Investidor processa cantor Ed Sheeran em US$ 100 mi

REUTERS/Fabrizio Bensch
Entre os outros acusados estão a Sony/ATV Music Publishing e a gravadora Atlantic

O cantor e compositor inglês Ed Sheeran foi processado em ao menos US$ 100 milhões ontem (28) por supostamente copiar grandes partes de “Let’s Get It On”, clássico de Marvin Gaye, em seu sucesso “Thinking Out Loud”.

LEIA MAIS: De Spice Girl à empreendedora de moda girl power

A ação foi apresentada por uma empresa de propriedade de David Pullman, um banqueiro de investimento que em 1997 foi responsável pela venda pioneira de US$ 55 milhões dos “Títulos Bowie”, que fizeram de David Bowie o primeiro músico a vender títulos lastreados por direitos autorais de seu catálogo.

De acordo com a queixa registrada em um tribunal federal de Manhattan, “Thinking Out Loud”, que chegou ao 2º lugar da parada Billboard Hot 100 em fevereiro de 2015, copia a “melodia, ritmos, harmonias, bateria, linha de baixo, coral de apoio, tempo, síncope e looping” de “Let’s Get It On”, que chegou ao topo das paradas em setembro 1973.

Entre os outros acusados estão a Sony/ATV Music Publishing e a gravadora Atlantic.

Os representantes de Sheeran e da Atlantic não responderam de imediato a pedidos de entrevista. O porta-voz da Sony/ATV, Paul Williams, não quis comentar.

Os acusados negaram qualquer infração em uma ação civil relacionada apresentada pelos herdeiros do falecido produtor Ed Townsend, que coescreveu “Let’s Get It On” com Gaye. A empresa de Pullman, a Structured Asset Sales LLC, possui um terço do espólio de Townsend.

Sheeran, de 27 anos, já foi acusado de infração em outras canções, como “Photograph” e “Shape of You”.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).