25 melhores produtores de Barolo

O Barolo é considerado um dos grandes e mais distintos vinhos tintos do mundo, fato que se deve a dois principais fatores. O primeiro deles é que a bebida é feita inteiramente de Nebbiolo, uma variedade de uva que se desenvolve melhor na região do Piemonte, de onde é nativa. Em segundo lugar, é um dos poucos vinhos que podem ser mencionados em uma discussão séria sobre terroir – palavra sem tradução que significa a mais íntima relação entre o solo e o micro-clima, que concebe o nascimento de um tipo de uva que expressa livremente sua qualidade, tipicidade e identidade em um grande vinho, sem que ninguém consiga explicar o porquê – tal como acontece com o Grand Cru Burgundy.

VEJA TAMBÉM: Os melhores champanhes e vinhos espumantes de 2018

Os exemplos de Barolo de Serralunga d’Alba e Monforte d’Alba, de solos mais antigos, têm um caráter muito diferente dos de Verduno ou La Morra, onde as almas mais jovens estão presentes. Na verdade, mesmo em La Morra existem grandes variações entre os rótulos de vinhedos próximos da cidade e aqueles produzidos no distrito Annunziata, a oeste – e isso se levarmos em consideração apenas os solos e o clima, sem contar as várias práticas enológicas entre produtores.

Em viagens para a zona produtiva de Barolo desde 2001, para percorrer e fotografar muitas das mais famosas vinhas de produtores renomados, acabei me apaixonando por este vinho, que tornou-se o ponto focal dos meus estudos sobre a bebida. Provei mais de 3 mil tipos diferentes de Barolo na última década e escrevi mais de uma dúzia de artigos sobre o assunto, bem como um livro sobre os rótulos e alimentos da região.

Seria possível listar mais de 100 marcas diferentes, mas isso seria mais adequado para um livro totalmente dedicado ao tema. Por isso, classifiquei 25 produtores e adicionei uma lista de menções honrosas a outros 25. Ainda assim é preciso omitir alguns produtores de primeira categoria – evidência da altíssima qualidade da bebida.

Essa lista de produtores não foi elaborada em formato de ranking por um motivo simples: isso seria inútil. Como você determina que minha seleção de número 14 é melhor que a de número 15? Por que o Barolo número 3 melhor do que o 4 e assim por diante? Por este motivo, a classificação será em ordem alfabética. Qualquer um listado entre os 25 melhores produtores de Barolo é excepcional.

E AINDA: Por que você precisa visitar a região vinícola de Barolo, na Itália

Para começar este artigo darei uma atenção especial a uma adega. Este produtor, na minha opinião, é o melhor de todos os produtores de Barolo. Eu raramente identifico um como o melhor em uma região, mas sinto isso fortemente neste caso. Sei que uma grande parcela dos amantes do Barolo concordará comigo. E chega de mistério: o melhor produtor de Barolo é Bartolo Mascarello.

O homem era uma verdadeira lenda, um vinicultor com princípios inabaláveis ​​sobre o que a bebida deveria ser. No caso, isso significava misturar uvas de diferentes comunas (Barolo e La Morra), prolongar a maceração entre 30 e 50 dias e envelhecer o vinho em barris grandes, conhecidos como grandi botti. Na verdade, Mascarello, que criou vários rótulos em seus últimos anos, desenvolveu um especial que dizia “No Barriques, No Berlusconi” como prova de sua antipatia por pequenos barris e por um dos políticos mais notórios da Itália.

Mascarello faleceu em 2005 e, atualmente, sua filha Maria Teresa continua com a filosofia de seu pai em sua pequena adega na cidade de Barolo. Isto significa um vinho ultra tradicional, que exibe a força de seu criador ao mesmo tempo em que oferece uma soberba pureza varietal e uma harmonia impecável entre frutas, notas de madeira, taninos e acidez. Há alguns críticos que recentemente ficaram encantados e perplexos quando experimentam o Bartolo Mascarello Barolo – mas que estão à procura de um vinho com mais brilho, que não era o estilo preferido de Bartolo.

Para os verdadeiros amantes do Barolo, porém, este é o exemplo do que a bebida – principalmente a versão tradicional – deveria ser, e o Bartolo Mascarello Barolo é tido em grande estima. Devido à qualidade da fruta, bem como aos rigorosos princípios de vinificação, as melhores safras (1986, 1988, 2001, 2004, 2008, 2008, 2010, 2012, 2013) envelhecem por períodos de 30 a 50 anos. Para simplificar, este é um Barolo brilhante e todos os outros produtores o têm como inspiração.

Veja, na galeria de imagens a seguir, os 25 melhores produtores de Barolo e as 25 Menções Honrosas:

  • 1. Cavallotto (Castiglione Falletto)

    Este produtor tradicional é mais conhecido por seus Barolos da vinícola Bricco Boschis em sua propriedade. O San Giuseppe Riserva deste vinhedo é excepcional, um vinho de excelente harmonia e tremendo potencial de envelhecimento.

  • 2. Ceretto (Alba)

    Produtor histórico conhecido pelo Bricco Rocche Barolo em Castiglione Falletto. Seu Prapò Barolo de Serralunga d’Alba também é excelente e de bom valor. O enólogo Alessandro Ceretto tem mudado a produção para um estilo mais tradicional.

  • 3. Michele Chiarlo (La Morra)

    Dois Barolos cru são produzidos no local, além de um excelente Cannubi e Cerequio de La Morra (também lar de um lindo relais). O Cerequio é notável e exibe uma impressionante profundidade de fruta com sentido regional. Também procure o Tortolo Barolo, uma mistura de regiões e de bom valor.

  • 4. Elvio Cogno (Novello)

    Valter Fissore e sua esposa Nadia vêm produzindo discretamente excelentes versões de Barolo do Ravera cru em Novello, no extremo sul da zona de Barolo. O clássico Ravera é de primeira linha, enquanto o Vigna Elena, proveniente de uma pequena parte deste vinhedo, feito a partir do clone rosé de Nebbiolo, é um incrível e elegante vinho.

  • 5. Aldo Conterno (Monforte d’Alba)

    Há três excelentes versões de Barolo nesta propriedade: Romirasco, Cicala e Colonello. Cada um tem seu poder e todos eles são envelhecidos em grandes barris. De tempos em tempos, uma mistura dos três vinhedos, conhecida como GranBussia, é produzida. Este é um dos Barolos de vida mais longa que existe, com grande poder, bem como harmonia excepcional – não perca!

  • 6. Giacomo Conterno (Monforte d’Alba)

    Embora localizado em Monforte, este produtor é mais conhecido por seus Barolos na comunidade vizinha de Serralunga d’Alba. Seu lançamento mais famoso é o Monfortino, um lendário Barolo com grande complexidade que se tornou um clássico – os preços dispararam nos últimos tempos.

  • 7. Giacomo Fenocchio (Castiglione Falletto)

    Vinho elegante e tradicional de vários locais na região de Barolo, incluindo Cannubi, Castellero e Villero. O enólogo Claudio Fenocchio fabrica artesanalmente o tradicional Barolo, tão gracioso quanto sua personalidade. Procure pelo Bussia 90 Di, macerado por 90 dias (um tempo incrivelmente longo para este tipo de bebida), que é sua maior conquista.

  • 8. Ettore Germano (Serralunga d’Alba)

    Sergio Germano é um dos mais consistentes produtores de Barolo dos últimos 12 a 15 anos. Seu Prapò é de primeira linha e o Lazzarito Riserva capta o tempero e a força da região.

  • 9. Bruno Giacosa

    Embora a vinícola esteja localizada na cidade de Neive, na zona de Barbaresco, Bruno Giacosa é famoso por seus Barolos oriundos da vinícola Falletto, em Serralunga. O rótulo branco é notavelmente expressivo e criado para o longo prazo, enquanto o rótulo vermelho riserva é verdadeiramente memorável – um dos cinco melhores Barolo ano após ano.

  • 10. Elio Grasso (Monforte d’Alba)

    Esta é outra vinícola muito respeitada por produtores de Barolo. Elio Grasso e o seu filho Gianluca continuam a lançar versões maravilhosamente perfumadas e estruturadas, em um estilo tradicional, com o Gavarini Chiniera e o Ginestra Casa Maté Barolos. Já o “riserva” Runcot tem um estilo mais moderno. Todos são grandes expressões do terroir de Monforte e estes exemplos de Barolo são os mais honestos que você pode encontrar.

  • 11. Paolo Manzone (Serralunga d’Alba)

    Uma propriedade de tamanho médio apreciada pelos verdadeiros fãs de Barolo, tanto pela consistência como pela relação preço/qualidade. O Serralunga comune Barolo é de excelente valor (o 2014 é particularmente bem feito), enquanto o Meriame, de vinhas de 70 anos da propriedade, é um dos mais subestimados da área. O “riserva” Barolo, parcialmente amadurecido em ânforas, é nada menos do que brilhante (especialmente as safras de 2008, 2011 e 2012).

  • 12. Marchesi di Barolo (Barolo)

    É de se esperar alguns exemplos bem especiais de Barolo com este nome, e a vinícola os oferece. Destacam-se especialmente os Cannubi e o Coste di Rose, assim como, na maioria dos anos, o Sarmassa. Um tanto moderno em sua abordagem, os Barolos do local também prestam homenagem ao patrimônio vitivinícola da região. Os vinhos oferecem excelente maturação e harmonia.

  • 13. Giuseppe Mascarello (Castiglione Falletto)

    Vinhos de poder, pureza varietal e estrutura de longo prazo são marcas registradas de Giuseppe Mascarello Barolo. A oferta do Monprivato deste produtor tradicional é um clássico, e nada menos que um dos 10 melhores Barolos de toda a região – Villero e Perno “Santo Stefano” também são excelentes. Você experimentará maiores recompensas quando eles tiverem pelo menos 15 anos de idade.

  • 14. Massolino (Serralunga d’Alba)

    Se você é fã do tradicional Barolo, este é obrigatório. Franco Massolino lidera a vinificação aqui, e seu cru Barolo é inteiramente de frutas da propriedade de Margheria e Parafada, em Serralunga, e Parussi, em Castiglione Falletto. Seu vinho mais célebre é um “riserva” da vinha Vigna Rionda em Serralunga, lançado dez anos depois da safra e marcado com um X. Eu provei Barolos de 25 anos de Massolino, que exibem uma frescura notável. Cada Massolino Barolo oferece admirável harmonia.

  • 15. Poderi e Cantine Oddero (Santa María, La Morra)

    Maria Cristina Oddero, que gere a propriedade, tem mestrado em viticultura e enologia e é uma das grandes mulheres da região de Barolo (e são muitas). Seu pai produziu um Barolo clássico, misturado, por muitos anos (o de 1964 é magnífico), que continua a ser produzido por Maria. Ela também buscou pelo Barolo de vinhedo único por vários anos, e o portfólio da Oddero, incluindo Rocche di Castiglione, Brunate e Vigna Mondoca (um Barolo muito subestimado) é um dos melhores. Grande pureza varietal, notas de madeira moderadas, taninos graciosos e acidez pontual são assinaturas da Poderi Oddero Barolos.

  • 16. Palladino (Serralunga)

    Uma jóia de propriedade na cidade de Serralunga que oferece Barolos belamente trabalhados com soberba expressão do terroir local. A Serralunga comune Barolo é uma ótima introdução ao estilo Serralunga de Barolo, enquanto as ofertas Ornato e San Bernardo “riserva” são mais encorpadas com taninos mais ricos. Palladino é apenas mais um dos produtores de destaque de Serralunga d’Alba, sem dúvida a melhor comuna para o Barolo clássico com potencial de envelhecimento.

  • 17. Pio Cesare (Alba)

    Um produtor histórico, estabelecido na cidade de Alba em 1881, Pio Cesare representa um capítulo importante na história de Barolo. Hoje Pio Boffa, tão envolvente quanto a personalidade do Piemonte, administra essa propriedade. Existem dois Barolos produzidos por lá: a oferta clássica, uma mistura de várias comunas na zona de Barolo, e a oferta de Ornato, da vinha de mesmo nome em Serralunga. O clássico é uma excelente representação da natureza do Barolo, enquanto o Ornato é um vinho mais poderoso com taninos ricos e uma estrutura robusta que exige tempo. Ambos os vinhos têm um belo sabor com o passar dos anos – cerca de uma década para a versão clássica e de 15 a 25 anos para o Ornato.

  • 18. Renato Ratti (Annunziata, La Morra)

    Fundada em 1965, é uma das propriedades mais reconhecidas da região de Barolo. Hoje, gerenciados por Pietro Ratti, filho de Renato, os Barolos do local são uma mistura de tradição e modernidade, já que os vinhos são envelhecidos em barris de vários tamanhos. O Marcenasco Barolo é uma seleção de uvas de vinhedos das proximidades e é o mais tradicional, enquanto as ofertas de vinhas únicas Conca e Rocche dell’Annunziata são os de assinatura de Ratti – ricos e sublimes Barolos que geralmente ficam no ponto depois de 15 a 30 anos, principalmente em safras como as de 2001, 2004, 2008, 2010, 2012 e 2013.

  • 19. Giuseppe Rinaldi (Barolo)

    Giuseppe “Beppe” Rinaldi faleceu em 2018, deixando uma história notável de Barolo ao longo das últimas quatro décadas. Acima de tudo, os seus vinhos representam a finesse do Barolo, bem como um senso inconfundível da região. Seu melhor vinho foi o Brunate (anteriormente conhecido como Brunate – Le Coste). Outro excelente exemplo é o “Tre Tini” Barolo. Rinaldi conquistou o respeito de todos na área e fará muita falta, mas seus vinhos preservarão seu legado.

  • 20. Francesco Rinaldi (Barolo)

    Esta é uma soberba vinícola familiar que produz um Barolo ultra tradicional, amadurecido unicamente em grandes barris de carvalho eslavo. Há um clássico Barolo, bem como duas ofertas de cru das explorações da vinícola em Cannubi e Brunate. Há, ainda, um Cannubi “riserva”, produzido apenas a partir das melhores safras. Cada Barolo exibe uma pureza de Nebbiolo, bem como extraordinária complexidade, com sutil tempero no final. Graciosos e fiéis à fonte, estes vinhos são uma prova exemplar de que é difícil melhorar a tradição na zona de Barolo quando os vinhos são tão especiais.

  • 21. Rocche Costamagna (La Morra)

    Este é um tesouro escondido, mas os verdadeiros fãs do Barolo conhecem a qualidade dos vinhos produzidos por Alessandro Locatelli nesta pequena vinícola localizada no topo da colina na cidade de La Morra. Seu Barolo clássico é um esforço maravilhosamente equilibrado, enquanto suas ofertas de Rocche dell’Annunziata são regularmente notáveis ​​(especialmente o Bricco Francesco “riserva”). São vinhos com excelente maturação, notas de madeira suaves e requintada harmonia.

  • 22. Paolo Scavino (Castiglione Falletto)

    Não há nada extravagante com esta vinícola – a família, Enrico Scavino e suas filhas Elisa e Enrica, produz ótimos Barolos de vários dos melhores cru. Entre os destaques estão o Bric dël Fiasc, o Monvigliero (excepcional), o Bricco Ambrogio e o Rocche dell’Annunziata “riserva”, um vinho extraordinário que é, indiscutivelmente, o melhor da adega. Na última década, a influência do carvalho tornou-se menos perceptível, deixando transparecer o caráter Nebbiolo de cada local.

  • 23. Schiavenza (Serralunga d’Alba)

    Se você está procurando um clássico Serralunga Barolo que oferece estrutura para longo prazo, os rótulos da Schiavenza são os candidatos ideais. Tradicional na produção de vinho, cada Barolo é uma excelente representação do sua região, desde o engarrafamento de Serralunga para Broglio, Ceretta e Prapò. As bebidas são robustas por natureza, mas nunca agressivas, e são lindamente feitas com grande moderação e harmonia.

  • 24. Vietti (Castiglione Falletto)

    Vietti foi uma das primeiras vinícolas a produzir um único Barolo – Rocche da vindima de 1961 – e, hoje, a adega faz até quatro cru Barolos por ano, além de uma esplêndida “riserva” do vinhedo Villero em safras excepcionais e de um clássico Barolo chamado Castiglione, que é de valor excepcional. Luca Currado aprendeu a natureza fundamental do vinho com seu pai Alfredo e hoje elevou Vietti à categoria dos proeminentes produtores de Barolo.

  • 25. Roberto Voerzio (La Morra)

    Como Voerzio foi o primeiro produtor a receber classificação de 100 pontos por seu Barolo, ele se tornou um nome familiar entre os viticultores da região. Seu único vinhedo de Barolos é inteiramente de La Morra, de alguns dos locais mais históricos e aclamados, incluindo Brunate, Cerequio, La Serra e Roche dell’Annunziata. Enquanto alguns o rotularam de modernista, na realidade ele faz estilos diferentes da bebida, já que alguns envelhecem apenas em barrique, enquanto outros amadurecem em uma combinação de madeira pequena e grande. O que cada um tem em comum é que são frutos de produções minúsculas (de 30% a 50% abaixo do máximo permitido) – o que resulta em vinhos intensamente aromatizados que são destinados a adegas de longo prazo, de 30 a 50 anos.

1. Cavallotto (Castiglione Falletto)

Este produtor tradicional é mais conhecido por seus Barolos da vinícola Bricco Boschis em sua propriedade. O San Giuseppe Riserva deste vinhedo é excepcional, um vinho de excelente harmonia e tremendo potencial de envelhecimento.


Já está disponível no aplicativo ForbesBrasil a edição 64 com a lista Under30.
Baixe o app na Play Store ou na App Store.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).