Tim Ferriss é o erro do mundo moderno: aprenda com ele

Jerod Harris / Stringer
Tim Ferriss é autor do best-seller ‘Trabalhe 4 Horas por Semana’, lançado no Brasil pelo selo Planeta Estratégia

No best-seller “4-Hour Work Week” (“Trabalhe 4 Horas por Semana”, lançado no Brasil pelo selo Planeta Estratégia), o empresário Tim Ferriss conta como se tornou campeão mundial de kickboxing enquanto se dedicava a construir sua empresa de nutracêuticos automatizados — e enquanto seus rivais de ringue se dedicavam a uma rotina extenuante de treinamento. Quando Ferriss decidiu que queria levar o título para casa, não viu por que sua falta de talento ou treino pudesse interferir.

LEIA TAMBÉM: 5 dicas para se tornar um CEO de sucesso

Ele pesquisou as regras do esporte e prestou atenção a um detalhe técnico: competidores que saem do círculo de combate três vezes são desqualificados. Ferris se concentrou, então, em uma maneira de contorcer o corpo e tirar os oponentes do círculo. Assim, distante de ser um bom lutador de kickboxing, Tim Ferris levou o título mundial. Nos dias de hoje, parece que é isso o que importa.

Para os praticantes de artes marciais mais tradicionais e sérios, o comportamento de Tim Ferriss não é menos que desonroso. Mas, felizmente para ele, a maioria das pessoas já não pensa assim. Na América do século 21, noções como honra e “jogo justo” são antiquadas, para ingênuos. As pessoas que chegam ao topo não são mais aquelas de grandes feitos, mas aquelas que descobrem a forma mais rápida e esperta de alcançar seus objetivos, por meio de atalhos e falsos truques.

Veja, na galeria abaixo, algumas dicas:

  • Concentre-se no resultado final

    Em algumas conversas, a maioria de nós pode dizer que admira pessoas bem sucedidas por seu trabalho árduo, hábitos positivos e princípios rígidos. Isso não é verdade. Não é preciso muito para descobrir uma grande desconexão entre o que a maioria de nós diz que respeita e a forma como de fato se comporta. Tim Ferriss entende isso bem. Siga seu exemplo. Tenha em mente que a única coisa que realmente importa à maioria das pessoas é o resultado final.

  • Preencha o vazio

    Outra coisa que Tim Ferriss entende melhor que a maioria é como a real utilidade de um conselho dado por alguém corresponde com a boa recepção que se dá ao portador do conselho. Ferriss não nenhum revolucionário, como muitos pensam. Seu maior talento é a capacidade de identificar o vazio na massa, e transmitir a impressão de que tem a fórmula para preencher essa falta.

    Ferriss percebeu que milhões de funcionários de colarinho branco que passam incontáveis horas em seus cubículos estão profundamente insatisfeitos. Ele defendeu, então, com, a ideia de que não havia razão para viver dessa maneira. Ferriss propôs se automatize a vida, e se viva uma vida plena e semi-aposentada por agora e para sempre.

    Se você pegar o número de leitores de “4-Hour Work Week” que alcançaram o sucesso prometido por Ferriss, verá que é um volume muito pequeno. No entanto, nada os impede de rever e reverter seus passos.

    Pince os trechos da proposta de Ferriss que se encaixam com o seu perfil. Busque atalhos para sobressair. Descubra o que está faltando na vida das pessoas. Você pode acreditar profundamente em tudo o que vende. Eu espero que faça isso. Se você for bom o suficiente, nunca mais terá um dia de trabalho honesto novamente.

Concentre-se no resultado final

Em algumas conversas, a maioria de nós pode dizer que admira pessoas bem sucedidas por seu trabalho árduo, hábitos positivos e princípios rígidos. Isso não é verdade. Não é preciso muito para descobrir uma grande desconexão entre o que a maioria de nós diz que respeita e a forma como de fato se comporta. Tim Ferriss entende isso bem. Siga seu exemplo. Tenha em mente que a única coisa que realmente importa à maioria das pessoas é o resultado final.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).