Compra do “Rocket League” deixa algumas dúvidas no ar

Divulgação
Desenvolvedora Psyonix foi adquirida pela Epic Games no último 1º de maio

Resumo:

  • “Rocket League” foi lançado em julho de 2015 para PC e PS4, mas hoje já está disponível em todas as plataformas;
  • Ainda não se sabe se o jogo será vendido exclusivamente na Epic Store e se deixará ou não o Steam;
  • As respostas da empresa ao fãs foram insatisfatórias, o que gerou comentários negativos nas páginas do game.

No primeiro dia de maio, a desenvolvedora do “Rocket League“, Psyonix, anunciou que fará parte da Epic Games, criadora de “Fortnite”, daqui alguns meses.

LEIA MAIS: Que conselhos dar às crianças que querem ser profissionais no eSports

O anúncio levantou mais perguntas do que respostas, e os fãs do jogo de carros ficaram, em um primeiro momento, pouco entusiasmados com a notícia. Fãs, profissionais do eSports e criadores de conteúdo responderam o tweet do anúncio expressando seu desdém pela aquisição e fazendo perguntas sérias sobre o que será do game. Os jogadores até reviram o “Rocket League” no Steam, e a aba do jogo foi invadida por comentários negativos.

A reação instintiva dos jogadores não foi aliviada pelo FAQ da Psyonix, que foi lançado com o anúncio. A empresa não respondeu a nada objetivamente. A Psyonix ainda teve de atualizar a página horas após o anúncio, para garantir aos fãs que eles ainda poderiam continuar a jogar o “Rocket League” na loja online Steam, já que a Epic possui a sua própria: “O ‘Rocket League’ continua disponível no Steam. Qualquer um que possua o jogo através do serviço ainda pode jogá-lo e pode esperar pelo suporte contínuo.”

Desde o anúncio, nós descobrimos através de uma entrevista da Epic para a “Variety” que o ‘Rocket League’ e todas as suas atualizações e futuros DLC continuarão disponíveis no Steam para aqueles que já possuem o jogo na plataforma. No entanto, ainda não está confirmado se o game se tornará exclusivo da Epic Store, embora seja altamente provável. Parece que as duas versões do jogo coexistirão no mercado de PCs em plataformas separadas, mas ambas as empresas não mencionam se os perfis e os inventários dos jogadores serão transferidos nem que tipo de mudanças no jogo eles podem esperar.

Pessoalmente, acredito que a mudança para a Epic Games é uma oportunidade incrível para o jogo, que irá impulsionar o seu desenvolvimento e a cena do eSports a níveis mais altos. A empresa não pode mudar a jogabilidade central que torna o “Rocket League” tão grande, e os jogadores devem esperar pelo aumento de recursos para atualizações no jogo e mais financiamento para a cena dos esportes eletrônicos.

VEJA TAMBÉM: Grandes marcas mergulham em torneios de videogames

Enquanto a esmagadora reação negativa dos fãs ao anúncio é um pouco dramática, a falta de comunicação objetiva sobre a aquisição frustrou até mesmo os fãs mais otimistas, que só querem saber o que esperar.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).