Por que cidades como Nashville têm um cenário musical tão forte?

Getty Images
Em Nashville, foi formado um grupo diversificado para criar um modelo para a marca ‘Music City’

A pergunta “por que algumas cidades, como Nashville ou Seattle, têm um cenário musical tão forte?” originalmente apareceu no Quora. A resposta de Elizabeth Cawein, fundadora e CEO do Music Export Memphis e Signal Flow PR, é a seguinte:

LEIA MAIS: Quem foram os “winners and losers” da música em 2018

“Muitos irão dizer, e eu não discordo deles, que as comunidades musicais são orgânicas, que não podem ser planejadas ou fabricadas. Elas acontecem quando pessoas criativas se juntam em ambientes que, por algum motivo, estimulam o crescimento dessa criatividade e os encorajam a construir algo em torno dela. Comunidade e criatividade resultam em colaboração e inovação.

Você não pode fabricar o cenário grunge de Seattle, certo? Dito isso, essas duas cidades são ótimos exemplos para este assunto porque têm aquele elemento mágico das pessoas certas no momento certo. Também foram palco de acontecimentos importantes, quando os líderes da cidade reconheceram a força que a música criava e providenciaram suporte ou a aproveitaram em benefício da comunidade.

Em Nashville, foi formado um grupo diversificado para criar um modelo para a marca ‘Music City’. Eles pensaram sobre como a marca poderia desde quando tocada naquelas caixas eletrônicas e feias nos cantos da cidade até em uma noite de Ano Novo ou durante os fogos no Dia da Independência. Eles incluíram ainda a marca ‘Music City’ em grandes eventos, que tiveram grande crescimento, e em itens como palhetas de guitarra. Eles garantira, com essa estratégia, qualquer um sairia de sua experiência em Nashville compreendendo a marca ‘Music City’.

Enquanto isso, Seattle tem o robusto Office of Film and Music, liderado pela fenomenal Kate Becker, além de outras ações que deixaram a música à frente como marca da cidade: no aeroporto de Seattle, há apresentações ao vivo, sete dias por semana, em vários locais ao longo do terminal, além de execução de canções exclusivamente de artistas regionais, vídeos com clipes sobre a música e a história de Seattle, em monitores de portões e esteiras de bagagens, e exposições de arte temátivas, com curadoria do EMP Museum. Também li recentemente que os anúncios de terminal (aqueles que reforçam a atenção para suas malas e o informam onde conseguir um táxi) também são feitos por ícones da música de Seattle.

VEJA TAMBÉM: 10 mulheres mais bem pagas da música em 2018

O posicionamento de marca é apenas uma peça deste quebra-cabeça, é claro. E pode não parecer imediatamente óbvio como isso impacta o local em um nível enorme. No entanto, quando a cidade é inteligente e estratégica para reconhecer a oportunidade que se apresenta e a impulsionar, a marca musical se torna um dos principais motivos pelos quais milhões de dólares turísticos chegam a cada ano e também por que as pessoas mais criativas escolhem viver lá.”

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).