3 tipos de chefes que te deixam louco e como lidar com eles

Não seria ótimo trabalhar para um chefe competente, compreensivo e solidário? Infelizmente, isso nem sempre é uma realidade. Por conta da minha própria carreira corporativa, bem como das experiências de meus clientes de coaching, sei que ter o chefe perfeito é quase impossível. Por isso, é fundamental para o seu sucesso aprender a lidar com o chefe que você tem. Claro, você pode mudar de emprego, e isso pode ser necessário quando a situação é tão tóxica que não há solução. Mas você nunca sabe que tipo de novo chefe terá em seu próximo emprego. O melhor passo é tentar entender seu superior e aprender a lidar com a personalidade dele. Não há dúvidas. Às vezes, nossos chefes podem ser extremamente difíceis de lidar.

LEIA TAMBÉM: Por que millennials precisam de chefes que os apoiem

No início da minha carreira, eu tinha um chefe que era tão misógino e agressivo que me intimidava. Eu o evitei o máximo possível, mas sua personalidade era tão forte e abrasiva que eu sempre ficava em silêncio quando ele estava por perto. Eu não costumava o procurar e o deixava sem saber no que eu estava trabalhando, ou o que consegui ou deixei de conseguir. Evitá-lo não me fez bem. Quando uma promoção em potencial ficava disponível na minha área, por eu não ter nenhuma relação com ele, não era promovida nunca. Ele não sabia o meu valor e, por mais que eu trabalhasse duro, era esquecida.

A lição aqui é que não importa qual seja a personalidade de seu chefe, observe-os, descubra suas motivações, seus gatilhos e aprenda a trabalhar com eles de uma maneira que beneficie vocês dois.

No final do dia, você só pode controlar seu próprio comportamento. Não importa quão difícil seu chefe seja, as chances de ele não mudar são grandes. Ao longo de sua carreira, você terá muitos superiores diferentes, que irão apresentar uma variedade de desafios. Aprender a gerenciar esses diferentes tipos de chefes vai o ajudar a desenvolver seu próprio estilo de liderança e a ser bem-sucedido a longo prazo.

Perguntei a Vicky Oliver, autora de “Bad Bosses, Crazy Coworkers e Other Office Idiots” (Chefes Maus, Colegas Malucos e Outros Idiotas no Escritório”, em tradução livre), quais são os piores tipos de chefes, quais deixam os funcionários mais loucos.

Veja na galeria de fotos abaixo quais os 3 piores tipos de chefe que existem e como lidar com eles:

  • O chefe ausente

    Muitas vezes, o chefe ausente não pode ajudar pelo simples fato de estar sempre muito distante. Talvez esse tipo de chefe esteja tentando gerenciar vários escritórios diferentes, localizados em lugares distintos. Mas você precisa da aprovação dele em um projeto, uma luz verde para seguir em frente. O problema é que você não consegue encontrá-lo nunca. Você manda e-mail, deixa mensagens de voz, mas o chefe está em um avião ou a caminho de um aeroporto, e nunca tem tempo para você. E não há um sistema para lidar com suas ausências.

    Qual a saída

    Se o seu chefe não está disponível, às vezes, você só precisa deixar o bom senso o guiar. Pense no que seu chefe faria e faça o mesmo. Eventualmente, um tomador de decisão, seja seu chefe ou alguém em posição de autoridade, entrará em contato com você com um feedback. Se as suas decisões foram boas, o feedback será positivo. No entanto, mesmo o feedback negativo dá a você a chance de crescer e aprender. Tenha em mente que um chefe ausente precisa de pessoas abaixo dele que possam tomar boas decisões e agregar valor. Se você faz isso de forma consistente, uma promoção pode estar no seu futuro. Seja proativo.

  • O chefe misógino

    Ele faz o tipo valentão, principalmente para as mulheres. Grita e tem atitudes bizarras na frente de todos. Mesmo se apenas passando por perto, faz você se encolher. O assédio moral pode ocorrer pessoalmente ou via e-mail. De qualquer forma, você odeia trabalhar para essa pessoa e quer sair do seu emprego.

    Qual a saída

    Não perca a calma. Espere até que o mais recente episódio de intimidação tenha parado. Nunca desafie um valentão no meio de seu discurso agressivo. Em vez disso, espere por um momento tranquilo alguns dias após o incidente. Vá, então, até a sua sala, bata na porta e pergunte se você pode ter um momento para uma conversa. Conte o que aconteceu e como você se sentiu. Às vezes, apenas tomar consciência do comportamento pode ajudar a atenuar a ira de um valentão. Você não pode se esconder. Você precisa deixar a pessoa saber que se sente intimidada e menosprezada, e que não acha que aquele seja um comportamento profissional. Se o bullying ocorreu em um email de grupo, resista à tentação de disparar uma resposta imediata. Esfrie a cabeça. Afaste-se da tela. Escreva um email e o salve na sua pasta de rascunhos. Então, 24 horas depois, reescreva o email para que pareça o mais neutro possível. Defenda-se, mas tenha um tom profissional.

  • O chefe narcisista

    Os narcisistas encantam seus empregados, parecendo inicialmente se importar com o desenvolvimento deles. Gradualmente, no entanto, à medida que seus subordinados crescem, a verdadeira natureza do narcisista se manifesta. Eles parecem não valorizar mais nada daqueles funcionários. Eles dizem “não” com muita frequência e parece que estão prendendo as pessoas ao seu redor.

    Qual a saída

    Tente ser seu próprio motivador. Concentre-se em causar uma boa impressão nos outros. Talvez haja um movimento que você possa fazer para outra equipe ou departamento antes que seu chefe o atinja completamente. Dê-se tarefas extras. Ofereça-se para ajudar, talvez nas mídias sociais para a empresa ou em outra coisa com a qual você se identifique. Tente dar um upgrade em seu perfil para que os outros o descubram. Se você precisar sair do emprego, seja estratégico em planejar sua “rota de fuga”.

O chefe ausente

Muitas vezes, o chefe ausente não pode ajudar pelo simples fato de estar sempre muito distante. Talvez esse tipo de chefe esteja tentando gerenciar vários escritórios diferentes, localizados em lugares distintos. Mas você precisa da aprovação dele em um projeto, uma luz verde para seguir em frente. O problema é que você não consegue encontrá-lo nunca. Você manda e-mail, deixa mensagens de voz, mas o chefe está em um avião ou a caminho de um aeroporto, e nunca tem tempo para você. E não há um sistema para lidar com suas ausências.

Qual a saída

Se o seu chefe não está disponível, às vezes, você só precisa deixar o bom senso o guiar. Pense no que seu chefe faria e faça o mesmo. Eventualmente, um tomador de decisão, seja seu chefe ou alguém em posição de autoridade, entrará em contato com você com um feedback. Se as suas decisões foram boas, o feedback será positivo. No entanto, mesmo o feedback negativo dá a você a chance de crescer e aprender. Tenha em mente que um chefe ausente precisa de pessoas abaixo dele que possam tomar boas decisões e agregar valor. Se você faz isso de forma consistente, uma promoção pode estar no seu futuro. Seja proativo.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).