Marchionne deixa Fiat Chrysler e Ferrari em meio à crise de saúde, dizem fontes

Getty Images
Marchionne, conhecido pelo resgate da Fiat e da Chrysler dafalência desde que assumiu o comando da montadora italiana em 2004, iria renunciar em abril

O chefe da Fiat Chrysler, Sergio Marchionne, deve ser substituído permanentemente no comando da montadora global, assim como da Ferrari, após sofrer sérias complicações decorrentes de uma cirurgia, afirmaram pessoas com o conhecimento do assunto neste sábado.

LEIA MAIS: Fiat Chrysler corta dívida além do esperado no 1º tri

Os conselhos da Fiat Chrysler (FCA), Ferrari e CNH Industrial, fabricante de caminhões e tratores que Marchionne também preside, estavam reunidos neste sábado e podem nomear os sucessores do executivo no mesmo dia, disseram duas fontes. Porta-vozes da FCA e da Ferrari não quiseram comentar.

Marchionne, conhecido pelo resgate da Fiat e da Chrysler dafalência desde que assumiu o comando da montadora italiana em 2004, iria renunciar em abril. Seu sucessor interno ainda tinha que ser nomeado. A FCA disse no início deste mês que Marchionne tinha passado por uma cirurgia no ombro e estava em recuperação. Mas o executivo de 66 anos sofreu complicações sérias, de acordo com as fontes.

O diretor financeiro do grupo, Richard Palmer, o chefe da Europa, Alfredo Altavilla, e o chefe da marca Jeep, Mike Manley, são frequentemente citados entre possíveis sucessores. Na montadora de luxo Ferrari, desmembrada pela FCA em 2016, o membro do conselho Louis Camilleri deve substituir Marchionne como presidente-executivo, apontou uma fonte. Marchionne já havia dito que planejava permanecer à frente da Ferrari até 2021.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).