Empreendedor transforma energia em criptomoedas

Matt Hawkins é fundador e CEO da Cudo, que lançou recentemente um novo produto de software batizado de Cudo Donate.

É difícil acreditar que, embora a maior parte do seu dia de trabalho seja gasto olhando para uma tela, na maioria das vezes seu computador está efetivamente inativo. Pensando nisso, um empreendedor criou uma maneira engenhosa de aproveitar a energia extra do PC.

LEIA MAIS: Fundação Gates faz doação milionária para o Brasil

Matt Hawkins é fundador e CEO da Cudo, que lançou recentemente um novo produto de software batizado de Cudo Donate. Ele transforma a energia antes desperdiçada em criptomoedas sem afetar a usabilidade ou o desempenho da máquina, gerando renda para o proprietário e, mais importante, para instituições de caridade. Esta inovação tem como objetivo levantar US$ 1,3 bilhão para caridade nos próximos cinco anos.

Antes da Cudo, Hawkins já havia criado a C4L, empresa de redes de data center do Reino Unido, vendida para investidores em 2016, antes de lançar várias outras iniciativas sempre relacionadas à tecnologia. Mas foi na C4L que ele percebeu, pela primeira vez, a enorme quantidade de capacidade desperdiçada nos computadores, servidores e plataformas de nuvem.

“Eu realmente queria fazer algo de bom com isso e, na verdade, ganhei um concurso HSBC Business Thinking para empreendedores em torno das ideias que eu tinha para o projeto, mas a tecnologia em 2011 não estava disponível, então se tornou um objetivo de longo prazo”, ele explica.

Hawkins começou a mexer com criptomoedas em 2013, mas estava ocupado demais administrando seus negócios para se envolver na iniciativa. Apenas quatro anos depois ele começou a explorar seu potencial a sério e, finalmente, teve a oportunidade de fazer bom uso de toda essa capacidade desperdiçada do computador.

“Eu baixei e testei todo o software que estava disponível, mas nada era adequado ou simples o suficiente para que qualquer pessoa pudesse usar. Então decidimos construir um nosso”, lembra.

VEJA TAMBÉM: Por que Buffett doou US$ 3,4 bilhões à caridade

Determinado a fazer o bem por meio de seus negócios, ele também realizou sua própria pesquisa sobre captação de recursos e encontrou a geração mais jovem entre os métodos tradicionais. “Esta foi a oportunidade de fazer uma versão de caridade do nosso software que fornece feedback interativo sobre os recursos captados, bem como uma maneira nova e mais interessante de angariar fundos que não envolva fornecer suas informações de cartão de crédito.”

O empreendimento não foi isento de desafios. Dois dos maiores eram a escassez das habilidades técnicas necessárias e a falta de informação sobre a melhor maneira de fazer as coisas. “Como há pouco conhecimento técnico e experiência disponíveis no Reino Unido, houve um nível de aprendizado de toda a equipe”, afirma Hawkins.

Outro grande desafio tem sido a queda no valor da criptomoeda. “Isso realmente tem sido uma coisa boa durante o desenvolvimento, já que nos fez focar nos aspectos mais importantes do software e no roteiro futuro para mitigar quaisquer riscos.”

Mas como funciona o Cudo Donate? Muitas pessoas possuem computadores que, durante grande parte do tempo, ficam inativos enquanto seus proprietários realizam tarefas rotineiras. “O software Cudo Donate fica silenciosamente em segundo plano no seu computador enquanto você está trabalhando. Quando você para, ele ganha vida e transforma qualquer poder de computador não utilizado em criptomoeda”, explica o empreendedor. “O sistema fica em segundo plano quando você precisa da energia do seu computador, garantindo que você sempre extraia a máxima potência dele.”

Um computador padrão moderno pode gerar até US$ 65 por mês, enquanto um PC mais potente poderia chegar a US$ 390. Ao instalar o software em mais de um dispositivo, pessoas interessadas em contribuir para causas de caridade pode gerar ainda muito mais.

“É um trabalho simples transformar a criptomoeda em moeda tradicional, como, por exemplo, dólares americanos ou libras esterlinas”, diz Hawkins.

O Cudo Donate está disponível para download gratuito no Windows, Linux e Mac, e já contribui para várias instituições de caridade, incluindo a Children’s Air Ambulance, a Warchild Canada e a SpecialEffect, com muitas outras a serem incluídas nas próximas semanas.

Os custos de instalação da empresa, incluindo o desenvolvimento do hardware inicial, estavam em torno de US$ 3 milhões. Sem fins lucrativos, o Cudo Donate cobra uma comissão para cobrir os custos de execução do serviço e para a compra de créditos de carbono que tornam o serviço 100% neutro. As taxas cobradas pelo uso do Cudo Miner, um produto de software comercial separado, geram os lucros da empresa.

Com planos de transferir o serviço para além das fronteiras, a equipe, atualmente composta por 16 pessoas, espera um crescimento rápido e números de receita saudáveis ​​para o próximo exercício financeiro.

“A Cudo é a primeira empresa do setor de mineração de criptomoedas a comprometer-se com a neutralidade de carbono e a construir um software dedicado a qualquer instituição de caridade para conseguir que seus apoiadores instalem e arrecadem dinheiro para sua causa”, diz Hawkins, que em seu tempo livre é mentor de empreendedores na Universidade de Bournemouth, na Inglaterra.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).