Mais da metade dos brasileiros joga games eletrônicos

Divulgação
Pesquisa revela que 66,3% da população brasileira se diverte com jogos

Resumo:

  • As mulheres são a maioria do público gamer, representando 53% dos jogadores;
  • Os smartphones são os dispositivos mais usados para jogar (83%), seguidos dos consoles (48,5%);
  • O Playstation 4 é o videogame predominante na casa dos gamers;
  • 60,3% dos entrevistados já ouviu falar de eSports e 48% jogam ou praticam a modalidade;
  • A maioria dos pais entrevistados (77,3%) gosta que os filhos joguem.

Realizada no mês de fevereiro com mais de cinco mil pessoas no território brasileiro, México, Argentina, Chile e Colômbia, a Pesquisa Game Brasil 2019, realizada pelo Sioux Group, Blend News Research e ESPM – por meio do Gamelab e Go Gamers, revelou que 66,3% dos brasileiros têm o hábito de jogar games eletrônicos, independentemente da plataforma, e 58,6% deles fazem desses jogos sua principal forma de entretenimento.

LEIA MAIS: Pesquisa revela perfil do gamer brasileiro

Ainda segundo o levantamento, 83% dos entrevistados jogam no celular, enquanto 48,5% usam também os consoles e 42,3% os notebooks. Quanto à preferência, os smartphones aparecem com 45,3%, seguido por videogames (26,5%) e computadores (12,8%).

Pelo quarto ano consecutivo, as mulheres são maioria entre os gamers, representando 53% da população. No que diz respeito à faixa etária, a maioria dos jogadores está entre 25 e 54 anos, sendo 61,9% da população entrevistada. Lucas Pestalozzi, presidente da Blend New Research, explica que crianças e adolescentes nascidos a partir dos anos 1980, que cresceram cercados por jogos digitais, estão hoje nessa faixa etária

Na pesquisa, há um destaque para dois perfis dos gamers, o “hardcore” e o “casual”. Mauro Berimbau, professor e coordenador do Gamelab na ESPM, diz que o conceito da palavra não foi definido para os entrevistados, de maneira que eles próprios se enquadrassem nas categorias.

Os resultados mostraram que os “hardcore gamers” são, majoritariamente, homens (58,9%) entre 25 e 34 anos (41,3%), que jogam mais nos consoles. Já os “casual gamers” são mais representados pelas mulheres (58,8%) entre 25 e 34 anos (35,9%) que preferem o celular.

Mobile

O sistema operacional mais usado nos dispositivos móveis é o Android, com 79,9%; seguido do iOS (16,4%) e do Windows (2,2%). Já a marca com maior presença foi a Samsung, com 45,8%. Na sequência aparecem Motorola (29,3%) e Apple (18,1%).

Jogos de estratégia são os mais jogados nos dispositivos móveis. 43% dos entrevistados afirmaram “não jogar muito nem pouco” e “jogar muito” o gênero. Mesmo que a ideia de mobile esteja associada a jogar em qualquer lugar, 89,9% dos entrevistados disseram que o principal momento de consumo de games no celular é dentro de casa. A opção “em deslocamento ou no trânsito” apareceu em 4,7% das respostas.

Consoles

No que diz respeito às preferências por videogames, 37,6% dos entrevistados possuem um Playstation 4. Na sequência estão o Xbox 360 (32,8%), o Playstation 2 (23,7%), o Playstation 3 (23,3%) e o Xbox One (19,2%).

Vale ressaltar que os consoles de gerações anteriores ainda são mais presentes entre os brasileiros, mesmo com anúncios de um novo Xbox Project Scarlett para 2020 e também do Playstation 5.

Os gêneros mais jogados são os de ação, com 44,4%, e de esportes, com 39,5%.

Entre os entrevistados que têm um console, 50,1% usam o aparelho apenas para jogar, enquanto 43,6 % o utilizam também para ouvir música e assistir a filmes e séries.

Computadores

Laptops e notebooks convencionais são os mais usados pelos jogadores (50,1%), seguidos dos desktops (40,5%), desktops gamer personalizados (17,3%), notebooks gamer (14,2%). Mesmo com menor presença, 36,6% dos entrevistados descreveram o desktop gamer personalizado como a plataforma que oferece a melhor experiência para jogos.

A Samsung (26,5%) e a Dell (22,6%) estão entre as marcas de computador que os usuários mais possuem. Ambas também são apontadas como as melhores para jogar, embora a norte-americana apareço na frente da coreana.

Nos computadores, os gêneros mais jogados são de estratégia (35,9%), ação (32,8%) e atirador/shooter (30,3%). 91,6% dos jogadores se dedicam à atividade quando estão em casa.

eSports

A maioria dos entrevistados – 60,3% – já ouviu falar dos esportes eletrônicos. Deste total, 48% jogam ou praticam a modalidade, 39,1% não se aventuram e 12,9% pretendem jogar. Apenas 20,6% das pessoas que responderam à pesquisa já participaram de algum campeonato na modalidade. Desse total, 49,8% já ganharam dinheiro com a atividade.

No consumo de conteúdo, 20,7% acompanham diariamente notícias da área. A maioria (30,3%) acompanha raramente e 27,2% dedica um dia na semana para assistir ou se informar sobre o tema.

VEJA TAMBÉM: Mercado de jogos de tabuleiro ganha espaço no Brasil

Pais e filhos

Entre os filhos de pais entrevistados, 84% costumam jogar games eletrônicos. Desse total, 73,4% são meninos e 47,6% meninas. A maioria dos pais entrevistados (63%) gostam que os filhos joguem, mas com ressalvas, e 24,3% são totalmente a favor. Pais totalmente contra a prática representam apenas 1,1% dos entrevistados. Aqueles que não gostam da proximidade dos filhos com os jogos, mas os permitem, compõem outros 11,6%. Os pais que jogam com os filhos são maioria: 68,2%.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).