Conheça um destino de cinema no Lago de Lucerna

Divulgação
O Park Hotel é um projeto visionário do hoteleiro Josef Anton Bon

O Lago de Lucerna, que banha a cidade homônima, é – com o perdão do clichê – daqueles lugares que parecem ter saído de um filme. Em toda sua extensão (38 quilômetros de um extremo a outro), é ladeado por montanhas e comunas. Sua configuração lembra muito a paisagem de um fiorde (entrada de mar em uma cadeia montanhosa).

LEIA MAIS: Região do Lago de Genebra: um mar de encantos

Em Vitznau, uma pequena comuna de pouco mais de mil habitantes na margem do lago, o Park Hotel é o lugar certo para aproveitar a natureza e relaxar. O hotel, em funcionamento desde 1903, é um projeto visionário do hoteleiro Josef Anton Bon, que viu no destino o potencial de se tornar um refúgio de luxo. Não estava errado. Após passar por diversos donos, e até pelas mãos da família Oetker entre 1980 e 2009, o hotel foi comprado pela Park Hotel Vitznau AG, subsidiária da empresa Pok Pühringer AG. Na sequência, fechou para reforma completa e reabriu na primavera de 2012 com novos ares.

Hoje a propriedade é alicerçada em três temas principais: Vinho & Refeições, Arte & Cultura e Saúde & Requinte, para perfis distintos de hóspedes e pautados pela personalização. A começar pelos quartos: são 47 suítes e residências únicas, com design e obras de arte diferentes nas decorações.

A cereja do bolo é, sem dúvida, a residência Scappi Presidencial. São dois quartos (a suíte principal tem piso de mármore), dois banheiros de granito com banheiras e salas de jantar e estar. Para não perder o melhor do destino, os ambientes têm varandas voltadas para o lago.

O spa faz jus a Vitznau, destino conhecido pela atenção com o bem-estar do corpo e da mente. São duas piscinas: uma interna, aquecida e com borda infinita, e uma externa, repleta de cadeiras de sol. Além das salas de massagem, é possível usufruir da gruta de gelo – ideal para estimular a circulação e fechar os poros da pele.

As experiências gastronômicas e etílicas não deixam a desejar – muito pelo contrário. O restaurante Prisma, do chef Philipp Heid, propõe pratos que são uma fusão da culinária europeia clássica com a asiática. Ainda na propriedade, o Focus serve menu leve e fresco – e conta com um onírico terraço na beira do lago. O bar Verlinde também é parada imperdível: além dos coquetéis perfeitamente executados, oferece uma coleção de conhaques e armanhaques (aguardente vínica) vintages e cerca de 32 mil garrafas de vinho dispostas em seis adegas. Opções – e motivos – para um brinde não vão faltar.

  • Sala de estar  da residência Scappi Presidencial

  • Banheiro da residência Scappi Presidencial

  • Piscina interna do spa

  • Restaurante Focus: menu leve

  • O terraço deslumbrante do restaurante Focus

  • Bar Verlinde: coquetéis perfeitos

  • 32 mil vinhos em seis adegas do bar Verlinde

Sala de estar  da residência Scappi Presidencial

Reportagem publicada na edição 65, lançada em fevereiro de 2019

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).