4 dicas para trabalhar menos sem prejudicar a carreira

Segundo a Organização Internacional do Trabalho, os norte-americanos trabalham 137 horas por ano a mais do que os japoneses, 260 em relação aos britânicos e 499 horas a mais do que os franceses. E este comportamento pode afetar diretamente a vida dos funcionários.

VEJA TAMBÉM: 4 dicas para alavancar a carreira sem mudar de emprego

Inúmeros estudos mostram uma correlação entre o excesso de trabalho e doenças relacionadas ao estilo de vida, como depressão, diabetes tipo 2 e patologias cardíacas. E existem algumas desvantagens ao diminuir suas horas de trabalho.

As maiores preocupações com a redução das horas de trabalho são o crescimento limitado na carreira, diminuição de renda e o potencial de prejuízo na produção. No entanto, é possível limitar suas horas de trabalho sem lidar com esses contratempos.

FORBES conversou com Belma McCaffrey, fundadora da WorkBigger, uma organização que oferece às mulheres apoio para alcançar seus objetivos profissionais. Se ganhar mais do seu tempo para se concentrar em um estilo de vida feliz e saudável é uma prioridade para você, as dicas fornecidas aqui podem ajudar a fazer com que isso aconteça.

Veja na galeria de fotos a seguir, quatro dicas da especialista:

  • 1. Concentre-se na energia gasta, e não no tempo

    A primeira dica de Belma é se concentrar em sua energia, e não apenas em quanto tempo você trabalha. Por fim, se for possível direcionar seus esforços para produzir um trabalho que seja importante, o progresso estará garantido.

    “No modelo atual de 9h às 17h, estamos condicionados a sentar em nossas mesas e trabalhar mesmo que tenhamos pouca energia. Como resultado, avançamos o dia todo, mas não produzimos trabalhos to relevantes.”

    Concentrar sua energia em ser mais produtivo em menos tempo elimina fatores que diminuem sua velocidade, como muito barulho ou falta de ar fresco. Então, gaste seus esforços em tarefas que movam projetos e metas para frente. Segundo a especialista, isso pode significar que você precisa dizer “não” a outras atividades se achar que isso vai retardar seu progresso.

  • 2. Confie em seu valor e solicite melhorias em seu trabalho

    A segunda dica para reduzir as horas de expediente sem sacrificar sua carreira é acreditar no valor do seu trabalho e pedir o que você quer. Ao reconhecer seu papel e cobrar por isso, você eliminará as preocupações de crescimento. Belma explica o ponto chave deste processo:

    “É preciso se concentrar em quanto vale seu desempenho e entender claramente por que você é diferente. Isso permitirá negociar por si mesmo outra remuneração ou novas condições de trabalho.

    Após entender seu valor e saber o que deseja, é preciso estar totalmente preparado para defender seu ponto. Belma lista cinco etapas que podem ajudar com isso.

    1. Comece agradecendo e demonstrando gratidão antes de pedir qualquer coisa.

    2. Peça o que você quer, mas seja específico.

    3. Dê uma ou duas fortes razões pelas quais você merece que suas solicitações sejam atendidas, mas guarde outros motivos para mais tarde, em uma outra conversa.

    4. Prepare argumentos caso seu empregador faça jogo duro em relação ao seu pedido.

    5. Se você não chegar a um acordo satisfatório, peça mais tempo para considerar as opções.

    No passo 4, proponha ao seu empregador alguns cenários diferentes para obter o que você precisa, mas tenha em mente que pode ser mais fácil seu chefe recusar. Então, se você quer inicialmente uma redução de 40 a 30 horas por semana, esteja preparado para baixar a proposta.

    Nesse caso, sugira trabalhar 24 horas no escritório e 16 em casa ou 32 horas no escritório e 8 em casa. Personalize suas alternativas de forma a satisfazer você e a empresa.

  • 3. Explore outras opções

    A terceira dica de Belma é para o caso de seu empregador atual não reconhecer seu valor: talvez você deva explorar outras oportunidades. Uma alternativa é encontrar uma companhia que reconheça o trabalho dos funcionários ambiciosos e altamente produtivos e esteja disposta a negociar quando se trata de carga horária e salários.

    É evidente que novas oportunidades existem, pela crescente tendência do trabalho remoto. Segundo a Global Workplace Analytics, 4,3 milhões de norte-americanos hoje exercem suas profissões de casa na metade do tempo. É esperado que este número cresça exponencialmente.

    O trabalho remoto oferece flexibilidade e economia de tempo, devido à falta de deslocamento, menos interrupções e maior produtividade. Todas essas são boas razões, além de ser uma opção viável para pessoas que querem reduzir suas horas de trabalho.

  • 4. Supere suas próprias barreiras mentais

    Finalmente, ao pedir ao seu empregador um arranjo de trabalho diferente, a introversão e o medo da rejeição impedem o sucesso muitas pessoas. “Se você consegue ver a negociação como ela é, uma colaboração e oportunidade para compartilhar as necessidades, você pode enfrentá-la, conscientemente, com mais coragem”, diz Belma.

    A especialista também oferece conselhos para superar suas próprias barreiras internas, como se preocupar com o preconceito ou os julgamentos dos outros no escritório, para criar o estilo de vida de trabalho que você deseja. Comece por entender que a má aceitação por parte de colegas é uma infeliz parte da realidade profissional.

    No caso específico das mulheres, Belma diz que, a medida que mais e mais funcionárias desafiam o status quo, o local de trabalho é forçado a rever sua antiga cultura. “Na verdade, é sobre ter a coragem de fazer o que é mais importante para você, independentemente de qualquer desaprovação. Quanto mais as profissionais fizerem escolhas individuais ideais para elas, a mensagem enviada para as empresas será a de que, se a igualdade de gênero e diversidade não for garantida, a companhia pagará com seu lucro e crescimento.”

1. Concentre-se na energia gasta, e não no tempo

A primeira dica de Belma é se concentrar em sua energia, e não apenas em quanto tempo você trabalha. Por fim, se for possível direcionar seus esforços para produzir um trabalho que seja importante, o progresso estará garantido.

“No modelo atual de 9h às 17h, estamos condicionados a sentar em nossas mesas e trabalhar mesmo que tenhamos pouca energia. Como resultado, avançamos o dia todo, mas não produzimos trabalhos to relevantes.”

Concentrar sua energia em ser mais produtivo em menos tempo elimina fatores que diminuem sua velocidade, como muito barulho ou falta de ar fresco. Então, gaste seus esforços em tarefas que movam projetos e metas para frente. Segundo a especialista, isso pode significar que você precisa dizer “não” a outras atividades se achar que isso vai retardar seu progresso.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).