Negócios

Como o homem mais rico do Colorado ganhou US$ 5,5 bilhões em um ano

Com patrimônio de US$ 18,8 bilhões, Charles Ergen, de 64 anos, mantém sua posição de homem mais rico do Colorado. (GettyImages)

As assinaturas de televisão da norte-americana Dish Network caíram nos três últimos anos, mas o cofundador e CEO da empresa, Charles Ergen, não perdeu o sono por causa disso. Na verdade, ele nunca foi tão rico.

VEJA TAMBÉM: Os bilionários que estão por trás das marcas mais famosas do mundo em 2017

Com patrimônio de US$ 18,8 bilhões, Ergen, de 64 anos, mantém sua posição de homem mais rico do Colorado. Sua fortuna aumentou US$ 5,5 bilhões, ou 41%, em relação ao ano anterior, o maior incremento entre todos os bilionários do ranking FORBES deste ano. O patrimônio do empresário teve seu último pico em março de 2015, quando chegou a US$ 20,1 bilhões.

Desde 2008, a Dish Network investiu mais de US$ 20 bilhões em licenças de espectro wireless

As ações da Dish Network, que constituem 83% da fortuna de Ergen, registraram aumento de 22% nos últimos 12 meses. Neste meio tempo, as ações da fabricante de satélites Echostar Corporation, que forma os outros 17% do patrimônio do bilionário, subiram 60%.

Mas com a queda no volume de assinaturas e a redução de quase 4% na receita no primeiro trimestre de 2017, para US$ 3,68 bilhões, Wall Street tem confiado menos nos satélites de Ergen e mais em sua outra aposta: as licenças de espectro wireless.

Vendido e regulado pela Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos, o espectro wireless é, essencialmente, o caminho pelo qual as operadoras móveis, como a AT&T e a Verizon, transmitem os dados dos smartphones pelo ar. É licenciado pelo governo, uma que vez que duas operadoras não podem transmitir pelo mesmo local ao mesmo tempo, o que causaria uma interferência no serviço. Quanto mais as pessoas usam smartphones, mais dados – e licenças de espectro wireless – são necessários. No entanto, o número de licenças disponíveis é limitado.

LEIA MAIS: Conheça os 10 maiores bilionários do mundo ligados à tecnologia

“A razão de eu dormir à noite muito bem é que todas essas pessoas têm uma coisa em comum”, disse Ergen sobre o fato de muitas delas estarem abandonando as assinaturas dos serviços de satélite. “Elas precisam estar conectadas.”

Ergen parece ter um plano para conectá-las. Desde 2008, a Dish investiu mais de US$ 20 bilhões em licenças de espectro wireless. A publicação comercial “FierceWireless” reportou em maio que a companhia tem quase tanto espectro quanto a T-Mobile. Em novembro de 2016, um analista do J.P. Morgan declarou que a maior parte do valor da Dish Network está justamente nisso. Jonathan Chaplin, sócio do New Street Research, diz que o “portfólio formidável” de Ergen poderia valer US$ 80 bilhões – mais que o dobro do atual valor de mercado da Dish – caso fosse vendido. “Ele está sentado sobre cerca de 13% de Manhattan neste momento”, disse o especialista, de forma figurativa, sobre Ergen. “E em cada metro quadrado há um arranha céu.”

Ao longo do último ano, especulações de analistas e da mídia davam conta de que a T-Mobile ou a Verizon poderiam estar interessadas em comprar o espectro da Dish ou associar-se à ela. Recentemente, relatórios divulgados no fim de maio revelaram que a Amazon pode considerar uma parceria com a Dish para acessar seu espectro.

Apesar do valor crescente das ações, nem todo mundo em Wall Street é tão otimista em relação ao espectro. Tom Eagan, diretor administrativo do Telsey Advisory Group, considera a estocagem da Dish um risco. Um relatório de ganhos da Telsey de 1º de maio afirma que, se a Dish não for capaz de vender suas licenças nos próximos anos, a empresa pode ter de financiar a construção da rede wireless por conta própria, ou encarar a perda completa da propriedade. A Comissão Federal de Comunicações não permite que empresas detenham as licenças indefinidamente.

RANKING: 20 maiores bilionários do mundo em 2017

Em março, no entanto, a Dish enviou um relatório à Comissão para discutir sobre os planos de construir uma rede 5G mais rápida antes do fim do prazo de 2020 estabelecido pelo órgão. “Eu tentei fazer com que todo mundo construísse um satélite para nós. Nós estávamos lançando um DBS [satélite de transmissão direta] e ninguém queria fazê-lo, então entramos no negócio de satélites e o construímos por conta própria”, disse Ergen durante a divulgação do balanço da empresa.

Criado no estado norte-americano do Tennessee e ex-analista financeiro da Frito-Lay, Ergen não vê nos riscos nenhuma novidade. Ele é também um ex-jogador profissional, que já foi expulso de um cassino de Las Vegas por contar cartas. Mais tarde, mudou-se para o Colorado, onde, em 1980, ele e sua esposa Cantey começaram a vender antenas, que transportavam no baú de um caminhão, na área rural de Denver. “Parte de administrar é entender como você vai fazer as coisas e ser criativo ao fazê-las, provando que os céticos estavam errados.”

Comentários
Topo