Guia traz roteiro para 24 horas em… Buenos Aires

Getty Images
Programe-se para aproveitar um dia livre na capital da Argentina

Esqueça o tango, o estádio do Boca Juniors e as casas coloridas do Caminito. A essência da capital portenha vai além desses estereótipos “clássicos” entre os brasileiros.

LEIA MAIS: Os melhores campos de polo da América do Sul

A cena cultural é vibrante. Em 2018, Buenos Aires estreou no calendário da Art Basel Cities, evento promovido pela respeitada feira em cidades com um cenário artístico em evidência e expansão. Na gastronomia, as parrillas seguem sendo um dos grandes atrativos, mas não param de pipocar novos restôs: atualmente são oito restaurantes no ranking dos 50 melhores da América Latina (a lista é elaborada pelo 50 Best e é conhecida por prestigiar restaurantes mais inovadores).

A proximidade com o Brasil e o câmbio favorável facilitam uma escapada para Buenos Aires, destino ideal para um fim de semana. Caso seu tempo seja ainda mais curto que isso, reunimos aqui o melhor da charmosa cidade – que, apesar das dificuldades econômicas, segue se reinventando.

Veja, na galeria de fotos a seguir, uma seleção de destinos imperdíveis que podem ser visitados em um dia livre.

  • 8h
    Manhã à francesa

    A medialuna, o croissant argentino, é um doce típico da culinária local. Um dos melhores da cidade é vendido na boulangerie L’épi, de propriedade de dois franceses – Buenos Aires, aliás, tenta preservar a aura europeia que a tornou tão atraente aos olhos sul-americanos. É possível também apreciar a primeira refeição do dia em dois lugares icônicos: o Café Tortoni e o Hotel Palácio Alvear. No hotel, o buffet farto de café da manhã é servido no salão L’Orangerie – seu disputado brunch é servido apenas aos domingos.

    @lepiboulangerie; @gran_cafe_tortoni; @alvearpalace

  • 10h
    Passeio pelo Puerto

    O bairro Puerto Madero começou a tomar sua forma atual depois de 1990. A área conta com vários edifícios modernos, um evidente contraste com o centro da cidade, e pontos turísticos interessantes, como a Puente de la Mujer. É nesse distrito que o Faena Hotel (com design do francês Philippe Starck) está localizado. Os “passantes” podem aproveitar a boa estrutura do hotel: spa, bares e restaurantes. O El Mercado é o mais casual, e fica aberto o dia inteiro.

    @faenabsas

  • 12h
    Arte Contemporânea

    O Malba (Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires) tem uma curadoria impecável de artes
    latino-americanas contemporâneas. O quadro Abaporu, da paulista Tarsila do Amaral, faz parte do acervo permanente. A cena artística também é composta por diversas galerias. Duas veteranas se destacam: a Maman Fine Art, do marchand Daniel Maman, e a Ruth Benzacar, atualmente nas mãos das galeristas Orly Benzacar e Mora Bacal.

    @museomalba; @mamanfineartgallery; @ruthbenzacar

  • 14h
    A inigualável Parrilla

    Os argentinos são conhecidos por seu churrasco farto, de cortes macios e saborosos. Para o almoço, é possível escolher entre três restaurantes já bem conhecidos pelos viajantes, especialmente os brasileiros. O Don Julio, no bairro de Palermo Soho, é presença constante nas listas de melhores restaurantes da América Latina. O La Cabrera e o Cabaña Las Lilas, de propriedade do Grupo Rubaiyat, completam o trio.

    @donjulioparrilla; @lacabrera_bsas; @rest_laslilas

  • 16h
    Tarde na Recoleta

    Comece a “flanear” pela Avenida Alvear, onde ficam vários palácios de exuberante estilo francês – destaque para os palácios Concepción Unzué de Casares, o atual Jockey Club Argentino e o Palácio Duhau, onde funciona o hotel Park Hyatt. A livraria El Ateneo Grand Splendid está instalada em um antigo teatro centenário (de 1919) e já foi classificada pelo The Guardian – com toda a justiça – como a segunda livraria mais bonita do mundo.

    @palacioduhau; @yenny_elateneo

  • 18h
    O país do polo

    Como mostramos na edição 61 da FORBES, a Argentina é considerada o país do polo equestre. Os entusiastas do esporte podem aproveitar para fazer uma visita ao Campo Argentino de Polo no bairro de Palermo, região nordeste da cidade, onde o principal campeonato mundial é disputado (o lugar é conhecido como Catedral do Polo). É possível também investir em botas feitas sob medida na tradicional Casa Fagliano, uma “instituição” portenha desde 1892.

    @casafagliano

  • 20h
    Jantares “estrelados”

    Como dissemos no início, oito dos 50 melhores restaurantes da América Latina ficam em Buenos Aires. Bem contemporâneos, Tegui, Chila e Proper e El Baqueano servem pratos criativos. Com proposta mais sofisticada reina o Elena, dentro do Four Seasons da Recoleta. Para ingredientes extremamente frescos, o Crizia é a pedida. Já o Mishiguene, do chef Thomas Kalika, incorpora técnicas da alta culinária a receitas antigas e judaicas.

    @Tegui Restaurante; @chila_bsas; @properrestaurant; @El Baqueano – Cocina Autóctona Contemporánea; @fsbuenosaires; @crizia_restaurant; @mishiguenecocina

  • 22h
    Cerveza, cóctel y vino

    A boêmia faz parte da cultura argentina. Três bares escondidos e interessantes para fechar o dia livre na capital argentina são o Floreria Atlantico, o Frank e The Harrison Speakeasy. De volta ao hotel Faena, dê ao menos uma passada no The Library Lounge, com sua atmosfera escura e intimista – são comuns apresentações de música ao vivo no local. Todos eles são dignos de encerrar seu minitour em grande estilo.

    @floreriaatlantico; @theharrisonspeakeasy; @franks_bar; @faenabsas

8h
Manhã à francesa

A medialuna, o croissant argentino, é um doce típico da culinária local. Um dos melhores da cidade é vendido na boulangerie L’épi, de propriedade de dois franceses – Buenos Aires, aliás, tenta preservar a aura europeia que a tornou tão atraente aos olhos sul-americanos. É possível também apreciar a primeira refeição do dia em dois lugares icônicos: o Café Tortoni e o Hotel Palácio Alvear. No hotel, o buffet farto de café da manhã é servido no salão L’Orangerie – seu disputado brunch é servido apenas aos domingos.

@lepiboulangerie; @gran_cafe_tortoni; @alvearpalace

Reportagem publicada na edição 62, lançada em outubro de 2018

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).