Parcerias: a força do PayPal no Brasil e no mundo

Divulgação
O PayPal investe tão ativamente em parcerias – e nas mais diversas áreas

Tecnologias recentes – desde inovações em mobilidade até big data e inteligência artificial – estão possibilitando experiências mais personalizadas em novos contextos. Em quase todos os mercados verticais e regionais, a tecnologia está criando pontos de contato mais adequados, seguros e atraentes entre empresas e clientes.

Por isso, o PayPal investe tão ativamente em parcerias – e nas mais diversas áreas. A missão global da companhia, criada em 1998 e presente no país desde 2011, é oferecer opções e flexibilidade para pagar ou receber pagamentos por produtos ou serviços, tendo como crença que o acesso a serviços financeiros cria oportunidades reais para todos.

Uber, 99, Cabify, Fácil (Bilhete Único), Arena do Grêmio, TAM, Azul, Gol, Ingresso.com, Livraria Cultura, Netshoes, Magazine Luiza, Via Varejo, shoppings Iguatemi, Shell, Claro e Vivo, entre muitas outras, são exemplos do sucesso dessa política global da companhia. E é assim também nos mais de 200 mercados em que a empresa atua: nos últimos 24 meses, o PayPal estabeleceu pelo menos duas dezenas de parcerias estratégicas em todas as latitudes (entre elas Apple Pay e Samsung Pay) e já é aceito em mais de 19,5 milhões de estabelecimentos no mundo inteiro. Também fez parcerias com importantes organizações do setor social, que hoje aceitam PayPal como meio de pagamento para doações. Com isso, a empresa aprende mais sobre seus clientes, parceiros, o setor como um todo e, sobretudo, sobre ela mesma.

O ponto em comum de todas essas parcerias? Transformar a experiência de compra de produtos e serviços em um processo fácil, rápido e, mais importante, transparente e seguro – e cada vez mais via mobile, seguindo uma tendência global.

Em muitos mercados, não se fala mais em mobile first, mas em mobile only. Porque a migração para o digital e o móvel tem criado oportunidades para todos. Pesquisa realizada pelo Ipsos em abril (e tabulada em maio deste ano), sob encomenda do PayPal, demonstra que devemos fechar 2018 com mais de R$ 56 bilhões em compras realizadas no Brasil via equipamentos móveis – cifra que deve bater os R$ 100 bilhões em 2020. O estudo revela também que, entre abril de 2017 e abril de 2018, 76% dos adultos fizeram compras online – por PC, notebook, smartphone –, adquirindo produtos e/ou serviços via internet. É a revolução a todo vapor!

Divulgação
Paula Paschoal, diretora-geral do PayPal Brasil

No caso dos aplicativos de mobilidade urbana, por exemplo, o ambiente mobile transformou completamente o relacionamento entre clientes e motoristas. “Há pouco mais de quatro anos, era praticamente impossível pegar um táxi em uma metrópole brasileira sem ter dinheiro vivo no bolso. Hoje, é impossível fazer o mesmo sem usar um app – e pagando online”, exemplifica Paula Paschoal, diretora-geral do PayPal Brasil.

A parceria com a Shell é outro bom exemplo de como o mobile vem mudando a forma de as pessoas gerenciarem sua vida financeira: por meio do app Shell Box, o cliente PayPal paga pelo abastecimento de seu carro sem nem mesmo abrir a janela. Basta inserir o código da bomba de combustível no aplicativo, e todo o resto é administrado pelo sistema PayPal via geolocalização. Já o acordo fechado com a Claro permite aos clientes PayPal no país carregar créditos no celular pré-pago por meio do app Claro pay – ou seja, sem ter de se preocupar em encontrar um posto autorizado e enfrentar filas. O mesmo acontece com a parceria que o PayPal firmou para venda online de créditos do Bilhete Único, possibilitando que seus clientes carreguem seu bilhete sem ter de pegar filas nos guichês e inserir notas ou o cartão de crédito nas máquinas automatizadas das estações de metrô.

Maximizar as oportunidades apresentadas pelos diversos segmentos de mercado e manter-se a par das necessidades do cliente (que podem mudar da noite para o dia) requerem um foco constante em adaptação e inovação. “Essas parcerias seguem nossa estratégia global, que é proporcionar comodidade e rapidez aos compradores e também uma maior conversão de vendas para os lojistas, usando ferramentas de dados, análise de risco e antifraude para oferecer experiências de compra seguras e convenientes online e via app”, diz Paula Paschoal, lembrando que a companhia trabalha no mundo todo para gerar inclusão digital, impulsionar o volume de comércio digital global e colaborar ainda mais para reduzir o risco para seus clientes.

É assim que o PayPal atua no planeta inteiro, sempre tendo o consumidor em primeiro lugar e democratizando os serviços financeiros. Levando-se em consideração as mais de 2,5 bilhões de pessoas ainda excluídas do sistema bancário (números do Banco Mundial), a estratégia faz todo o sentido.

* BrandVoice é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião da FORBES Brasil e de seus editores

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).