3 hábitos incomuns para aumentar a criatividade

iStock
O maior objetivo aqui é mostrar que a criatividade funciona de maneiras misteriosas

Ao pensar em maneiras de estimular sua criatividade, coisas comuns como fazer uma pausa, caminhar, ouvir música, ler citações e assistir a palestras do TED Talks provavelmente vêm à mente. Essas idéias são bem conhecidas e certamente funcionam para muitas pessoas.

LEIA MAIS: 8 dicas de liderança de Mick Jagger

Mas que tal fazer headstands ou cochilar segurando bolas de aço? Soa quase ridículo, não é? O célebre Thomas Edison praticou esta segunda técnica religiosamente. Se funcionou para ele, pode valer a pena tentar, certo?

O maior objetivo aqui é mostrar que a criatividade funciona de maneiras misteriosas. Você está pronto para um desafio?

Veja, na galeria de fotos abaixo, 3 métodos não convencionais de três mentes criativas famosas, usados para obter as melhores ideias:

  • Cochilar com bolas de aço em ambas as mãos
    Fato pouco conhecido sobre Thomas Edison: sempre que ele era desafiado por um problema difícil, cochilava em sua mesa ou em uma bancada de trabalho, segurando duas bolas de aço em ambas as mãos. Ele colocava uma placa de metal no chão, logo abaixo de suas mãos, e se preparava para entrar no que os cientistas chamam de hipnagogia, um estado de transição entre a vigília e o sono. Durante o cochilo, Edison largava as bolas de aço, que produziam um som alto quando batiam na placa de metal e o despertavam. Ele, então, pegava um bloco de notas e um lápis para anotar seus pensamentos durante o sono. Edison atribui muitos de seus insights a esse experimento.

    Funciona? Uma pesquisa sugere que a mente é “fluida e hiperassociativa” no estado hipnagógico, o que pode dar origem a idéias criativas.

  • Ficar de ponta-cabeça
    O compositor russo Igor Stravinsky ficou conhecido por praticar esta técnica. Ele se trancava em uma sala para trabalhar em suas composições diariamente e fazia headstands (posição comum no ioga, de ponta-cabeça, apoiado pelos braços, enquanto a cabeça repousa no chão) sempre que enfrentava um bloqueio criativo. Em suas palavras, fazer isso “descansava a cabeça e limpava o cérebro”.

    Funciona? Um dos benefícios do exercício é sua ligação com a criatividade. Além de suas habilidades de aliviar o estresse, focar a mente e melhorar a produtividade, o exercício pode melhorar as funções imaginativas do cérebro. Headstands, em particular, ajudam na circulação e na organização da mente.

  • Beber uma grande quantidade de café
    Isso deve ser mais fácil se você já é amante ou apreciador de café! Acredita-se que o famoso escritor Honoré de Balzac bebia 50 xícaras de café por dia (duas a três por hora) para estimular sua escrita. Ele acreditava que uma quantidade tão grande de café o levava a explosões criativas. “As idéias avançam rapidamente em movimento, como batalhões de um grande exército em seu lendário campo de batalha, que só se intensifica. Memórias surgem, assim como bandeiras brilhantes no alto; a cavalaria da metáfora se desdobra com um magnífico galope; a artilharia da lógica se apressa com carroças e cartuchos barulhentos; por ordens da imaginação, a visão pega fogo; formas e personagens aparecem; o papel é espalhado com tinta, pois o trabalho noturno começa e termina com torrentes dessa água negra, quando uma batalha se abre e termina com o fruto do pó preto”, escreveu.

    Funciona? O café, como sabemos, está ligado à concentração, que também pode levar ao aumento da produtividade e à geração de ideias.

Cochilar com bolas de aço em ambas as mãos
Fato pouco conhecido sobre Thomas Edison: sempre que ele era desafiado por um problema difícil, cochilava em sua mesa ou em uma bancada de trabalho, segurando duas bolas de aço em ambas as mãos. Ele colocava uma placa de metal no chão, logo abaixo de suas mãos, e se preparava para entrar no que os cientistas chamam de hipnagogia, um estado de transição entre a vigília e o sono. Durante o cochilo, Edison largava as bolas de aço, que produziam um som alto quando batiam na placa de metal e o despertavam. Ele, então, pegava um bloco de notas e um lápis para anotar seus pensamentos durante o sono. Edison atribui muitos de seus insights a esse experimento.

Funciona? Uma pesquisa sugere que a mente é “fluida e hiperassociativa” no estado hipnagógico, o que pode dar origem a idéias criativas.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).