Conheça quatro destinos exclusivos para relaxar no Brasil

A pluralidade de cenários no Brasil é um dos grandes atrativos para viajantes do mundo todo – e para os próprios brasileiros. Em períodos de crise e de descompasso cambial, o turismo interno mostra-se uma opção a ser fortemente considerada.

LEIA MAIS: Conheça a suíte mais exuberante do Palácio Tangará

Pensando em destinos que são verdadeiros refúgios para descansar o corpo e a mente, listamos a seguir quatro lugares singulares. No Nordeste, as praias de Fernando de Noronha e Trancoso são os destinos ideais para aproveitar o melhor da natureza e da gastronomia brasileira. O estado do Amazonas, especialmente sua capital, deixou de ser um destino focado nos viajantes mais aventureiros e se tornou, na última década, um polo para o turismo de luxo – sem perder a conexão com o que a extraordinária natureza local tem a oferecer. No outro extremo do país, Gramado, um clássico dos destinos românticos brasileiros, volta ao mapa por sua hotelaria de primeira linha.

Veja, na galeria de fotos abaixo, detalhes dos quatro destinos:

  • Manaus (Amazonas)

    A imensidão amazônica abriga a maior biodiversidade do planeta, com mais de 30 mil espécies de plantas e uma fauna igualmente exuberante. Antes um destino voltado aos espíritos mais arrojados – e com pouca ou nenhuma estrutura –, hoje se tornou um destino procurado por estrangeiros e brasileiros que buscam se conectar com a natureza sem abrir mão do conforto.

    Os hotéis estilo lodge (mais rústicos e espaçosos) se espalharam pela região. O Anavilhanas Lodge, no município de Novo Airão (região metropolitana de Manaus), fica nas margens do Rio Negro, entre imensos igarapés. Seu nome faz referência ao arquipélago de Anavilhanas, um parque nacional com mais de 400 ilhas. São 16 chalés standard, quatro bangalôs superiores e dois panorâmicos. O destaque da acomodação panorâmica é uma parede de vidro de 10 metros quadrados com vista para a floresta. Duas diárias (o mínimo para uma reserva) na categoria panorâmica durante a alta temporada (julho e agosto) custam R$ 4.180 por pessoa, na acomodação dupla. Curiosidade: no local quase não há insetos devido ao pH das águas escuras (entre 4,3 e 5,2), o que impede sua proliferação.

    Assim, sem ser “comido” por pernilongos, é possível navegar pelas águas da região. A proposta da Expedição Katerre, por exemplo, é oferecer o máximo de comodidade em barcos-boutique com capacidade para 16 pessoas. O maior deles, batizado de Jacaré-Açu, tem 64 pés e oito suítes climatizadas. Oferece todas as refeições, preparadas por chefs que usam ingredientes locais. O roteiro mais curto dura quatro dias. Não é incomum que turistas emendem alguns dias no Mirante do Gavião Lodge (foto), também em Novo Airão.

  • Manaus (Amazonas)

    Na propriedade fica o restaurante CamuCamu, especializado em pratos amazônicos. Para os visitantes que optarem pela experiência dupla, o pacote de quatro dias navegando na Katerre e duas noites no Mirante do Gavião (foto) sai por R$ 17.796 para duas pessoas.

  • Fernando de Noronha (Pernambuco)

    É o arquipélago mais exclusivo e de acesso mais restrito do país. O aeroporto comporta pequenas e médias aeronaves – os voos saem de Recife e Natal. Para explorar suas belas ilhas e praias, é preciso pagar uma taxa de preservação diária de R$ 70,66 por pessoa. Noronha é um dos melhores locais do mundo para a prática do mergulho, tanto pela temperatura média da água (26 ºC) como pela visibilidade (50 metros na horizontal). Um passeio clássico é à Baía do Sancho. Seu acesso só é possível por uma escada entre fendas nas pedras. Em suas águas cristalinas é possível a observação de peixes, raias e tartarugas. Uma trilha de 1 quilômetro leva ao Mirante da Baía dos Golfinhos. O ideal é começar o passeio cedo: os golfinhos costumam fazer suas acrobacias entre 6h30 e 7h30.

    A pequena Baía dos Porcos é acessível pela trilha que parte da Praia Cacimba do Padre. O contraste entre a água azul-turquesa e as pedras vulcânicas pretas compensa o esforço da caminhada, assim como a vista para o Morro Dois Irmãos. Também vale – e muito – um mergulho livre com snorkels para observar a fauna marinha.

  • Fernando de Noronha (Pernambuco)

    Quanto às acomodações, Noronha empenha-se em manter um alto padrão de serviços. Na Pousada Maravilha (foto), membro da Brazilian Luxury Travel Association (BLTA), elas são divididas em apartamentos luxo, ideais para famílias, e bangalôs românticos, com ofurô na varanda. São nove ao todo, e as diárias vão de R$ 3.680 a R$ 4.662 na alta temporada.

    Na gastronomia, peixes e frutos do mar brilham nos restaurantes. O Varanda tem menu composto por receitas contemporâneas, e o Mergulhão, com vista privilegiada para a Baía de Santo Antônio, não esconde as influências da culinária brasileira.

  • Trancoso (Bahia)

    O vilarejo de Trancoso, no município de Porto Seguro, caiu no gosto de brasileiros e estrangeiros, que escolheram a região para instalar suas propriedades de veraneio. O clima hi-lo, que mistura sofisticação e simplicidade, faz de Trancoso um dos destinos mais aquecidos do verão brasileiro – e um dos mais agradáveis nas baixas temporadas. O Quadrado, no centro da vila, concentra simpáticas casinhas coloridas onde estão instalados restaurantes, bares e lojas, além da pequena Igreja do Quadrado (ou de São João), erguida em 1656 – e hoje endereço cobiçado por noivas e noivos de várias partes do país.

    A caminhada entre Trancoso e Arraial d’Ajuda pela praia tem longos 12 quilômetros de extensão – é possível fazer o trajeto de carro, mas é preciso que ele tenha forte vocação off-road. Para quem se animar a ir a pé, algumas paradas no caminho são estratégicas. A desértica e bem preservada Praia do Taípe tem belas falésias e águas azuladas. No alto das falésias fica uma unidade do Club Med.

    Não faltam opções de hospedagem no vilarejo. O Uxua Casa Hotel & Spa (foto) fica em localização privilegiada, a 500 metros do Quadrado. Seu terreno é ocupado por 11 casas com até três quartos. O hotel foi erguido e mobiliado com materiais reciclados e antiguidades que remetem aos primórdios de Trancoso, fundada há 500 anos. O designer e autor do conceito da propriedade é o holandês Wilbert Das, ex-diretor criativo da grife italiana Diesel e hoje morador do vilarejo. As diárias do Uxua chegam a R$ 5.200.

  • Trancoso (Bahia)

    Um pouco mais longe da região central, o hotel Etnia (foto) oferece nove acomodações, duas vilas e sete bangalôs com decorações únicas. As unidades ficam afastadas umas das outras, para maior privacidade dos hóspedes. A vila com vista para o jardim, no verão, tem diária de R$ 4.238 e acomoda até três pessoas. Em 2019, o Grupo Fasano também vai desembarcar por ali, com seu Reserva Trancoso. Serão 19 estâncias e um complexo com hotel de 40 bangalôs e 23 vilas. A grande aposta dos restaurantes locais são os ambientes abertos e arejados. O El Gordo, com vista para o mar, é um dos mais concorridos. Outro que une boa comida e vista deslumbrante é o Estrela D’Água, que inclui no cardápio a culinária típica baiana. No Uxua funcionam dois restaurantes.

    Para maior tranquilidade, a recomendação é ir ao vilarejo fora da alta temporada – mesmo no inverno, a temperatura média é de 22 ºC, com dias ensolarados.

  • Gramado (Rio Grande do Sul)

    O município de Gramado, na região das Serras Gaúchas, foi colonizado por alemães e italianos. E até hoje faz questão de preservar essas raízes. As casinhas em estilo enxaimel, uma herança da arquitetura alemã, compõem um cenário charmoso ao lado de parques bem arborizados. Por estar no Sul do país e a 830 metros de altitude, as temperaturas no inverno costumam ser baixas para os padrões brasileiros (8 ºC, em média), o que é um atrativo a mais para quem quer se sentir na Europa sem sair do país. A cidade, que nunca deixou de manter o foco em sua estrutura turística, com hotéis e restaurantes de alto nível, voltou a figurar com louvor no mapa do turismo de luxo desde que o Saint Andrews (foto) tornou-se, em 2012, o primeiro hotel brasileiro a figurar na exclusiva liga Relais & Châteaux.

  • Gramado (Rio Grande do Sul)

    Ele tem 19 suítes (foto) e diferenciais como serviço de mordomo 24 horas incluso no valor da diária (a partir de R$ 1.980). Conta também com uma piscina coberta, que pode ser utilizada mediante reserva. No Saint Andrews está instalado o restaurante Primrose, que tem no comando de sua cozinha o chef André Soares (com passagens pelo Unique Garden e pelo Resort Ponta dos Ganchos). Tem ambiente intimista, com apenas cinco mesas de dois lugares. O menu é focado em ingredientes orgânicos e frescos.

  • Gramado (Rio Grande do Sul)

    A experiência mais exclusiva é o jantar na aconchegante Adega Gourmet (foto) – para, no máximo, quatro pessoas. Ela tem entre seus rótulos preciosidades como o italiano Brunello Di Montalcino.

Manaus (Amazonas)

A imensidão amazônica abriga a maior biodiversidade do planeta, com mais de 30 mil espécies de plantas e uma fauna igualmente exuberante. Antes um destino voltado aos espíritos mais arrojados – e com pouca ou nenhuma estrutura –, hoje se tornou um destino procurado por estrangeiros e brasileiros que buscam se conectar com a natureza sem abrir mão do conforto.

Os hotéis estilo lodge (mais rústicos e espaçosos) se espalharam pela região. O Anavilhanas Lodge, no município de Novo Airão (região metropolitana de Manaus), fica nas margens do Rio Negro, entre imensos igarapés. Seu nome faz referência ao arquipélago de Anavilhanas, um parque nacional com mais de 400 ilhas. São 16 chalés standard, quatro bangalôs superiores e dois panorâmicos. O destaque da acomodação panorâmica é uma parede de vidro de 10 metros quadrados com vista para a floresta. Duas diárias (o mínimo para uma reserva) na categoria panorâmica durante a alta temporada (julho e agosto) custam R$ 4.180 por pessoa, na acomodação dupla. Curiosidade: no local quase não há insetos devido ao pH das águas escuras (entre 4,3 e 5,2), o que impede sua proliferação.

Assim, sem ser “comido” por pernilongos, é possível navegar pelas águas da região. A proposta da Expedição Katerre, por exemplo, é oferecer o máximo de comodidade em barcos-boutique com capacidade para 16 pessoas. O maior deles, batizado de Jacaré-Açu, tem 64 pés e oito suítes climatizadas. Oferece todas as refeições, preparadas por chefs que usam ingredientes locais. O roteiro mais curto dura quatro dias. Não é incomum que turistas emendem alguns dias no Mirante do Gavião Lodge (foto), também em Novo Airão.

Reportagem publicada na edição 60, lançada em julho de 2018

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).