Jack Ma sai da presidência do Alibaba; conheça a trajetória do bilionário

Resumo:

Reprodução/Forbes
Jack Ma renunciou hoje (10) ao cargo de presidência da gigante Alibaba, a qual fundou há 20 anos
  • Jack Ma renuncia hoje (10) ao cargo da presidência da gigante empresa de comércio eletrônico Alibaba, que ele fundou há 20 anos;
  • Apesar da aposentadoria, Ma diz que continuará servindo em algumas funções consultivas e pretende se focar em negócios para melhorar a educação por meio da filantropia;
  • Ele se une a magnatas como Bill Gates e Steve Jobs, que foram notícia quando se aposentaram.

Hoje, Jack Ma renuncia oficialmente como presidente da Alibaba, a gigante empresa de comércio eletrônico que ele fundou há 20 anos. A data de sua demissão coincide curiosamente com outro dia importante, seu 55º aniversário.

VEJA MAIS: Alibaba terá grande desafio após saída de Jack Ma da presidência

Ma implementou um plano de sucessão de modo a passar o bastão para a próxima geração que inclui o CEO Daniel Zhang e o CFO Maggie Wu.

“Tendo sido treinado como professor, sinto-me extremamente orgulhoso do que consegui. Os professores sempre querem que seus alunos os excedam, então, a coisa responsável a ser feita por mim e pela empresa é permitir que pessoas mais jovens e mais talentosas assumam funções de liderança, de modo que herdem nossa missão ‘de facilitar os negócios em qualquer lugar’”, declarou o empresário em sua carta de demissão no 19º aniversário da Alibaba.

Apesar da renúncia, Ma diz que continuará servindo em algumas funções consultivas.

Seu próximo passo será ser pivô de negócios para melhorar a educação por meio da filantropia, seguindo os passos de Bill Gates, um companheiro pioneiro em inovação tecnológica. O antigo CEO da Alibaba prefere se apropriar dos ganhos que obteve com a empresa para mudar positivamente o sistema educacional na China, ao invés de entregá-lo a investidores ou bancos.

“Quanto a mim, ainda tenho muitos sonhos a seguir. Quem me conhece sabe que não gosto de ficar ocioso. Eu também quero voltar à educação, que me empolga, porque é isso que eu amo fazer. O mundo é grande e eu ainda sou jovem, então, quero experimentar coisas novas, até porque, novos sonhos podem ser realizados”, diz Ma sobre seu futuro.

Seu entusiasmo em compartilhar conhecimento foi claramente evidenciado em um debate recente com o CEO da Tesla, Elon Musk. A conversa informal abrangeu inteligência artificial, viagens espaciais, vida em outros planetas, saúde, o futuro do trabalho e outros tópicos significativos. Ma estava animado e parecia que um peso havia sido tirado de seus ombro; o professor nele brilhava. A discussão pareceu ser uma prévia do próximo capítulo de sua vida.

VEJA TAMBÉM: Jack Ma vira alvo por defender jornada de 12 horas

Ma teve uma vida humilde na infância e juventude, na China comunista. Ele frequentemente conta às pessoas como falhou duas vezes nos exames de admissão na universidade e foi rejeitado em todos os empregos para os quais se candidatou após os estudos, incluindo a cadeia de fast-food KFC.

O executivo representa a típica história sobre o caminho da miséria à riqueza. Após muitos contratempos, o empresário, ao lado de uma equipe de 18 pessoas e US$ 60 mil, fundou o Alibaba, na cidade de Hangzhou, em 1999. Depois de apenas 20 anos, a companhia, que é dominante no comércio eletrônico e uma das maiores varejistas e do mundo possui mais de 101 mil funcionários e um valor de mercado de aproximadamente US$ 420 bilhões. Quanto ao patrimônio líquido do antigo CEO, o valor é estimado em mais de US$ 40 bilhões.

Ma era visto como um sopro de ar fresco na cultura empresarial chinesa tradicionalmente conservadora. Ele cultivou sua persona como um embaixador irreverente da empresa e realizou até mesmo algumas estrepolias, como uma dança inspirada em Michael Jackson em uma festa de aniversário da Alibaba e atuou em seu próprio filme de kung fu, “Gong Shou Dao”.

O empresário foi criticado por suas opiniões sobre a prática controversa conhecida como “996”. Esse número refere-se à crença de Ma de que todos na empresa devem trabalhar das 9h às 21h, seis dias por semana. Em um casamento em massa de 102 casais na sede de sua empresa, ele pediu que sua equipe de recém-casados fizesse “maratonas sexuais” por seis dias. “No trabalho, enfatizamos o espírito do 996. Na vida, devemos seguir o 669”, disse ele.

Há especulações de que a aposentadoria de Ma se deva à tensão com o Partido Comunista Chinês, como resultado de seu poder e influência, ao lado do escrutínio do governo pelas empresas de tecnologia e o rígido controle sobre as companhias privadas. O “Washington Post” informou que empresários chineses de destaque têm mais chances de serem investigados ou presos em comparação com aqueles que evitam a cobertura da mídia. Ma disse a um grupo de professores rurais em 2016: “Acho que entre os homens mais ricos da China, poucos têm bons finais”.

Empresário astuto, ele sabe quando sair de cena como vencedor, herói popular e exemplo brilhante do que as pessoas podem realizar.

Veja, na galeria de imagens a seguir, outras quatro personalidades que obtiveram destaque quando saíram do cargo de CEO de grandes empresas:

  • Steve Jobs

    Empresa em que atuava como CEO: Apple
    Data de saída do cargo: 24 de agosto de 2011
    Nacionalidade: São Francisco, Califórnia, EUA
    Morreu aos 56 anos

  • Bill Gates

    Empresa em que atuava como CEO: Microsoft
    Data de saída do cargo: 27 julho de 2008
    Nacionalidade: Seattle, Washington, EUA
    Idade: 63 anos

  • Jack Welch

    Empresa em que atuava como CEO: General Electric
    Data de saída do cargo: 7 de setembro de 2001
    Nacionalidade: Peabody, Massachusetts, EUA
    Idade: 83 anos

  • Edward Whitacre Jr.

    Empresa em que atuava como CEO: AT&T e General Motors
    Data de saída do cargo: 4 de junho de 2007 (AT&T) e 1 de setembro de 2010 (GM)
    Nacionalidade: Ennis, Texas, EUA
    Idade: 77 anos

Steve Jobs

Empresa em que atuava como CEO: Apple
Data de saída do cargo: 24 de agosto de 2011
Nacionalidade: São Francisco, Califórnia, EUA
Morreu aos 56 anos

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).