BB eleva participação em argentino Banco Patagonia

iStock
A instituição brasileira comprou uma fatia conjunta equivalente a 21,42% no negócio

O Banco do Brasil anunciou ontem (15) que elevou sua participação no Banco Patagonia para 80,38%, após três acionistas minoritários do banco argentino terem exercido opção de vender para a instituição brasileira a fatia conjunta equivalente a 21,42% no negócio.

LEIA MAIS: BB anuncia cartões digitais para não correntistas

Em fato relevante, o BB afirmou ter sido notificado que os acionistas Jorge Guillermo Stuart Milne, Ricardo Alberto Stuart Milne e Emilio Carlos González Moreno exerceram a opção de venda de suas fatias no Banco Patagonia para o banco brasileiro.

O preço de exercício da opção de venda é de US$ 1,314 por ação, somando um total de US$ 202,375 milhões.

O BB afirmou que o reconhecimento da nova participação do Banco Patagonia em seu balanço, o índice de capital principal, terá queda de 12 pontos base. Esse índice fechou março em 9,8%.

A operação depende de aprovações dos Bancos Centrais do Brasil e da Argentina.

Segundo uma fonte, os três acionistas vendedores fazem parte da família de quem o BB comprou uma fatia de 51% do Banco Patagonia em abril de 2010, por US$ 479,6 milhões. Esses acionistas tinham direito a exercer opção de venda ao BB, e decidiram agora exercê-la.

VEJA TAMBÉM: BB tem lucro ajustado de R$ 3 bilhões no 1º tri

A compra do controle do Banco Patagonia ocorreu dentro de um período em que o BB planejava expansão internacional, incluindo bases nos Estados Unidos, em Portugal e no continente africano.

Anos depois, a orientação do controlador, o governo federal, mudou e a campanha de expansão fora do país foi interrompida.

Nos últimos anos, informações sobre o futuro da participação do BB no banco argentino têm sido frequentes no noticiário, incluindo eventual venda do controle a um investidor estratégico ou de parte das ações numa oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), hipótese que tem sido reiterada pelo presidente-executivo do BB, Paulo Caffarelli.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).