A mania dos relógios panda está de volta

Há mais de 50 anos, os colecionadores de relógios de pulso são apaixonados pelos pandas – cronógrafos cujo mostrador branco e os três submostradores pretos lembram a cara do adorado urso. Não só esse design é apreciado por sua facilidade de leitura, como também os relógios panda (particularmente os Rolex Daytona, Heuer Carrera e Omega Speedmaster das décadas de 1960 e 1970) vêm se valorizando tremendamente com o passar do tempo.

LEIA MAIS: Relógio de Elvis é leiloado por US$ 1,8 milhão

No fim do ano passado, um Rolex Daytona de 1968 pertencente a Paul Newman foi vendido num leilão por US$ 17,8 milhões, valor recorde para um relógio de pulso. E, embora o mostrador panda – e o “panda invertido”, com mostrador preto e submostradores brancos – nunca tenha realmente saído de moda, o design está passando por uma renascença. Esses novos relógios inspirados no automobilismo unem o retrô ao moderno. Em outras palavras, são atemporais. (Preços sugeridos nos EUA.)

  • CHRONOMASTER EL PRIMERO DA ZENITH, 42 MM, ALUMÍNIO CERAMIFICADO
    Valor: US$ 8.700

  • OYSTER PERPETUAL COSMOGRAPH DA ROLEX, 40 MM, AÇO INOX
    Valor: US$ 12.400

  • LAUREATO CHRONOGRAPH DA GIRARD-PERREGAUX, 38 MM, AÇO INOX
    Valor: US$ 13.700

  • SPEEDMASTER RACING COAXIAL CHRONOGRAPH DA OMEGA, 40 MM, AÇO INOX
    Valor: US$ 4.700

  • AUTAVIA JACK HEUER EDIÇÃO LIMITADA DE 85º ANIVERSÁRIO DA TAG HEUER, AÇO INOX
    Valor: US$ 5.900

  • NAVITIMER 01 DA BREITLING, 43 MM, AÇO INOX
    Valor: US$ 7.965

CHRONOMASTER EL PRIMERO DA ZENITH, 42 MM, ALUMÍNIO CERAMIFICADO
Valor: US$ 8.700

Reportagem publicada na edição 59, lançada em maio de 2018

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).