne, responsáveis pela Acquire Solutions, uma desenvolvedora de software que ajudou grandes companhias a administrarem seus funcionários.

LEIA MAIS: Executivos aceitam salário menor em troca de mais benefícios, aponta pesquisa

Os Melbournes financiaram seu próprio negócio por 18 anos e, quando contabilizavam uma equipe de 85 pessoas, receberam uma oferta de uma companhia de capital de risco que envolve empresas de software na área de recursos humanos. A oferta representava dinheiro suficiente para a dupla se aposentar aos 40 anos de idade. Havia apenas um problema: como contar aos funcionários, considerados membros da família, que eles estavam vendendo o negócio?

A dupla de empreendedores decidiu, então, contar sobre a operação apenas para aqueles que realmente precisavam saber dela. Gerentes que participaram da negociação foram informados e juraram sigilo. O restante dos funcionários soube apenas quando o acordo estava selado. Lois Melbourne contou recentemente, durante uma entrevista, que viveu um conflito durante o processo de venda, já que estava acostumada a ser transparente com sua equipe. O estresse a levou às lágrimas quando finalmente contou aos funcionários que tinha vendido a empresa.

VEJA TAMBÉM: 6 sinais de que suas relações de trabalho não estão indo bem

Anos depois, os Melbournes reencontraram sua antiga equipe e constataram que não há ressentimentos – eles até foram convidados para o grupo privado de ex-funcionários da empresa do Facebook. Com o passar do tempo, os colaboradores superaram o choque inicial e perceberam que os Melbournes estavam fazendo o que precisava ser feito para manter a venda em sigilo.

Contar a sua equipe que você está pensando em vender a empresa pode parecer a decisão certa, mas, no final, mantê-la fora dessa situação pode ser a melhor coisa tanto para você quanto para seus funcionários.

Comentários
Topo