Como empregadores e funcionários podem gerenciar a ansiedade no trabalho

GettyImages
Na medida em que os casos de ansiedade aumentam entre adultos ano após ano, a patologia se torna um problema crescente.

De tempos em tempos, quase todos nós precisamos administrar sentimentos de ansiedade no local de trabalho. Apresentações importantes, decisões de alto impacto e conflitos interpessoais são gatilhos comuns para despertar aflições na vida profissional.

VEJA TAMBÉM: 5 maneiras de lutar contra o estresse e ansiedade

No entanto, para algumas pessoas, a ansiedade não é algo que acontece apenas quando as apostas são altas – é um estado de espírito que vem de forma consistente e rotineira. A saúde mental tem sido historicamente estigmatizada no ambiente corporativo e, como resultado, silencia aqueles que sofrem com a condição e não permite que levem seu verdadeiro eu ao local de trabalho.

Na medida em que os casos de ansiedade aumentam entre adultos ano após ano, a patologia se torna um problema crescente. Menos da metade dos norte-americanos com problemas de saúde mental diagnosticados receberam tratamento em um ano inteiro de estudo. Uma razão potencial para isso, além do estigma, é a falta de acesso a cuidados psicológicos de baixo ou nenhum custo nos Estados Unidos – e em vários outros países -, o que acaba criando barreiras de privilégio entre aqueles que podem se tratar e aqueles que continuam a lutar. Isso constrói um obstáculo socioeconômico para o sucesso no local de trabalho quando se trata de pessoas com transtornos de ansiedade não diagnosticados.

Além disso, as mulheres são duas vezes mais propensas que os homens a ter uma condição relacionada à ansiedade, e é mais comum que o desempenho profissional delas seja prejudicado como resultado. Com tanta atenção à falta do gênero feminino em papéis-chave de liderança nos negócios e na política, vale a pena examinar mais profundamente a conexão entre ansiedade e seu impacto no local de trabalho.

O lado positivo da ansiedade

Ansiedade pode fazer da pessoa um funcionário melhor de várias maneiras. Segundo a Dra. Alice Boyes, há certamente uma camada de proteção para controlar a ansiedade. Como os ansiosos lutam com a perda de controle, eles têm mais probabilidade de ter um plano B quando as coisas dão errado, acompanhar colegas quando as coisas não parecem certas e encarar com positividade resultados não muito expressivos porque esperavam o pior. Além disso, pesquisas descobriram que a ansiedade está positivamente correlacionada com a inteligência.

E AINDA: Como racionalizar a ansiedade e controlar o estresse

No entanto, as pessoas que lutam contra a ansiedade sabem como ela pode ser paralisante, ao ponto de afetar sua capacidade de pensar com clareza e de fazer seu melhor trabalho. A mesma condição que pode tornar alguém excepcionalmente eficaz também pode efetivamente estagnar seu desempenho. E mais: quase um em cada cinco adultos nos Estados Unidos lutam contra um distúrbio de ansiedade.

No final das contas, a ansiedade bem administrada pode impulsionar o sucesso profissional, da mesma forma que quando mal administrada pode prejudicá-lo. A conversa em torno da saúde mental no local de trabalho está evoluindo, mas essas mudanças levam tempo. Nesse ínterim, há muito que os empregadores e funcionários podem fazer para alinhar de forma eficiente a estratégia de talentos, de negócios e o bem-estar das pessoas envolvidas.

Veja, na galeria de imagens a seguir, 5 coisas que funcionários e empregadores podem fazer para lidar com a ansiedade no local de trabalho:

  • 5 coisas que os empregadores podem fazer

  • 1. Normalize problemas de saúde mental no local de trabalho

    Incentive a liderança a apoiar abertamente questões de saúde mental. Ofereça eventos e programas e permita que a pauta entre na narrativa cultural da empresa. Organize happy hours patrocinados pela empresa para tratar do assunto.

  • 2. Forneça e divulgue benefícios trabalhistas em prol da saúde

    A maioria dos planos médicos inclui algum nível de cobertura para a saúde mental, mas nem sempre isso é divulgado. Leve em consideração que o ROI (retorno do investimento) pode aumentar muito para complementar essa cobertura.

  • 3. Oriente os gerentes a utilizarem a equipe de recursos humanos

    O departamento é um importante parceiro estratégico em questões relacionadas à segurança psicológica no local de trabalho e deve ser percebido dessa forma.

  • 4. Incentive os funcionários a usarem o tempo livre para gerenciar o estresse

    Os dias voltados para saúde mental devem ser encarados com a mesma normalidade que o tempo usado para uma consulta no dentista, por exemplo. Um momento fora do estresse do trabalho para se concentrar no autocuidado é uma vitória para o negócio e para o funcionário.

  • 5. Seja flexível e aberto

    O que funciona em uma determinada empresa pode ser suficiente, mas outra companhia pode exigir mais. Um funcionário com ansiedade pode ser diferente de outro com a mesma condição. As empresas devem ser abertas e flexíveis com relação a como lidam com esses problemas.

  • 5 coisas que os funcionários podem fazer

  • 1. Entenda todos os benefícios e proteções disponíveis

    Muitas empresas oferecem programas de assistência ao funcionário que são subutilizados devido à falta de conhecimento ou medo de perder o anonimato. Ou, ainda, porque os profissionais temem divulgar questões por não entenderem as proteções oferecidas pela lei. Converse com um representante de recursos humanos de confiança ou passe algum tempo pesquisando isso sozinho. A ajuda profissional pode ser mais acessível do que você pensa.

  • 2. Considere usar um dia para cuidar da sua saúde mental

    Muitos locais de trabalho permitem o acúmulo de folgas remuneradas, mesmo que apenas por motivos de saúde. Passe esse dia em busca do que você precisa. Ele pode ser usado para procurar terapia ou para cuidar de sua saúde mental de outra maneira que funcione para você.

  • 3. Conheça seus gatilhos e crie um plano para quando eles acontecerem

    Relacionar-se com um colega de trabalho específico o coloca no modo pânico? Faça um plano para o que você fará antes, durante e depois de qualquer interação. Considere entrar sorrateiramente em um banheiro para uma meditação de dois minutos ou criar um mantra para o seu dia que o faça lembrar de um cenário mais amplo e de tudo de que você é capaz. Considere um ato de autocuidado como recompensa após um evento desencadeador, como um podcast de comédia ou uma aula de ioga.

  • 4. Encontre suporte externo

    Algumas empresas carecem de recursos, mas felizmente existem muitos meios gratuitos e de baixo custo disponíveis em organizações sem fins lucrativos. Faça uma busca no seu país e dedique um tempo a encontrar esses tipos de apoio.

  • 5. Encontre uma solução de gerenciamento de ansiedade a longo prazo

    Terapeutas são extremamente eficientes, mas costumam ser caros. Além do suporte profissional, considere grupos de apoio locais, a imensa variedade de ótimos livros e podcasts sobre o tema e esses tópicos e faça exercícios para reduzir a ansiedade.

5 coisas que os empregadores podem fazer

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).