Que fim levou a fortuna de Doris Day

Getty Images
Atriz e cantora sofreu uma súbita crise financeira no auge de sua carreira

Resumo:

  • A atriz e cantora Doris Day sofreu uma súbita crise financeira no auge de sua carreira, nos anos 1950 e 1960;
  • A turbulência foi provocada pelo marido (que também era seu empresário) e pelo advogado Jerome Rosenthal, que desperdiçou sua fortuna de US$ 20 milhões e a deixou com dívidas.

Depois que a atriz e cantora Doris Day (que morreu hoje, aos 97 anos) se tornou uma estrela dos anos 1950 e 1960, sofreu uma súbita crise financeira. A questão foi provocada pelo marido (que também era seu empresário) e por um advogado de Beverly Hills, que desperdiçou sua fortuna de US$ 20 milhões e a deixou com dívidas, conforme documentado pela Forbes em 1974.

LEIA MAIS: Diretor de “Cantando na Chuva” morre aos 94 anos

O marido e agente de Doris Day, Martin Melcher, deixou o advogado Jerome Rosenthal lidar com a riqueza de sua esposa. Rosenthal apostou em investimentos de má qualidade, aceitou propinas e cobrou taxas exorbitantes aos clientes para salvar reputações.

As ações de Rosenthal incluíam transações falsas de títulos bancários de terrenos, projetos de capital de risco condenados, hotéis falidos e acordos ilegais de petróleo e gás.

“Meu marido acreditava que Rosenthal era um gênio”, disse Doris na época. “Eu estava trabalhando, estava longe. Não sabia de nada, apenas confiava.”

Depois que o marido de Doris morreu, repentinamente, em 1968, Rosenthal tentou reivindicar metade da fortuna restante da atriz, e ela o processou. Durante a ação, foi preciso usar a força para obter os documentos de Rosenthal.

VEJA TAMBÉM: De onde vem a fortuna dos bilionários do mundo

Em 1974, um juiz decidiu que ele devia US$ 22,8 milhões a Doris. O filho da celebridade disse, em uma entrevista em 1986, que ela acabou recebendo parte do dinheiro de uma companhia de seguros, mas “nada perto dessa quantia”, segundo o “New York Times”.

Doris era conhecida por ser uma das maiores atrações de bilheteria do início dos anos 1960, com papéis aclamados em “Confidências à Meia-Noite”, que lhe rendeu uma indicação ao Oscar, e em “O Homem que Sabia Demais”, de Alfred Hitchcock. Após a carreira no cinema, ela estrelou o “The Doris Day Show” depois que seu marido, além de perder seu dinheiro, assinou um contrato que a prendeu ao programa, sem sua ciência, segundo a “National Public Radio”. No fim, ela concordou, para pagar suas dívidas.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).