Conheça os três vulcões mais perigosos da Ásia

Nesta semana, uma erupção vulcânica trouxe fama ao Monte Agung, localizado na ilha de Bali, na Indonésia, responsável por atrair um grande número de turistas à Ásia todos os anos. A enorme quantidade de cinzas no ar resultou no fechamento do aeroporto de Denpasar por três dias, retendo milhares de passageiros e impedindo muitos outros de viajar para a ilha, enquanto 40.000 nativos a evacuavam. Oficiais indonésios organizaram uma reunião de emergência na terça-feira (5) para decidir o que seria feito, de acordo com o “Jakarta Post”, site de notícias local.

LEIA TAMBÉM: 6 experiências exóticas no Sudeste Asiático

O Agung entrou em erupção depois do aumento de atividade registrado desde setembro, mas não é o vulcão mais perigoso da Ásia. Uma área controlada em um raio de 10 quilômetros afetou principalmente a população mais remota do nordeste de Bali.

Veja, abaixo, os três vulcões classificados pela ciência como os mais ameaçadores da Ásia devido ao histórico explosivo e proximidade da população:

  • Sakurajima, Japão

    Esta montanha, localizada no sudoeste do Japão, entra em erupção centenas de vezes por ano, lançando cinzas em uma área próxima a uma cidade de 606.000 habitantes, Kagoshima. Esses acontecimentos relembram os cidadãos de que eles vivem a poucos quilômetros de uma das “maiores ameaças vulcânicas asiáticas”. Sakurajima foi uma ilha até 1914, quando o fluxo de lava de uma erupção a conectou à ilha Kyushu.

  • Merapi, Indonésia

    O vulcão é apenas um dos 127 localizados na Indonésia, muitos dos quais mantêm as pessoas atentas para a ameaça de novas erupções. O Merapi causa uma ameaça particular, pois está a 32 quilômetros ao norte de Yogyakarta, uma cidade com 3,6 milhões de habitantes. Milhares de pessoas moram a menos de oito quilômetros dessa cúpula de lava, de acordo com o site de viagem e notícias “Volcano Discovery”.

    O Merapi é o vulcão mais ativo do país. Às vezes, lança fluxos piroclásticos, gases superaquecidos e partículas de rocha. Um fluxo desses matou 64 pessoas em 1994.

  • Krakatoa, Indonésia

    A erupção desse vulcão em 1883 matou 36.000 pessoas nas grandes ilhas Java e Sumatra antes do próprio colapso, e gerou um tsunami que causou ainda mais mortes, de acordo com o “Weather Channel”. O episódio é frequentemente descriti como a erupção vulcânica mais destrutiva da história.

    Atualmente, é uma montanha baixa no oeste de Java, mas, ainda assim registra atividade vulcânica frequentemente. Algumas dessas alertam os pilotos, afirma o Programa Global de Vulcanismo do Instituto Smithsonian. Krakatoa demonstrou sinais de explosão em 2014 e acredita-se que houve uma ano passado (é difícil confirmar devido ao clima nublado), além de uma espécie de terremoto no começo deste ano.

Sakurajima, Japão

Esta montanha, localizada no sudoeste do Japão, entra em erupção centenas de vezes por ano, lançando cinzas em uma área próxima a uma cidade de 606.000 habitantes, Kagoshima. Esses acontecimentos relembram os cidadãos de que eles vivem a poucos quilômetros de uma das “maiores ameaças vulcânicas asiáticas”. Sakurajima foi uma ilha até 1914, quando o fluxo de lava de uma erupção a conectou à ilha Kyushu.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).