10 regras de ouro para construir uma marca pessoal

Criar uma marca pessoal pode ser uma tarefa assustadora, quase mítica. Uma das maneiras mais fáceis de se perder nesse processo é não saber por onde começar. Até mesmo Oprah Winfrey passou por várias tentativas de estilo quando apresentava um pequeno programa na televisão antes de definir sua voz como uma das marcas pessoais mais influentes do mundo.

LEIA MAIS: 3 dicas para construir uma marca pessoal forte

Tanto no cenário sociocultural quanto no mercado de trabalho, é útil e necessário destacar-se ao candidatar-se a um emprego ou ao iniciar a sua própria empresa. Uma marca pessoal é para (quase) todos.

Veja, na galeria de fotos abaixo, as 10 regras de ouro para criar uma marca pessoal envolvente, única e convidativa.

Uma marca pessoal é um projeto para a vida toda que evolui e muda constantemente. Até mesmo os especialistas que criam ou aprimoram as maiores marcas de negócio sabem que não há regras rígidas para a criação de uma marca pessoal. No entanto, essas diretrizes gerais ajudam a fornecer os primeiros passos, principalmente se você estiver começando agora.

Criar a marca pessoal certa não só o ajudará a ser reconhecido em seu campo e a trabalhar consistentemente, mas também poderá ser a diferença entre o “quem é você?” e o “obrigado por estar aqui” ao longo de sua carreira.

  • 1. Tenha um foco

    “Muitas pessoas não têm foco quando se trata de imprensa e mídia e tentam agradar a todos. Decida qual é a sua mensagem principal e continue com ela”, ensina Cooper Harris, fundador e CEO da plataforma de pagamentos Klickly. A marca pessoal da empresária passou por uma mudança dramática em sua vida – de atriz para uma respeitada empresária de tecnologia -, e ela lidou com essa mudança concentrando-se em uma mensagem de cada vez. Ter uma mensagem focada em seu público-alvo fará com que seja mais fácil criar conteúdo em torno de sua marca pessoal. Além disso, também é mais simples poder contar com a definição de outras pessoas sobre seu estilo.

    Ao aconselhar palestrantes, Adam Smiley Poswolsky, millennial especialista em locais de trabalho e autor do livro “The Breakthrough Speaker” (“O Interlocutor Inovador”, em tradução livre), vai além e diz: “Crie um nicho e, em seguida, crie um nicho dentro do seu nicho. As melhores marcas pessoais são muito específicas”. Já Juan Felipe Campos, vice-presidente de tecnologia e sócio da Manos Accelerator, dedica-se para concentrar seu negócio nas comunidades onde está o público-alvo. “Mantenha sua mensagem e conteúdo consistentes com um nicho para tornar-se memorável dentro de uma comunidade direcionada”, afirma. Quanto mais restrita e focada for sua marca, mais fácil será para as pessoas lembrarem quem você é. E quando chega a hora de contratar um palestrante ou um novo funcionário, sua marca será lembrada por eles.

  • 2. Seja genuíno

    Há uma maneira fácil de ter uma marca pessoal original – e ela passa por ser genuíno e autêntico. A influencer millennial e diretora de marketing da Popular Demand, Monica Lin, diz que as pessoas podem perceber quando uma atitude é desonesta. Quanto mais óbvio for a imitação de uma marca, mais o público vai perceber e reclamar. A marca pessoal de Monica vivenciou um crescimento enorme depois que ela começou a se envolver com o público de maneira mais significativa no Twitter.

    “Seja genuíno. Isso tornará muito mais fácil o gerenciamento da sua marca pessoal diariamente”, explica William Harris, especialista em anúncios do Facebook da Elumynt. Sua marca pessoal deve ser um simples filtro diário de criar conteúdo e alcançar seu público. Justin Wu, fundador da CoinState, diz: “Seja um mestre em seu ofício, qualificação ou indústria antes de começar uma marca pessoal. Assim, seu conteúdo ajudará a amplificar quem você é”. Quando construiu sua marca pessoal, ele conquistou a reputação de especialista em seu setor e, ao mesmo tempo, ampliou nas redes sociais a mesma notoriedade. Se você é muito habilidoso em uma área, sua reputação ajudará, por si só, a criar a marca que deseja.

  • 3. Conte uma história

    Se sua marca pessoal não está contando uma história, você já perdeu metade do seu público potencial. Allen Gannett, diretor de estratégia da Skyword e autor do livro “The Creative Curve” (“A Curva Criativa”, em tradução livre) explica melhor: “A estratégia mais eficaz para construir uma marca pessoal atualmente é ter uma narrativa verdadeira. Se monólogos já são chatos em Hollywood, são ainda mais entediantes para sua marca”. Ninguém quer ouvi-lo falar sobre sua marca no vácuo da mídia social, então crie uma história em torno dela com a qual seu público possa se envolver. Allen se reúne regularmente e conversa com as pessoas em aeroportos ao redor do mundo, desenvolvendo ainda mais sua marca pessoal calorosa e amigável.

    Uma das melhores maneiras de contar essa história é por meio de conteúdo escrito ou de vídeo. Para Pelpina Trip, estrategista de vídeo social, essa é definitivamente a melhor opção. Seu canal de vídeo no LinkedIn tem alguns dos níveis mais altos de engajamento em toda a plataforma. “A maneira mais pessoal de se comunicar na internet é por meio de vídeos. Basta usar o smartphone para enviar mensagens de vídeo aos seus clientes, estabelecer uma conexão pessoal com clientes em potencial e conectar-se a colegas de trabalho. Afinal, você sempre tem um smartphone com você.”

  • 4. Seja consistente

    Ser consistente é algo muito semelhante a ter um foco restrito. É muito mais fácil ser reconhecido se você criar conteúdo e uma voz de forma consistente. “Garanta que a promessa que você passa com a sua marca pessoal permaneça consistente, tanto online quanto offline”, explica Fyiona Yong, diretora e coach de liderança para millennials. Ela trabalha regularmente com essa geração em um contexto corporativo para ajudá-los a definir suas metas de trabalho mais conservadoras. “Você tem que demonstrar consistência em sua comunicação e aparência. Não subestime o prejuízo que pequenas inconsistências podem causar em sua marca pessoal.”

    Pensando pelo lado criativo, Cyrene Quiamco, uma das melhores contadoras de histórias do Snapchat, sugere que é necessário ter algo consistente na sua estética ou sua personalidade. “Algo único que as pessoas podem associar à sua marca e saber que é você. Por exemplo: um mascote ou um slogan – algo pelo qual as pessoas podem se apaixonar”, diz. A mascote de Quiamco, chamada Ele, conquistou milhões de visualizações no aplicativo, permitindo que sua divertida marca pessoal possa representar também grandes marcas como Walmart e DC Comics. Então, se você está criando uma marca divertida ou uma que seja um pouco mais conservadora, consistência é a chave.

  • 5. Esteja pronto para falhar

    O fracasso é difícil, e todos nós queremos evitá-lo – é da natureza humana. No entanto, para ter uma marca pessoal acima da média, você precisa ter uma falha. Walt Disney falou disso muitas vezes quando relembrou suas primeiras tentativas frustradas de criar uma marca de animação. “Acho importante falhar drasticamente quando você é jovem. Eu aprendi muito com isso, porque faz com que a gente perceba o que pode acontecer conosco. E o que pode acontecer nunca é tão assustador quanto não tentar nada”, afirmou.

    Quando Timothy Hoang, CEO da Stories By Tim, Inc., desenvolve os negócios de seus clientes influencers, ele gosta de dizer: “Você nunca conseguirá a melhor marca até que você falhe algumas vezes enquanto ultrapassa sua zona de conforto”. As melhores marcas sempre surgem de repetidas tentativas, erros e fracassos e não da perfeição instantânea.

  • 6. Crie um impacto positivo

    Depois de desenvolver sua marca pessoal, geralmente há duas maneiras de continuar a construí-la: conquistando outras pessoas e aumentando a comunidade em torno de sua marca. Jacob Shwirtz, diretor de parcerias sociais da WeWork, que já trabalhou com muitos influencers ao redor do mundo, incluindo a maquiadora Michelle Phan, compartilha essa dica.

    “Minha sugestão rápida sobre marca pessoal é lembrar que você é a sua marca. Não importa qual seja seu trabalho atual, em que projeto esteja trabalhando ou qual seja sua prioridade no momento, sempre tenha em mente o impacto que você deixa para os outros e lembre-se que tudo o que temos é a nossa própria reputação. E essa é a nossa marca. Então, seja incrível com outras pessoas.” Manter uma atitude positiva e ajudar os outros vai incrementar o desenvolvimento da sua marca a longo prazo.

  • 7. Siga um exemplo de sucesso

    “As pessoas interessadas em construir uma marca pessoal precisam começar a se promover, assim como fazem as celebridades e pessoas influentes que elas admiram”, explica Jason Wong, CEO da Wonghaus Ventures. A marca pessoal de Wong viralizou várias vezes na internet com temas como sorvetes no Japão, brinquedos infláveis ​​e memes, o que lhe valeu o título de “Rei dos Memes”. Seu sucesso geralmente vem do estudo de tendências e indivíduos populares nas diferentes plataformas de mídia social e da utilização dessas tendências com uma sacada inteligente. A dissecação criativa de uma análise social e o estabelecimento da próxima grande tendência também podem estar ao seu alcance, se você prestar atenção em todas as redes sociais e não simplesmente focar estritamente em uma delas.

  • 8. Viva sua marca

    Como mencionado anteriormente, o que pode tornar difícil construir uma marca pessoal é separá-la da sua vida. Embora tal caminho não seja impossível, é mais fácil criar uma marca pessoal em que a marca e seu estilo de vida sejam a mesma coisa.

    Tim Salau, construtor comunitário e fundador da Mentors & Mentees, que trabalha com estudantes universitários para ajudá-los a construir marcas, também acredita nesta ideia. “Sua marca pessoal deve segui-lo aonde quer que você vá. Ela precisa ser uma autêntica manifestação de quem você é e amplificar aquilo no que você acredita”, afirma. Com isso em mente, sua marca pessoal não é apenas um reflexo de uma série de funções como marketing, finanças ou criatividade, mas também ideais como retribuição, liderança ou orientação.

  • 9. Deixe que outras pessoas contem sua história

    A melhor forma de construir uma reputação é de boca em boca. Criar uma marca pessoal na esfera pública não é uma exceção a essa regra. Aaron Orendorff, editor-chefe do Shopify Plus, conta sua história pessoal com vídeos animados e, ocasionalmente, com a ajuda de um coelhinho co-apresentador para garantir que seu público se lembre disso. “Marca pessoal é a história que as pessoas contam sobre você quando você não está na sala”, afirma. Jessie Maltin, co-apresentadora do programa “Maltin On Movies”, trabalha com seu pai, renomado crítico de cinema Leonard Maltin, e o assistiu construir sua carreira nas últimas décadas. “Tudo o que você tem em sua vida é o seu nome e a reputação que você constrói.”

  • 10. Deixe um legado

    Depois de criar sua marca pessoal com uma reputação e uma comunidade por trás dela, o próximo passo é pensar no legado que você deixará. Quais são as palavras-chave e as ações pelas quais você deseja ser conhecido? Blake Jamieson, artista da Blake Jamieson LLC, que pinta retratos no estilo pop art de famosos heróis da tecnologia e do esporte, nos lembra: “Construir uma marca pessoal é muito maior do que construir um negócio. A única estratégia de saída é deixar um legado”.

1. Tenha um foco

“Muitas pessoas não têm foco quando se trata de imprensa e mídia e tentam agradar a todos. Decida qual é a sua mensagem principal e continue com ela”, ensina Cooper Harris, fundador e CEO da plataforma de pagamentos Klickly. A marca pessoal da empresária passou por uma mudança dramática em sua vida – de atriz para uma respeitada empresária de tecnologia -, e ela lidou com essa mudança concentrando-se em uma mensagem de cada vez. Ter uma mensagem focada em seu público-alvo fará com que seja mais fácil criar conteúdo em torno de sua marca pessoal. Além disso, também é mais simples poder contar com a definição de outras pessoas sobre seu estilo.

Ao aconselhar palestrantes, Adam Smiley Poswolsky, millennial especialista em locais de trabalho e autor do livro “The Breakthrough Speaker” (“O Interlocutor Inovador”, em tradução livre), vai além e diz: “Crie um nicho e, em seguida, crie um nicho dentro do seu nicho. As melhores marcas pessoais são muito específicas”. Já Juan Felipe Campos, vice-presidente de tecnologia e sócio da Manos Accelerator, dedica-se para concentrar seu negócio nas comunidades onde está o público-alvo. “Mantenha sua mensagem e conteúdo consistentes com um nicho para tornar-se memorável dentro de uma comunidade direcionada”, afirma. Quanto mais restrita e focada for sua marca, mais fácil será para as pessoas lembrarem quem você é. E quando chega a hora de contratar um palestrante ou um novo funcionário, sua marca será lembrada por eles.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).