Como seu posicionamento no Google impacta a sua carreira

Foto Reprodução Forbes
Combine sua marca on-line com quem você é de verdade. Gerenciar sua marca virtual não significa criar uma excelente presença on-line. Trata-se de ser autêntico, relevante e atraente, alinhado com o seu verdadeiro eu.

Pode se dizer que, ultimamente, as primeiras impressões já não são mais formadas pessoalmente. Elas começam na internet, mais especificamente ao dar um “Google” no nome da pessoa. E como sabemos que as primeiras impressões são as que ficam, gerenciar de maneira proativa sua identidade no site de busca é fundamental na construção de bons relacionamentos.

LEIA MAIS: Como escrever o título perfeito para o seu LinkedIn

Como vivemos em uma espécie de relacionamentos “econômicos”, a capacidade de moldar contatos fortes e autênticos a partir de interações iniciais é essencial para alcançar seus objetivos. Vamos compartilhar algumas maneiras de avaliação para sua identidade on-line e atitudes que você pode tomar para aprimorá-la.

Mas, antes de chegarmos a isso, precisamos cuidar de uma coisa importante: ser real no mundo virtual. Combine sua marca on-line com quem você é de verdade. Gerenciar sua marca virtual não significa criar uma excelente presença on-line. Trata-se de ser autêntico, relevante e atraente, alinhado com o seu verdadeiro eu.

Agora sim você está pronto. Para entender como sua marca virtual atual se parece, pesquise você mesmo. Isso é chamado de “egosurfing” ou “narcissurfing”, uma ação importante que você deve realizar regularmente – pelo menos uma vez ao mês. Enquanto você “egosurfa”, coloque o seu nome na janela de pesquisa do Google entre aspas, com o sobrenome. Em seguida, avalie seus resultados com base nas cinco medidas da marca on-line:

1. Volume: quantos resultados o Google exibiu? Se houver muitos resultados, você claramente tem algo a dizer;

2. Relevância: dê uma olhada nas três primeiras páginas de resultados e faça a si mesmo as seguintes perguntas: “Os resultados são consistentes com quem eu sou? E esses resultados ajudam a me posicionar para onde eu quero ir? ”(Lembre-se, a marca pessoal é sobre autenticidade combinada com a aspiração.);

3. Pureza: a pessoa que está realizando a pesquisa consegue determinar qual conteúdo é sobre você e outros que, com outras bases, pronunciaram o seu nome? Se você tem um nome comum, a busca pode se tornar muito confuda;

4. Diversidade: graças à Pesquisa Universal, seus resultados não estão mais restritos ao conteúdos baseados em texto. Analise seus resultados na primeira página para ver se há imagens e vídeos também;

5. Validação: dê uma olhada nas primeiras três páginas de resultados novamente e faça a si mesmo a seguinte pergunta: “Todos os resultados são sobre você falando de você mesmo ou há depoimentos, citações em publicações ou outros tipos de validação externa?”.

A partir das respostas às perguntas acima, você pode priorizar o que precisa fazer para levar seu perfil de onde ele está para onde você precisa que ele chegue.

SAIBA TAMBÉM: 7 dicas para otimizar seu perfil no LinkedIn

Uma ferramenta que pode ajudá-lo com todas as cinco medidas é o LinkedIn. Você provavelmente percebeu que seu perfil na rede social apareceu no topo da pesquisa. Para a maioria das pessoas, ele aparece em um dos três principais lugares – e isso é uma ótima notícia.

Sabemos que quando as pessoas estão tentando obter informações suas do ponto de vista profissional, elas geralmente começam pelo LinkedIn. E isso é valioso, uma vez que o seu perfil na plataforma fornece uma das melhores maneiras de exibir sua marca em bits e bytes. Mas, mesmo que as pessoas comecem com o Google, elas provavelmente acabarão no seu perfil do LinkedIn, devido à proximidade com o topo do ranking nos resultados.

Portanto, a melhor notícia é que, se você se concentrar no seu perfil do LinkedIn, provavelmente causará um grande impacto naqueles que estão fazendo procurando conhecer você. A seguir, veja as coisas mais importantes para se concentrar:

1. Tenha uma foto profissional com o seu rosto ocupando a maior parte do enquadramento;

2. Faça uma boa legenda ou um bom título. Vá além de apenas listar seu cargo e empresa – adicione algo que o torne interessante – como os resultados que você já obteve ou como você exerce seu trabalho. Use o limite máximo de 120 caracteres;

3. Use o “resumo” para contar sua história – não para refazer o conteúdo que você pode produzir na área da experiência. Esse resumo faz com que as pessoas se conectem com você em um nível emocional – então inclua coisas como seus valores, paixões e pontos fortes. E preste muita atenção às três primeiras linhas. Isso é tudo no qual as pessoas costumam se concentrar quando estão analisando você. Faça das suas palavras algo tão convincente a ponto de fazer com elas cliquem em “ver mais”;

4. Use o recurso de endosso para mostrar relevância. Certifique-se de que as três principais habilidades a receberem aval são aquelas pelas quais você deseja ser conhecido. Isso é o que todos vêem quando olham para o seu perfil. Eles precisam clicar em “ver mais” para obter a lista completa;

5. Certifique-se de que você tenha recomendações. Elas ajudam com a medida de validação. Esforce-se para obter pelo menos duas em sua função atual, e uma para todos os outros papéis que você listou na área de experiência;

6. Use a seção de experiência para se mostrar relevante. Certifique-se de usar as palavras-chave pelas quais você quer ser conhecido e aquelas relacionadas à função que você deseja exercer.

Sua marca on-line se tornou sua primeira impressão. É uma oportunidade de se conectar com os outros e começar um relacionamento positivo.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).