Rolex brilha na Baselworld 2018

O mercado relojoeiro não para. Depois da SIHH (Salon International de la Haute Horlogerie), em janeiro, foi a vez de a Baselworld, feira anual realizada em março em Basel, na Suíça, mostrar as novidades do setor. A inglesa Rolex, ícone da relojoaria desde 1905, apresentou uma gama de modelos marcantes na edição deste ano.

LEIA MAIS: O Rolex de US$ 17,8 milhões

Já conhecida do público, a versátil linha GMT-Master II acrescentou várias versões à família.

Uma nova geração do modelo Datejust, criado em 1945, chega ao mercado com opções novas para as linhas Datejust 36, que tem caixa de 36 mm, e Datejust 31, com caixa mais delicada, de 31 mm. O novo Cosmograph Daytona, uma verdadeira joia, é cravejado com safiras coloridas e diamantes. O novo Rolex Deepsea, projetado para a prática de mergulho, teve sua caixa redesenhada, sem perder o característico design robusto.

Veja, na galeria de fotos abaixo, os modelos apresentados na Baselworld:

  • Cosmograph Daytona

    O ícone da relojoaria, criado em 1963, ganhou versão luxuosa. A escala taquimétrica da luneta foi substituída por safiras em degradê nas cores do arco-íris, enquanto as pedras preciosas, também presentes no mostrador, têm lapidação estilo baguette. Na caixa, 56 diamantes foram cravejados nas asas e nos protetores da coroa.

  • GMT-Master II

    A relojoaria criou novas versões para compor a linha. A caixa Oyster, com vidro de safira, é totalmente impermeável. Uma das novas versões é feita de aço Oystersteel e equipada com luneta giratória bidirecional com disco de cerâmica resistente a riscos e ao desgaste natural, disponível nas cores vermelha e azul. O ouro Everose 18 quilates dá o tom a dois novos modelos – um deles inteiro da liga preciosa e outro, o Rolesor Everose, com um mix de aço Oystersteel e ouro.

  • Rolex Deepsea

    A nova caixa tem 44 mm e pulseira mais larga. O material utilizado é o aço Oystersteel e o calibre é o 3235, o mesmo incorporado aos novos Datejust 36. É resistente a profundidades de até 3.900 metros.

  • Oyster Perpetual Datejust 31

    São três novas versões: ouro branco, rosa e amarelo. Uma delas se sobressai: é feita de ouro branco 18 quilates com mostrador de madrepérola e luneta cravejada de diamantes. O calibre 2236, manufatura exclusiva da Rolex, foi incorporado pela primeira vez à linha. O desempenho cronométrico perfeito do mecanismo pode ser atribuído ao espiral Syloxi de silício, imune a campos magnéticos e estável quando exposto a variações de temperatura.

  • Datejust 36

    A nova geração da linha Datejust 36 chega com inovações que não deixam para trás o design clássico e atemporal. São duas versões: o Rolesor Everose (associação de aço e ouro rosa) e o Rolesor amarelo (aço e ouro amarelo 18 quilates), com várias opções de mostradores. Pela primeira vez, os modelos foram equipados com o novo calibre 3235. De corda automática, ele oferece melhorias na precisão, na autonomia e na resistência a possíveis interferências
    (choques e campos magnéticos). O desempenho superior também impacta na reserva da bateria, de aproximadamente 70 horas.

Cosmograph Daytona

O ícone da relojoaria, criado em 1963, ganhou versão luxuosa. A escala taquimétrica da luneta foi substituída por safiras em degradê nas cores do arco-íris, enquanto as pedras preciosas, também presentes no mostrador, têm lapidação estilo baguette. Na caixa, 56 diamantes foram cravejados nas asas e nos protetores da coroa.

Reportagem publicada na edição 58, lançada em abril de 2018

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).