Bilionário mais jovem de África é raptado na Tanzânia

Reprodução
Mohammed Dewji

O bilionário mais jovem da África foi sequestrado por homens armados em Dar es Salaam, na Tanzânia, segundo as autoridades locais. Mohammed Dewji, 43, com uma fortuna avaliada em US$ 1,5 bilhão, foi levado quando entrava na academia de um hotel. Dewji é presidente do MeTL Group, multinacional presente em cerca de 10 países, em setores diversos como agricultura, transporte e alimentação.

SAIBA MAIS: Energia solar impulsiona a economia na África

“As informações iniciais indicam que ele foi sequestrado por homens brancos que ocupavam dois veículos”, disse o líder político de Dar es Salaam, Paul Makonda, que também se apressou em dizer que este é um tipo de incidente “novo” na região.

Outra autoridade, o chefe da polícia da cidade, Lazaro Mambosasa, afirmou em entrevista coletiva que os sequestradores “dispararam para o ar” antes de colocar Dewji em um carro, segundo a agência de notícias France-Presse. Ele disse que a polícia procurava por suspeitos e já havia efetuado algumas prisões.

Mohammed Dewji nasceu na Tanzânia e estudou na Universidade de Georgetown, em Washington DC. Por dez anos, de 2005 a 2015, atuou como parlamentar. Em 2013, ele se tornou o primeiro tanzaniano a estampar a capa da revista FORBES. Dois anos depois, foi eleito a “Pessoa Forbes da África”.

Classificado pela FORBES como o 17º bilionário da África, ele também é o principal acionista do clube de futebol Simba, sediado em Dar es Salaam. Dewji é casado e tem três filhos. Em 2016, assinou uma promessa de doar pelo menos metade de sua fortuna para causas filantrópicas.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).