Desvalorização chinesa deixa Zuckerberg e outros 9 US$ 23 bi mais pobres

Getty Images / MarcPiasecki-Contributor
Mark Zuckerberg foi um dos grandes perdedores de ontem (5), com a queda no mercado de ações que provocou perda de US$ 2,7 bilhões em seu patrimônio líquido

Resumo: 

 

  • A desvalorização da moeda chinesa provocou caos no mercado de ações e consequente queda no patrimônio líquido de alguns dos mais ricos do mundo;
  • O maior perdedor de ontem (5) foi o presidente da LVMH, Bernard Arnault, cujo patrimônio líquido caiu US$ 4 bilhões;
  • Outros grandes perdedores foram Mark Zuckerberg e Larry Ellison, cujos patrimônios líquidos caíram US $ 2,7 bilhões e US $ 2,5 bilhões, respectivamente.

Ontem (5) foi o pior dia de 2019 para os mercados de ações, e algumas das pessoas mais ricas do mundo foram duramente afetadas.

VEJA MAIS: Jeff Bezos vende cerca de US$ 1,8 bilhão em ações da Amazon em três dias

Alguns dos mais ricos do mundo viram seu patrimônio cair à medida que a China desvalorizou sua moeda para o nível mais baixo em relação ao dólar desde 2008, o que provocou uma enorme queda no valor das ações. A mudança seguiu o anúncio do presidente dos EUA, Donald Trump, na última quinta-feira, de que continuaria a impor tarifas sobre as importações chinesas.

O maior perdedor do dia foi o presidente da LVMH, Bernard Arnault, cujo patrimônio líquido caiu US$ 4 bilhões, para US$ 91,7 bilhões. A moeda chinesa enfraquecida fará com que mercadorias estrangeiras, como bolsas e perfumes de luxo da empresa, fiquem mais caras para os consumidores chineses.

Mas a LVMH ainda desfruta de um ano positivo. As ações subiram 11% nos últimos 12 meses, em parte porque os mercados chineses impulsionaram as vendas em várias de suas marcas, incluindo os cosméticos Givenchy e a moda masculina Berluti, segundo o relatório semestral da empresa. Em julho, Arnault se tornou brevemente a segunda pessoa mais rica do mundo, mas logo Bill Gates recuperou a posição.

Outros grandes perdedores de ontem foram Mark Zuckerberg e Larry Ellison, cujos patrimônios líquidos caíram US$ 2,7 bilhões e US$ 2,5 bilhões, respectivamente.

Até mesmo bilionários chineses foram afetados, já que os investidores estão apreensivos com uma guerra comercial iminente. Houve queda de US$ 1,6 bilhão no patrimônio líquido do presidente da Tencent, Ma Huateng, cujo conglomerado detém o WeChat, aplicativo de mensagens sociais usado por mais de um bilhão de pessoas. Já o presidente executivo do Alibaba, Jack Ma, viu seu patrimônio cair US$ 966 milhões.

Veja alguns bilionários cujos patrimônios tiveram grandes quedas ontem:

  • Bernard Arnault

    Fonte: LVMH
    Queda: US$ 4 bilhões
    Patrimônio líquido: US$ 91,7 bilhões

  • Mark Zuckerberg

    Fonte: Facebook
    Queda: US$ 2,7 bilhões
    Patrimônio líquido: US$ 67,6 bilhões

  • Larry Ellison

    Fonte: Mercado de software
    Queda: US$ 2,5 bilhões
    Patrimônio líquido: US$ 65,4 bilhões

  • Warren Buffett

    Fonte: Berkshire Hathaway
    Queda: US$ 2,1 bilhões
    Patrimônio líquido: US$ 78,3 bilhões

  • Larry Page

    Fonte: Google
    Queda: US$ 1,7 bilhão
    Patrimônio líquido: US$ 53 bilhões

  • Sergey Brin

    Fonte: Google
    Queda: US$ 1,6 bilhão
    Patrimônio líquido: US$ 51,9 bilhões

  • Ma Huateng

    Fonte: Serviços de internet
    Queda: US$ 1,6 bilhão
    Patrimônio líquido: US$ 38,3 bilhões

  • Mukesh Ambani

    Fonte: Petroquímicas, petróleo e gás
    Queda: US$ 1,6 bilhão
    Patrimônio líquido: US$ 46,2 bilhões

  • Françoise Bettencourt Meyers e família

    Fonte: L’Oreal
    Queda: US$ 1,5 bilhão
    Patrimônio líquido: US$ 50,7 bilhões

  • Bill Gates

    Fonte: Microsoft
    Queda: US$ 1,4 bilhão
    Patrimônio líquido: US$ 102 bilhões

Bernard Arnault

Fonte: LVMH
Queda: US$ 4 bilhões
Patrimônio líquido: US$ 91,7 bilhões

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).