Conheça o palácio do clã Badrutt

Divulgação
O Badrutt’s Palace está localizado na região da Alta Engadina

St. Moritz é abençoada por natureza – e seus atrativos são anteriores à elevação da pequena comuna na região da Alta Engadina à condição de destino de luxo: há 3 mil anos, suas águas medicinais já atraíam visitantes. Além disso, o sol – um símbolo nacional – brilha quase todos os dias do ano. Praticamente não há tempo ruim neste berço do turismo de inverno, uma história que caminha lado a lado com a fundação do Kulm Hotel por Johannes Badrutt e, em 1896, do Badrutt’s Palace por seu filho Caspar.

LEIA MAIS: Iara Jereissati recebe título de embaixadora de St. Moritz

O “palácio” é parte do império hoteleiro da família Badrutt. Seus mais de 120 anos de história o colocam em posição privilegiada entre os hotéis suíços, graças a décadas de aperfeiçoamento do serviço e de expansão da propriedade. Em 1936, Hans, filho de Caspar, comprou Chesa Veglia, a fazenda mais antiga do vilarejo, e a transformou em um restaurante – até hoje uma parada obrigatória quando se visita St. Moritz.

Em 1959, foi inaugurada a piscina externa e, uma década depois, a piscina coberta, que logo se tornou o lugar ideal para ver, ser visto e apreciar coquetéis tendo como cenário o lago e as montanhas. Nos anos 1980, foram multiplicadas as opções de lojas no hotel – o espaço hoje se chama Palace Galerie e conta com diversas grifes à disposição dos hóspedes e visitantes.

Com 157 quartos e suítes, o hotel é muito bem preparado para receber famílias – conta com um clube para crianças, o que garante tranquilidade extra aos pais. A decoração dos quartos é clássica e luxuosa, sendo a mais exclusiva a suíte Hans Badrutt, com 175 metros quadrados. Um suntuoso hall de mármore encarrega-se da primeira (e boa) impressão.

Também não passa despercebida sua estrutura gastronômica. Só dentro do Chesa Veglia são três restaurantes: o Patrizier Stuben, que serve pratos clássicos suíços; o Pizzeria Heuboden, de massa e pizzas (provavelmente, a mais famosa pizza de trufas é servida aqui); e o francês Chadafö. Dentro do hotel, há ainda o Igniv e o japonês-peruano Matsuhisa, do chef Nobu Matsuhisa. O Le Grand Hall, no lobby, serve chá da tarde tradicional.

Em janeiro, o hotel também é palco do St. Moritz Gourmet Festival, quando recepciona diversos chefs internacionais e estrelados para eventos culinários, que incluem jantares gourmet e aulas. No próprio Badrutt’s, no espaço Le Grand Hall, é servido um buffet com sobre mesa, batizado de “Chocolate Cult”. São diversos doces criados pelo chef pâtissier Stefan Gerber e a confeitaria Sprüngli, uma das mais tradicionais do país, que oferta suas trufas de chocolate, preparadas na hora.

INVERNO EM ST. MORITZ

• O resort tem 350 km de pista com infraestrutura moderna
• A encosta mais íngreme da Suíça é a montanha de Corviglia, com uma descida vertiginosa
• A pista de bobsled (corrida de trenó) batizada de Bob Run é uma das mais antigas do mundo (foi inaugurada em 1904)
• Os hóspedes dos hotéis de St. Moritz podem adquirir o ski pass, que dá acesso às pistas, a três parques de neve e a toda a estrutura por 38 francos suíços

Veja, na galeria de fotos abaixo, mais detalhes do Badrutt’s Palace:

  • Suíte St. Moritz

  • Sala de estar da suíte Hans Badrutt

  • Piscina interna: lugar para ver e ser visto desde 1969

  • Terraço da suíte St. Moritz

  • O luxuoso Le Grand Hall

  • Atmosfera aconchegante do Chesa Veglia

Suíte St. Moritz

Reportagem publicada na edição 65, lançada em fevereiro de 2019

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).