8 previsões e tendências de viagens para 2019

Acabamos de entrar em um novo ano, o que significa que está na hora de fazer algumas previsões de viagem. Com base nas tendências do ano passado e dos acontecimentos mais recentes, podemos esperar algumas mudanças.

LEIA MAIS: Uma viagem ao inesquecível spa dos macacos, no Japão

Veja, na galeria de fotos a seguir, as 8 principais características que devem nortear o setor de turismo em 2019 e como usá-las para se programar:

  • 1. Tarifas mais baixas para viajar para a Ásia

    Como as transportadoras chinesas continuam adicionando capacidade ao mercado, espera-se que esta seja a melhor época para visitar os países asiáticos. As tarifas estão mais baixas do que nunca, e é provável que isso continue ao longo do ano, especialmente por conta da desaceleração da economia da China. As tarifas mais baixas são para destinos tradicionalmente caros, como Japão, desde que você esteja disposto a fazer conexões.

  • 2. Primeira classe e executiva a preços reduzidos

    Muitas companhias aéreas têm dado descontos em passagens da primeira classe e executiva. De modo geral, as companhias aéreas preferem vender um lugar nas classes premium do que fornecê-las como resgate ou upgrade para os passageiros.

    Dito isso, é provável que os passageiros se deparem com mais dessas tarifas acessíveis. Contudo, diferente do que acontecia no passado, nem todas as tarifas de classe executiva ou primeira classe são totalmente reembolsáveis ou facilmente alteradas.

  • 3. As desvalorizações podem ser mais frequentes

    Quais programas de passageiro podem desvalorizar em 2019? Estamos prestes a descobrir. No levantamento mais recente, a Singapore Airlines foi a primeira no ranking de desvalorizações.

  • 4. Promoções de fidelidade mais segmentadas

    Os programas de fidelidade de companhias aéreas e hotéis foram longe demais nos últimos anos para terem um fim. Por causa deles, os viajantes passaram a fazer suas reservas de passagens e hotéis diretamente e de forma desmembrada, de maneira a não desperdiçar nenhum acúmulo de pontos.
    Agora, a expectativa é que esses programas avancem ainda mais, com promoções direcionadas tentando atrair os viajantes de volta para a compra de pacotes.

  • 5. Promoções de bancos

    Sem dúvida, é preciso um generoso bônus para conseguir convencer as pessoas a terem mais um cartão de crédito fidelidade. No entanto, os bancos têm se esforçado para permitir que os clientes tenham mais de um cartão e possam recebam bônus cumulativos. Por isso, espere promoções mais específicas em 2019, com ofertas de renúncia aos termos que restringem bônus no caso de mais de uma adesão.

  • 6. Serviços de reservas com prêmios e pontos

    Os programas de fidelidade das companhias aéreas são tão complexos que deram origem a uma indústria de prêmios e serviços de consultoria de pontos. Esses serviços personalizados e acessíveis, que geralmente custam menos de US$ 200 por passagem, ajudam você a lidar com o complexo trabalho de encontrar e reservar os voos.

    Esses serviços podem se tornar ainda mais populares, já que são eficientes em garantir a melhor oferta para seus clientes, tarefa difícil para quem não passa o dia inteiro à procura.

  • 7. Mais itens nos pacotes

    Agentes de viagens online quase não ganham dinheiro vendendo passagens de avião e os lucros com as reservas de quartos de hotel podem ser bem baixos. Por isso, eles diversificaram para seguros de viagem e “experiências”, como passeios pela cidade. Ao finalizar a compra, confira se nenhum serviço indesejado foi adicionado à sua compra.

  • 8. Mais facilidade para comparar passagens aéreas

    Agências de viagens online como a Expedia ganham pouco dinheiro vendendo passagens aéreas, mas causam surpresa nos passageiros quando surgem com truques – como quando não incluem bagagem, por exemplo. Isso acaba confundindo os viajantes. Para resolver o problema, as empresas têm concordado em definir uma série de padrões para as passagens aéreas, de forma que a comparação seja eficiente e leal. A expectativa é que as novas regras sejam implementadas logo nos Estados Unidos.

1. Tarifas mais baixas para viajar para a Ásia

Como as transportadoras chinesas continuam adicionando capacidade ao mercado, espera-se que esta seja a melhor época para visitar os países asiáticos. As tarifas estão mais baixas do que nunca, e é provável que isso continue ao longo do ano, especialmente por conta da desaceleração da economia da China. As tarifas mais baixas são para destinos tradicionalmente caros, como Japão, desde que você esteja disposto a fazer conexões.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).