Azim Premji, o magnata indiano da caridade: US$ 21 bi

Foro Reprodução Forbes
Premji, que já declarou ser inspirado por Mahatma Gandhi e pelo envolvimento de sua mãe com um hospital de caridade infantil de Mumbai, iniciou sua jornada filantrópica em 2001, quando montou sua fundação

O magnata indiano da tecnologia Azim Premji firmou sua posição como um dos bilionários mais generosos do mundo. O bilionário anunciou, no último dia 13 de março, ter doado US$ 21 bilhões para a Azim Premji Foundation, seu projeto beneficente de educação. A doação inclui uma fatia de 67% em seu provedor de TI, Wipro, no valor de US$ 15 bilhões, além de participações em negócios de consumo na Wipro Enterprises e PremjiInvest, seu escritório familiar.

LEIA MAIS: Os melhores designers de joias da Índia

Recentemente, Premji disse a FORBES que planejava aumentar suas doações, afirmando que “de quem muito recebeu, muito deve ser esperado”. Após o anúncio, a fortuna de Premji, antes avaliada em US$ 22,6 bilhões — montante que fazia dele o 36º bilionário do mundo –, diminuiu cerca de 80%, para US$ 4,4 bilhões. Junto com sua família, ele agora possui uma participação de 7% na Wipro.

“É um gesto incrível”, diz a bilionária da biotecnologia Kiran Mazumdar-Shaw, amiga íntimo de Premji e atual moradora de Bangalore. “Azim levou a filantropia indiana a outro patamar”, afirma Mazumdar-Shaw. A bilionária, que já doou um total de US$ 30 milhões, se comprometeu a doar mais. Assim como Premji, ela assinou o Giving Pledge e prometeu repassar 75% de sua riqueza.

Anu Aga, outra bilionária conhecida pelas ações de caridade, considera Premji “um exemplo para todos”, e diz que gostaria de ver mais pessoas seguindo seus passos.

De acordo com o Relatório de Filantropia da Índia de 2019, da Bain & Company, divulgado recentemente, por mais que o capital privado filantrópico tenha crescido 15% de 2014 a 2018, ainda está “abaixo do seu potencial”.

Premji, que já declarou ser inspirado por Mahatma Gandhi e pelo envolvimento de sua mãe com um hospital de caridade infantil de Mumbai, iniciou sua jornada filantrópica em 2001, quando montou sua fundação. Na época, as ações da Wipro valiam US$ 125 milhões. Seu mais recente presente deee ajudar a fundação a ampliar suas atividades, segundo a CEO, Anurag Behar, uma antiga funcionária da Wipro que assumiu o comando da instituição em 2010.

A Universidade Azim Premji, financiada pela fundação, conta hoje com 1.300 alunos, preparados para trabalhar sobretudo no setor social. Ela deve se expandir, ganhar um campus maior. Outro programa central da Azim Premji Foundation é seu apoio a mais de 200 mil escolas públicas de vários estados do país, que também deve ser ampliado. Embora a fundação não administre diretamente nenhuma das escolas, ela emprega uma força de 1.600 funcionários para ajudá-las a atualizar suas grades, treinar professores etc.

Em 2014, a fundação ampliou seu escopo ao começar a conceder doações plurianuais a organizações sem fins lucrativos, que combatem uma série de mazelas sociais, como violência doméstica, desnutrição em crianças e suicídio. Behar prevê multiplicar por cinco esse investimento nos próximos cinco anos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).