Organizações internacionais se unem por imprensa livre

Coalizão vai apontar e defender, a cada mês, 10 jornalistas sob maior ataque

Organizações de imprensa de todo o mundo anunciaram hoje (15) a criação de uma coalizão internacional em defesa de jornalistas que estejam sob ataque por fazer seu trabalho. A One Free Press Coalition será uma frente unida de editores e publishers proeminentes que usarão o alcance de suas plataformas editoriais e sociais para destacar, a cada mês, os dez jornalistas sob maior ameaça, não importa o país. A lista dos “10 Mais Urgentes”, além de apontar os nomes sob maior risco, vai indicar a necessidade de ação policial ou judicial em cada caso. A ideia é usar as vozes coletivas de seus membros — que atingem mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo — para “defender os jornalistas atacados por perseguir a verdade”. A iniciativa surgiu dentro do Conselho de Mídia do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

LEIA MAIS: Dissidentes foram espionados antes da morte de Khashoggi

Veja a primeira lista dos casos “10 Mais Urgentes”, publicada nesta manhã no site da coalizão. A lista não traz uma classificação:

. Maria Ressa, fundadora da “Rappler“, Filipinas
. o falecido Jamal Khashoggi, colunista do “Washington Post”, Arábia Saudita
Eman Al Nafjan, proeminente blogueira dos direitos da mulher, Arábia Saudita
. Wa Lone e Kyaw Soe Oo, Reuters, Mianmar
. Claudia Duque, veterana repórter investigativa, Colômbia
. Mohamed Cheikh Ould Mohamed, proeminente blogueiro, Mauritânia
. Anna Nimiriano, editora do “Juba Monitor”, Sudão do Sul
. Pelin Unker, Cumhuriyet, Turquia
. Thomas Awah Junior, correspondente da Afrik 2 Radio e editor da Aghem Messenger, Camarões
. Tran Thi Nga, proeminente blogueira de direitos humanos, Vietnã

 

Quem é a One Free Press

Os membros inaugurais da One Free Press Coalition que se comprometeram a usar suas plataformas para alertar o mundo sobre os jornalistas ameaçados incluem: a agência de notícias Associated Press, De Standaard, EURATIV, Financial Times, Forbes, HuffPost, Le Temps, Reuters, Süddesutsche Zeitung, Tempo e Yahoo News. Uma parceria entre a coalizão e o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) e a International Women’s Media Foundation (IWMF) vai ajudar a identificar os jornalistas mais ameaçados da lista, que será atualizada e publicada todo primeiro dia de cada mês.

“Com a One Free Press Coalition, estamos lançando uma luz duradoura de todos os cantos do mundo sobre nossos colegas jornalistas que estão sendo perseguidos, punidos ou assassinados na busca pela verdade”, diz Randall Lane, diretor de conteúdo da Forbes, ao introduzir a organização em uma reunião do International Media Council no World Economic Forum, outro parceiro da coalizão. “Entre os membros fundadores do grupo, há plataformas de notícias que juntas alcançam mais de 1 bilhão de pessoas. E incentivamos que outros veículos se unam a nós para defender aqueles cujas vozes foram ameaçadas, estão sendo silenciadas ou já foram caladas. Nosso alcance on-line e social somado sinalizará solidariedade para com nossos colegas e ao mesmo tempo dirá àqueles que ameaçam a liberdade de expressão que os estamos observando.”

Organizações de notícias de todo o mundo podem se juntar à coalizão, enviando um email para info@onefreepresscoalition.com. Os membros do público também são incentivados a participar da conversa, usando o #OneFreePress e seguindo os desenvolvimentos no Twitter @OneFreePress.

A seguir, citações de membros da One Free Press Coalition:

A Associated Press

“A AP aplaude e espera trabalhar com a One Free Press Coalition, desenvolvida pelo Conselho Internacional de Mídia em Davos, para chamar a atenção para a causa vital da comunicação sem assédio ou ameaça”, disse a vice-presidente sênior e executiva da AP, Sally Buzbee. “O jornalismo está sob ataque em todo o mundo. Acreditamos que os jornalistas devem ser autorizados a perseguir os fatos sem medo para o bem maior da sociedade e da democracia, e estamos felizes que a One Free Press Coalition se junte a nós nessa luta.”

De Standaard (Bélgica)

“Aqui em Bruxelas, no coração da Europa, nós, como jornal político, não toleramos violações à liberdade de imprensa”, disse Karel Verhoeven, editor-chefe do “De Standaard”. “Localmente, é uma luta branda, mas, mesmo aqui na Europa, a maré está mudando. A palavra deve permanecer livre. Depois de décadas de preocupação leve, esta se tornou a questão crucial do nosso tempo. Devemos falar em nome daqueles que publicam a palavra livre, crítica e investigadora e estão sendo punidos por ela, torturados, processados ​​e ameaçados. Devemos exercer nossa influência para que nossos leitores possam exercer a deles. Pois esta liberdade é um tesouro coletivo, a ser defendido por todos ”.

EURATIV

“EURACTIV, a rede de mídia para a Europa com foco nos assuntos da UE está feliz em se juntar à One Free Press Coalition”, disse o editor-gerente do EURACTIV, Zoran Radosavljevic. “Congratulamo-nos com esta iniciativa e estamos honrados em ser um participante ativo e um membro inaugural. É essencial garantir a liberdade dos meios de comunicação e o trabalho desimpedido dos jornalistas em todo o mundo.”

Forbes

A revista que edita este site, presente em diversos países do mundo. Leia a citação da Forbes mais acima.

Financial Times

“Na melhor das hipóteses, o jornalismo coloca questões emergentes no centro das atenções e expõe os erros cometidos por pessoas em posições de poder”, disse Peter Spiegel, editor de notícias do “Financial Times”. “Destacar o destino dos colegas repórteres que sofreram porque fizeram isso é crítico no ambiente internacional atual e um importante ato de jornalismo em si mesmo.”

HuffPost

“Nestes tempos turbulentos, o jornalismo independente é mais importante do que nunca. Manter o poder para prestar contas nunca foi tão importante, nem carregado de maiores riscos”, disse Lydia Polgreen, editora-chefe do HuffPost. “É por isso que a HuffPost se orgulha de apoiar a One Free Press Coalition para combater a intimidação, o assédio e a violência contra jornalistas em todo o mundo e apoiar o papel crucial que os jornalistas desempenham na defesa da liberdade.”

Le Temps

“A perda de nosso colega eslovaco Ján Kuciak (trabalhando no mesmo grupo, Ringier Axel Springer), assassinado no ano passado enquanto investigava corrupção, nos afetou profundamente”, disseram os co-editores do “Le Temps” no chefe Stéphane Benoit-Godet e Gael Hürlimann. “Após repetidas tensões em regiões onde a liberdade de imprensa parecia estar estabelecida, sentimos a necessidade de combater a censura e a repressão contra jornalistas em todo o mundo e apoiar os colegas que trabalham em ambientes difíceis.”

Reuters

“A Reuters está comprometida com os princípios do jornalismo justo, independente e imparcial e sentimos fortemente que uma imprensa livre é vital para qualquer democracia”, disse Stephen J. Adler, editor-chefe da agência de notícias. “Estamos ansiosos para trabalhar com a One Free Press Coalition na conscientização sobre a repressão de jornalistas – incluindo nossos próprios repórteres Wa Lone e Kyaw Soe Oo, que estão presos há mais de um ano em Mianmar – e destacam a importância da liberdade de imprensa em todo o mundo. ”

Süddesutsche Zeitung (Alemanha)

“A intimidação, a violência, o discurso incendiário contra jornalistas na tentativa de impedi-los de fazer o seu trabalho são questões cruciais para a nossa profissão nestes tempos”, disse Wolfgang Krach, editor-chefe do “Süddesutsche Zeitung”. “Como todos os dias vemos a importância de uma imprensa livre em todo o mundo e especialmente em países governados por regimes autoritários, estamos dispostos a assumir essa luta.”

Time

“A Time está orgulhosa de estar ao lado da One Free Press Coalition e de jornalistas de todo o mundo que estão correndo grandes riscos em busca da verdade”, disse o editor-chefe da Time e CEO, Edward Felsenthal.

Yahoo Notícias

“Como uma marca global de notícias, o Yahoo News está profundamente preocupado com o atual clima de medo e repressão que os jornalistas de todo o mundo enfrentam hoje”, disse Daniel Klaidman, editor-chefe do Yahoo News. “Estamos ansiosos para ingressar na One Free Press Coalition juntamente com outras marcas de mídia com a mesma opinião, assim como CPJ, IWMF e WEF para dar uma plataforma aos jornalistas sob ataque e lançar luz sobre seu importante trabalho.”

 

Os parceiros da coalizão

A seguir, citações de parceiros da One Free Press Coalition, do Comitê para a Proteção de Jornalistas e da International Women’s Media Foundation:

Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ)

“Jornalistas em todo o mundo enfrentam ameaças sem precedentes em meio a esforços globais para minar a liberdade de imprensa e a própria ideia de mídia independente. Jornalistas foram presos em frequência recorde nos últimos três anos e o índice de homicídios disparou recentemente”, disse o diretor executivo Joel Simon no Committee to Protect Journalists. “A One Free Press Coalition pode chamar a atenção vital para 10 casos que exigem justiça e prestação de contas, aumentando a conscientização sobre os riscos que os jornalistas assumem e, finalmente, aumentando a segurança.”

Fundação Internacional para as Mulheres da Mídia (IWMF)

“Todos os dias, milhares de jornalistas trabalham para esclarecer questões críticas, apesar de estarem sob ataque constante. Enfrentando a censura, a prisão e os danos físicos, esses jornalistas persistem para que o mundo possa testemunhar a verdade”, disse a diretora executiva da IWMF, Elisa Lees Muñoz. “A IWMF está orgulhosa de se juntar à One Free Press Coalition e chamar a atenção para os numerosos casos de injustiça enfrentados pelas mulheres jornalistas. Pedimos aos que estão no poder que parem de silenciar o discurso público; esses atos de censura não podem continuar impunes.”

One Free Press Coalition

Todos os meses, a One Free Press Coalition vai destacar os “10 Mais Urgentes” casos de ameaça a jornalistas, cuja liberdade de imprensa está em risco em todo o mundo. A coalizão usa as vozes coletivas de organizações jornalísticas participantes para destacar jornalistas corajosos cujas vozes estão sendo silenciadas ou já foram caladas por “defender jornalistas sob ataque por perseguirem a verdade”. Veja aqui na Forbes a lista dos “10 Mais Urgentes” todos os meses. Para ver uma lista completa de organizações de notícias participantes e parceiros de apoio, acesse https://www.onefreepresscoalition.com ou @OneFreePress no Twitter.

 

Contatos:

Forbes em nome da One Free Press Coalition: pr@forbes.com

CPJ: Bebe Santa-Wood, press@cpj.org

IWMF: Charlotte Fox, cfox@iwmf.org

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).