Onde estão os empregos de TI mais bem remunerados

iStock
Os tomadores de decisão da área de TI, nos Estados Unidos, são os mais bem pagos do mundo

Foram divulgados recentemente os resultados da edição 2018 da pesquisa de salários da Global Knowledge, publicada há 11 anos, e que acabou se tornando um recurso indispensável para auxiliar recém-formados e experientes profissionais a definirem suas rotas na carreira. Fundada em 1995, a entidade treina, em média, 300 mil pessoas em mais de uma centena de países todos os anos, e aumentou seu escopo para incluir Europa, Oriente Médio e África, América Latina e Ásia-Pacífico. No total, 16.200 entrevistados completaram a pesquisa.

LEIA MAIS: Conheça o salário dos altos executivos de 18 empresas

Entre as conclusões do novo levantamento está a de que os tomadores de decisão da área de tecnologia da informação (TI), nos Estados Unidos, são os mais bem pagos do mundo, com salários anuais em torno de US$ 107.193. Seus pares canadenses ganham cerca de 26% a menos (US$ 78.788), enquanto na América Latina esse valor não passa de US$ 37.974. Na região da Europa, Oriente Médio e África (EMEA), a média de salários do decisores de TI é de US$ 60.309 e na Ásia-Pacífico de US$ 51.276.

Enquanto isso, os profissionais norte-americanos das equipes de TI (staff) recebem uma remuneração média de US$ 77.873 por ano – 36% mais do que a média global, de US$ 64.206. Nas demais regiões, os valores são os seguintes: US$ 55.460 (Canadá), US$ 45.892 (EMEA), US$ 32.151 (Ásia-Pacífico) e US$ 26.895 (América Latina).

Já os gerentes de TI ganham, em média, 42% a mais do que sua equipe. Na região da Ásia-Pacífico essa diferença é ainda maior: 60%. Profissionais da área com certificados recebem, em média, US$ 15.913 ou 22% a mais do que aqueles sem a certificação. Na região da Ásia-Pacífico, certificados podem podem aumentar salários anuais em 45%.

Variações regionais no custo de vida explicam a grande diversidade de salários em nível mundial, como ressalta bem a comparação entre as remunerações de 13 tomadores de decisão da área de TI. Além da discrepância entre os US$ 107.193 anuais dos norte-americanos e os US$ 15.203 dos africanos, o custo de vida, a infraestrutura pré-existente e a possibilidade do grande crescimento de mercados influenciam as médias salariais nas regiões.

O estudo também apontou que a Oceania – Austrália, Nova Zelândia e ilhas do Pacífico – tem a maior média salarial para as equipes de TI, US$ 86.689, por ser um grande eixo de terceirizações. A região também possui o maior salário combinado da área, US$ 92.016 – 8% maior do que nos Estados Unidos.

A maneira mais rápida para profissionais norte-americanos ganharem aumentos de dois dígitos – entre 13% e 19% – é procurar um novo empregador. O estudo concluiu que essa estratégia serve também para táticas alternativas na carreira. O profissional de TI permanece em um emprego no Vale do Silício, em média, de 24 a 26 meses. Em empresas de software baseado na nuvem essa permanência é de cerca de 19 meses. O normal na carreira, atualmente, são profissionais que percebem que são os CEOs de suas próprias carreiras e estão otimistas para procurar maiores salários e melhores posições. Ao mudar a mentalidade para administrar suas carreiras, os melhores e mais bem pagos técnicos continuam aumentando seus valores por meio de certificados e treinamentos, preparando-se para o próximo nível.

VEJA TAMBÉM: Conheça o salário dos cargos com maior demanda no Brasil

No geral, 40% dos profissionais que participaram da pesquisa receberam um aumento por performance. Ao assumirem mais responsabilidades nas empresas, aumentam seus salários, em média, em 11%, desde que esse aumento seja negociado e acordado como parte da nova função. Nos Estados Unidos, o índice de profissionais de TI (decisores e staff) que conseguiram um aumento foi de 72%, enquanto na região Ásia-Pacífico foi de 68%. Na sequência, vem Canadá (64%), EMEA (55%) e 52% (América Latina).

A média de aumento registrada pelo estudo foi a seguinte: 4% nos Estados Unidos para profissionais de TI no geral; 1% e 2% no Canadá (decisores e staff, respectivamente); 7% e 8% na América Latina (decisores e staff); 3% e 4% na Europa, Oriente Médio e África (decisores e staff); e 6% na Ásia-Pacífico (para ambas as categorias de profissionais).

O estudo observou, ainda, que 54% dos tomadores de decisões não estão aprovando gastos com treinamento. O compromisso e o investimento de uma empresa no aperfeiçoamento de seus colaboradores são alguns dos fatores avaliados em oportunidades de emprego, além de formar bons profissionais.

Especialização em segurança é a habilidade mais valiosa na área de TI atualmente, com salário médio global anual de US$ 81.564. Mais do que isso, a categoria é muito requisitada. 38% dos tomadores de decisões em todo o mundo afirmam que encontrar pessoas qualificadas em segurança é uma tarefa difícil. O salário médio para especialistas em segurança é de US$ 34.571 na América Latina, subindo para US$ 100.650 na América do Norte.

Já para os profissionais de computação em nuvem, a média global é de US$ 74.064. A América do Norte tem a maior média salarial: US$ 110.265. Em seguida, estão EMEA (US$ 70.584), US$ 37.067 (Ásia-Pacífico) e US$ 20.158 (América Latina).

E TAMBÉM: 12 países com os salários mais altos

Especialistas da área com certificação da Amazon Web Services (AWS) possuem os mais altos salários da América do Norte, uma média de US$ 113.261. Em nível global, a maior média salarial é destinada aos profissionais certificados nas áreas de arquitetura de negócios (US$ 87.863). Entre os certificados que mais rendem retorno financeiro estão, ainda, os das áreas de governança (média anual global de US$ 84.420), Amazon Web Services (US$ 84.108), gestão do conhecimento (US$ 82.823) e segurança e privacidade (US$ 82,652).

Profissionais que estão em funções de geração de receita com integradores de sistemas e Revendedores com Valor Agregado (VARs) têm o maior salário médio do mundo, com US$ 88.004 por ano. Na América do Norte, a média salarial subiu para US$ 114.828 no período pesquisado. Os trabalhadores do setor de Aeroespaço e Defesa (A&D) ganham, em média, US$ 86.646 (globalmente). Essa é a indústria que melhor remunera na região da Europa, Oriente Médio e África e Ásia-Pacífico. Profissionais de TI do segmento jurídico, de seguros e imóveis ganham um pouco menos: a média global anual é de US$ 84.108. Já nos setores farmacêutico, médico e biotécnico, a média salarial global da área de TI é de US$ 80.566.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).