Leilões de relógios de luxo arrecadam US$ 57 millhões

Getty Images

Resumo:

  • Quatro casas de leilões embolsam US $ 57 milhões no final de semana em Genebra;
  • Vendido por US$ 2.391.444, um relógio de George Daniels foi o grande destaque das negociações;
  • A Phillips estabeleceu três recordes mundiais para relógios Rolex, incluindo um Submariner Small Crown ref. 5508 vendido por US$ 494.100, o dobro da estimativa da pré-venda.

As quatro principais casas de leilões – Sotheby’s, Christie’s, Antiquorum e Phillips in Association With Bacs & Russo – embolsaram US$ 57 milhões no último final de semana em Genebra e provaram que o mercado secundário de relógios continua crescendo. O destaque dos últimos dias foi uma peça de George Daniels vendida pela Phillips por US$ 2.391.444. Feito em 1987 e usado apenas pelo próprio relojoeiro, o modelo foi comercializado pela última vez em um leilão em 2012 por US$ 1 milhão. O relógio é feito em ouro amarelo e conta com termômetro, fases da lua, reserva de energia, calendário anual e turbilhão coaxial de um minuto.

LEIA MAIS: Relógio com 15 mil diamantes entra no “Livro dos Recordes”

Relógio da George Daniels é vendido por US$ 2.391.444

 

Patek Philippe ref. 5208P, feito em platina, foi vendido pela Phillips por US$ 802.418

A casa de leilões também vendeu um Patek Philippe ref. 5208P em platina, com repetidor de minutos, cronógrafo, calendário perpétuo e fases da lua por US$ 802.418. A Phillips estabeleceu três recordes mundiais para relógios Rolex, incluindo um Submariner Small Crown ref. 5508 vendido por US$ 494.100, o dobro da estimativa da pré-venda, e um Rolex Padellone de ouro ref. 8171, um dos dois únicos modelos de calendário triplo já feitos pela marca, arrematado por US$ 968.436, um recorde mundial em peças de ouro amarelo.

Phillips vende Rolex Padellone de ouro ref. 8171 por US$ 968.436
Rolex ref. 6062, apelidade de “Stelline”, é vendido pela Christie ‘ s por US$ 975 mil

 

O Rolex ref. 6062 disponibilizado para venda na Christie’s – e apelidado de Stelline por causa de seus marcadores em forma de estrela -, foi um dos apenas 50 produzidos em ouro rosa e gerou muita discussão na pré-venda por conta da restauração de seu mostrador. Em algum momento desde sua origem em 1952, os pontos luminosos próximos aos marcadores sofreram modificações e foram aumentados, mas, depois de um tempo, voltaram a sua versão original. Por isso, surgiram especulações sobre a aceitação do produto pelos compradores. Com estimativa de arrecadar entre US$ 1 milhão e US$ 2 milhões, o relógio acabou sendo vendido por US$ 975 mil.

Christie’s vendeu um Rolex ref. 3525 em ouro rosa por US$ 471 mil

A Christie’s também vendeu um Rolex ref. 3525 em ouro rosa, com cronógrafo em aço, que pertenceu ao pintor e cineasta Andy Warhol, por US$ 471 mil, além de dois modelos Rolex Daytona Paul Newman por US$ 471 mil e US$ 447 mil, respectivamente.

Sotheby’s arrecadou US$ 443.218 em relógios Rolex Daytona dourados

Na realidade, todas as quatro casas de leilões obtiveram sucesso na venda dos modelos Rolex Daytona. A Phillips vendeu um deles por US$ 731.268, a Sotheby’s arrecadou, em outra peça, US$ 443.218, e a Antiquorum embolsou US$ 353 mil.

Patek Philippe Ref. 2497 foi vendido pelo leilão Sotheby ‘ s por US$ 979.775

VEJA MAIS: Relógios de grife inspirados em doces viram objeto de desejo

O melhor lote de venda da Sotheby’s foi um Patek Philippe ref. 2497 de 1953, um dos apenas 20 modelos feitos em ouro rosa. A peça foi comercializada por pouco menos de US$ 1 milhão (US$ 979.775), um recorde para o modelo. A Sotheby’s vendeu, ainda, um Patek Philippe ref.1518 feito em 1950, em ouro amarelo com as fases da lua, por US$ 492.465. Este foi o primeiro e mais famoso modelo de relógio da marca com cronógrafo de calendário perpétuo e o primeiro com calendário perpétuo do mundo.

Protótipo de Patek Philippe Aquanaut é vendido por US$ 401.000

Um dos relógios mais curiosos vendidos no fim de semana foi um protótipo do Patek Philippe Aquanaut com a palavra “PROTOTYPE” no mostrador. Teria sido feito antes de 1997, ano em que o modelo foi lançado. A Antiquorum vendeu o relógio por US$ 401 mil, valor mais de oito vezes maior do que a expectativa. A estrela do leilão foi um Jaquet Droz & Leschot, arrematado por US$ 1.025 milhão, com um autômato do canto de um pássaro e feito em ouro 18 quilates, laca e pérolas.

Antiquorum vendeu relógio Jaquet Droz & Leschot com pássaro cantando por US$ 1.025 milhão

Embora a Patek Philippe e a Rolex tendam a ser as grifes mais cobiçadas nos leilões, as vendas de relógios feitos por outras marcas importantes de Genebra também registraram preços altos, como Audemars Piguet, Richard Mille, Breguet e Cartier. A Phillips vendeu um Zenit El Primero A384 de 1969 cinco vezes mais caro do que a estimativa inicial de US$ 39.500, estabelecendo um novo recorde para o modelo.

As vendas totais da Sotheby’s atingiram pouco mais de US$ 9 milhões, enquanto na Phillips o volume foi de US$ 26 milhões. A Christie’s arrecadou quase US$ 12 milhões com os leilões do fim de semana e a Antiquorum ficou perto dos US$ 10,5 milhões.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).