Quanto as 30 maiores empresas dos EUA pagam em impostos

Se o presidente Donald Trump e a liderança do partido republicano se juntarem para implementar uma reforma tributária no país, os acionistas das maiores empresas norte-americanas ganhariam dezenas de bilhões de dólares a mais em lucro por ano. E ainda teriam a oportunidade de repatriar um volume muito maior.

LEIA MAIS: Comissão Europeia condena Apple a pagar US$ 14,5 bilhões em impostos na Irlanda

As companhias localizadas em território norte-americano são alvo de uma das maiores alíquotas de impostos federais do mundo: 35%. Por isso, não é nenhuma surpresa que muitas delas tenham levado suas operações para outros países, com índices mais baixos, como a Irlanda, onde a taxação é de apenas 15%. Estima-se que, com essa manobra, as empresas tenham mais de US$ 2 trilhões em caixa fora dos Estados Unidos que não podem ser trazidos de volta para o país sem que o Tio Sam avance sobre eles.

Por outro lado, as empresas alegam que já pagam demais. No ano passado, o imposto de renda de pessoas jurídicas injetou US$ 444 bilhões no tesouro norte-americano. O valor é um quinto dos US$ 2,2 trilhões da receita fiscal total arrecadada pelo país – e mais do que o dobro do volume contabilizado em 2009, no auge da recessão.

LEIA TAMBÉM: Entenda a enrascada de mais de US$ 14 bilhões em impostos da Apple

E quem se beneficiaria com a reforma tributária para as empresas? Aquelas que mais pagam, é claro. Com a ajuda da entidade de pesquisas FactSet Research Systems, a editora de estatísticas de FORBES, Andrea Murphy, levantou a situação dos impostos nas maiores companhias norte-americanas – as 30 com receitas superiores a US$ 80 bilhões. Nos últimos 12 meses, essas empresas pagaram US$ 117 bilhões em imposto de renda – o que representa uma alíquota efetiva de 26,7%.

A maior pagadora é também a empresa mais rentável: a Apple desembolsou US$ 15,8 bilhões em imposto de renda diante de um resultado operacional de US$ 59 bilhões. Já a Microsoft, no ano fiscal encerrado em junho de 2016, registrou US$ 20,1 bilhões fora dos Estados Unidos e US$ 300 milhões em perdas no país. Só em imposto de renda, a empresa de Bill Gates pagou US$ 3,3 bilhões, uma alíquota efetiva de 16,5%. A Alphabet, a empresa-mãe do Google, registrou uma despesa com imposto de renda de US$ 4,7 bilhões, ou 19%. A “avoision” (palavra em inglês que mistura “avoid” e “evasion” e significa um arranjo financeiro que minimiza a responsabilidade tributária de tal forma que não fica claro se é uma evasão legal ou ilegal de impostos) continuará enquanto os rendimentos estrangeiros estiverem sujeitos a taxas mais baixas do que as domésticas.

E TAMBÉM: 35 países que mais pagam imposto de renda no mundo

Entre as 30 grandes empresas analisadas, há três que não registraram nenhuma nova despesa de imposto de renda em 2016. A General Electric, por exemplo, ganhou US$ 10 bilhões no ano passado, mas reportou um benefício fiscal de US$ 400 milhões – o que daria uma alíquota de -4,5% em 12 meses. As outras duas são Chevron e ExxonMobil.

Veja na galeria de fotos o quanto as 30 maiores empresas dos EUA pagam em impostos:

  • 1) Apple: US$ 15,8 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 217 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 59 bilhões

    Imposto de renda: US$ 15,8 bilhões

    Alíquota efetiva: 25,8%

  • 2) Wells Fargo: US$ 10 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 98 bilhões

    Lucro líquido: US$ 22 bilhões

    Imposto de renda: US$ 10 bilhões

    Alíquota efetiva: 31%

  • 3) JPMorgan Chase: US$ 9,8 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 103 bilhões

    Lucro líquido: US$ 24,2 bilhões

    Imposto de renda: US$ 9,8 bilhões

    Alíquota efetiva: 28,4%

  • 4) Berkshire Hathaway: US$ 9,2 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 223 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 36 bilhões

    Imposto de renda: US$ 9,2 bilhões

    Alíquota efetiva: 27,4%

  • 5) Verizon: US$ 7,4 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 126 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 27 bilhões

    Imposto de renda: US$ 7,4 bilhões

    Alíquota efetiva: 35,2%

  • 6) AT&T: US$ 6,5 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 164 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 25,5 bilhões

    Imposto de renda: US$ 6,5 bilhões

    Alíquota efetiva: 32,7%

  • 7) Bank of America: US$ 6,4 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 92 bilhões

    Lucro líquido: US$ 16,5 bilhões

    Imposto de renda: US$ 6,4 bilhões

    Alíquota efetiva: 27,9%

  • 7) Citigroup: US$ 6,4 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 84 bilhões

    Lucro líquido: US$ 15 bilhões

    Imposto de renda: US$ 6,4 bilhões

    Alíquota efetiva: 30%

  • 9) Walmart: US$ 6,2 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 485 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 22 bilhões

    Imposto de renda: US$ 6,2 bilhões

    Alíquota efetiva: 30,3%

  • 10) Comcast: US$ 5,3 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 80 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 17 bilhões

    Imposto de renda: US$ 5,3 bilhões

  • 11) UnitedHealth Group: US$ 4,9 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 185 bilhões

    Lucro líquido: US$ 7,2 bilhões

    Imposto de renda: US$ 4,9 bilhões

    Alíquota efetiva: 40,3%

  • 12) Alphabet: US$ 4,7 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 90 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 23 bilhões

    Imposto de renda: US$ 4,7 bilhões

    Alíquota efetiva: 19,3%

  • 13) Home Depot: US$ 4,5 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 95 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 13,4 bilhões

    Imposto de renda: US$ 4,5 bilhões

    Alíquota efetiva: 36%

  • 14) Microsoft: US$ 3,3 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 85 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 20,6 bilhões

    Imposto de renda: US$ 3,3 bilhões

    Alíquota efetiva: 16,5%

  • 14) CVS Health: US$ 3,3 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 180 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 10,7 bilhões

    Imposto de renda: US$ 3,3 bilhões

    Alíquota efetiva: 38,4%

  • 16) General Motors: US$ 2,4 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 166 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 10,5 bilhões

    Imposto de renda: US$ 2,4 bilhões

    Alíquota efetiva: 10,6%

  • 17) Ford Motor: US$ 2,2 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 152 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 3,7 bilhões

    Imposto de renda: US$ 2,2 bilhões

    Alíquota efetiva: 32,2%

  • 18) Anthem: US$ 2 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 85 bilhões

    Lucro líquido: US$ 2,5 bilhões

    Imposto de renda: US$ 2 bilhões

    Alíquota efetiva: 45,8%

  • 19) Amazon: US$ 1,4 bilhão

    Vendas em 2016: US$ 136 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 4,4 bilhões

    Imposto de renda: US$ 1,4 bilhão

    Alíquota efetiva: 37%

  • 20) Costco: US$ 1,3 bilhão

    Vendas em 2016: US$ 121 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 3,7 bilhões

    Imposto de renda: US$ 1,3 bilhão

    Alíquota efetiva: 34%

  • 21) WalGreens: US$ 1 bilhão

    Vendas em 2016: US$ 116 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 5,5 bilhões

    Imposto de renda: US$ 1 bilhão

    Alíquota efetiva: 19%

  • 21) Kroger: US$ 1 bilhão

    Vendas em 2016: US$ 115 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 3,4 bilhões

    Imposto de renda: US$ 1 bilhão

    Alíquota efetiva: 33%

  • 21) Express Scripts: US$ 1 bilhão

    Vendas em 2016: US$ 100 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 5 bilhões

    Imposto de renda: US$ 1 bilhão

    Alíquota efetiva: 23%

  • 24) Cardinal Health: US$ 800 milhões

    Vendas em 2016: US$ 127 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 2,4 bilhões

    Imposto de renda: US$ 800 milhões

    Alíquota efetiva: 38%

  • 25) McKesson: US$ 774 milhões

    Vendas em 2016: US$ 196 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 3,6 bilhões

    Imposto de renda: US$ 774 milhões

    Alíquota efetiva: 26,8%

  • 26) Boeing: US$ 700 milhões

    Vendas em 2016: US$ 95 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 5,5 bilhões

    Imposto de renda: US$ 673 milhões

    Alíquota efetiva: 12%

  • 27) AmerisourceBergen: US$ 620 milhões

    Vendas em 2016: US$ 148 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 1,7 bilhão

    Imposto de renda: US$ 620 milhões

    Alíquota efetiva: 31,6%

  • 28) ExxonMobil: – US$ 400 milhões

    Vendas em 2016: US$ 198 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 4,2 bilhões

    Imposto de renda (declarado): – US$ 400 milhões

    Imposto de renda pago (segundo o fluxo de caixa): US$ 4,2 bilhões

    Alíquota efetiva: -5,1%

  • 28) General Electric: – US$ 400 bilhões

    Vendas em 2016: US$ 120 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 10,2 bilhões

    Imposto de renda: – US$ 400 milhões

    Alíquota efetiva: – 4,5%

  • 30) Chevron: – US$ 1,7 bilhão

    Vendas em 2016: US$ 110 bilhões

    EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): – US$ 5,8 bilhões

    Imposto de renda: – US$ 1,7 bilhão

    Alíquota efetiva: N/A

1) Apple: US$ 15,8 bilhões

Vendas em 2016: US$ 217 bilhões

EBIT (lucro antes de encargos financeiros, pagamento de juros e impostos): US$ 59 bilhões

Imposto de renda: US$ 15,8 bilhões

Alíquota efetiva: 25,8%

Comentários
Topo