Qual a pergunta capaz de revelar se um millennial é narcisista

iStock
Para descobrir se o candidato tem essa personalidade, o recrutador deve perguntar: “Você poderia me contar sobre um momento no qual duvidou de suas habilidades?”

De todas as acusações feitas contra os millenials, a mais grave e comum é que eles têm o direito de ser narcisistas. Agora, essas acusações estão seriamente exageradas (e, muitas vezes, completamente imprecisas). Mas, por enquanto, vamos imaginar que achamos que o rótulo “narcisista autorizado” se encaixa e que precisamos de uma maneira de avaliar os candidatos a emprego para garantir que os contratados não tenham essa personalidade. Isso é possível?

LEIA MAIS: 4 erros para evitar em uma entrevista de emprego

A verdade é que este não é um desafio novo. Com base na pesquisa “Hiring For Attitude”, sabemos que 46% dos novos funcionários falham nos primeiros 18 meses após a contratação. E, em 89% dos casos, as novas contratações não funcionam devido à atitude e não às habilidades, sendo a falta de capacidade de treinamento a principal razão pelas falhas. E isso é sinônimo de narcisismo.

Para descobrir se o candidato tem essa personalidade, o recrutador deve perguntar: “Você poderia me contar sobre um momento no qual duvidou de suas habilidades?”.

Essa pergunta tem três características de uma entrevista eficiente: é ilimitada, força o candidato a fornecer um exemplo específico e faz com que ele revele suas atitudes subjacentes.

Nesta pergunta em particular, você está obrigando o profissional a revelar se ele tem dúvidas sobre suas habilidades. Isso indica o nível de possibilidade de treinamento, já que uma pessoa não precisaria dele se nunca duvidou de sua competência. Ou seja, achar-se perfeito é o mesmo que ser narcisista. E você não está apenas forçando-os a revelar quaisquer dúvidas que tiveram – você também está testando para ver se eles conseguiram transformar essas dúvidas em qualquer tipo de melhoria e autocrescimento.

Quando a pergunta na entrevista é aberta, as respostas dos candidatos revelarão muito rapidamente sua capacidade de “adequação”. A seguir estão três respostas reais para a pergunta: “Você poderia me contar sobre uma época em que duvidou de suas habilidades?”. Nos três casos, os gerentes de contratação acharam que essas respostas indicavam falta de interesse em coaching e altos níveis de narcisismo.

VEJA TAMBÉM: 10 coisas essenciais em uma entrevista de emprego

Resposta 1

“Eu realmente não consigo pensar em um exemplo, mas me disseram que a confiança é um dos meus traços mais fortes. Mesmo durante o meu estágio, quando sugeri ao meu chefe que permitisse que eu me envolvesse mais no trabalho real em vez de ser apenas uma ‘secretária’ de baixo nível fazendo o trabalho pesado – uma ideia que ele imediatamente descartou. Mas eu não duvidei nem por um minuto das minhas habilidades. Meu chefe era uma figura totalmente autoritária, um microgestor e nada podia mudar para melhor. Foi uma loucura – ele me acusou de ser preguiçoso, mas ele é quem era preguiçoso. Ele não estava disposto. A questão era um problema de gestão, e não um problema comigo.”

Resposta 2

“É importante conhecer suas próprias forças e capacidades, mantendo-se sempre ao lado delas. Eu sei o meu valor como funcionário, então, no meu último emprego, eu discordei do meu chefe quando se tratava de questões como ficar na recepção da empresa. Quer dizer, eu não me importo de cobrir a secretária durante o almoço ou pausa ocasional, mas me pediram para fazer isso muitas vezes, só porque eu era novata, e eu sabia que era um mau uso das minhas habilidades e talentos. Então eu falei sobre isso com meu chefe. Ele não gostou muito, por isso estou aqui. Mas eu acho que preciso estar onde sou apreciada.”

Resposta 3

“Só porque alguém tem mais autoridade não significa que está certo e você está errado. Eu tinha um professor que mudou um curso em sala de aula para uma versão online, mas ainda o tratava como se fosse presencial. Ambos são diferentes e precisam ser executados de maneira diversa. Eu disse como achava que as coisas deveriam ser e que ele estava tornando o curso mais difícil para todos os alunos, mas ele não se importou. Alguém deveria ter duvidado de suas habilidades. Ele só esperava que fizéssemos isso da maneira que ele queria, então não havia solução para o problema. Eu nunca duvidei por um momento que estava certo. É importante manter-se firme em suas convicções.”

Observe como as três respostas indicam alguém que não tem dúvidas sobre suas habilidades. Mesmo que os candidatos possam estar totalmente errados, simplesmente não há abertura em nenhuma das respostas à possibilidade de que eles poderiam fazer melhor. Imagine o quão doloroso seria se você fosse o gerente tentando dar algum feedback construtivo a qualquer um desses candidatos? A confiança é grande, mas a autoconfiança delirante é um problema enorme.

Agora, observe duas outras respostas da vida real para a mesma pergunta que gerentes de contratação consideraram de pessoas com alta abertura de treinamento e baixos níveis de narcisismo.

Resposta 1

“Foi o meu primeiro emprego depois da faculdade e eu estava lá há pouco quando a equipe comercial foi encarregada de uma força-tarefa de vendas. Recebi uma lista de possíveis clientes para ligar. Chamei o primeiro nome e ele começou a fazer várias perguntas que eu não tinha certeza de como responder. Meu gerente não estava presente, então eu tive que dizer ao cliente que eu precisaria retornar a ligação com as respostas. Imediatamente, isso fez com que eu ficasse apreensivo sobre telefonar para o resto dos nomes da lista – minha confiança tinha sido definitivamente desafiada. O lado positivo desta história é que, com a ajuda do meu gerente e de alguns outros membros da equipe, me forcei a aprender, como se estivesse estudando para um teste, para entender o que eu não sabia. Foi uma experiência humilhante, mas me tornou um vendedor melhor.”

Resposta 2

“Eu tive uma ideia que parecia ser ótima para melhorar um determinado processo. Infelizmente, meu cliente não achou que fosse tão boa. Tentei defender meu plano, mas ele começou a criticar meu argumento e percebi então que ele estava certo. No início, senti que minha confiança estava se esgotando, o que é um sentimento terrível, e admito que meu ego também foi prejudicado. Mas continuamos conversando por mais de uma hora e, embora minha ideia inicial tenha sido rejeitada, isso nos permitiu chegar a uma potencial solução, nova e melhor do que a anterior, que acabou sendo implementada. Entendi que haverá momentos em que você não sabe tudo, ou está errado, e isso não é um problema, desde que permaneça aberto para explorar novas possibilidades e continuar aprendendo.”

Percebe-se que cada uma dessas respostas reflete dúvidas, mas também disposição para aprender a fim de eliminá-las.

Quando esses candidatos dizem que “foi uma experiência humilhante” ou “aprendi que haverá momentos em que você não sabe tudo”, eles estão lhe mostrando que não são narcisistas, aceitam coaching e estão bastante abertos ao aprendizado e feedbacks.

Portanto, embora muitas vezes seja injusto classificar uma geração inteira como narcisista, o fato é que é possível avaliar imediatamente se alguém se encaixa nesse rótulo. E tudo o que é preciso é uma questão simples durante a entrevista de emprego.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).