Investidores retiram US$ 5,5 bi de mercados emergentes

iStock
Os resgates nos mercados emergentes somaram cerca de US$ 4,2 bilhões

Investidores estrangeiros tiraram cerca de US$ 5,5 bilhões de mercados emergentes desde o aumento da taxa de juros do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, na semana passada, mostraram dados do Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês) ontem (19).

LEIA MAIS: Aliados dos EUA adotam medidas retaliatórias

Os resgates nos mercados emergentes somaram cerca de US$ 4,2 bilhões desde a reunião de política monetária do Fed, enquanto cerca de US$ 1,3 bilhão vieram de bônus.

Os investidores estrangeiros venderam mais de US$ 320 milhões em ações chinesas ontem (19), a primeira saída líquida diária de estrangeiros desde 4 de maio, disse o IIF.

A China permaneceu resiliente em meio a fortes saídas dos mercados emergentes, mas “a preocupação com o impacto das tarifas adicionais dos EUA sobre as importações chinesas provocou uma forte reversão nos fluxos para a China”, disse o IIF em comunicado.

A China acusou os Estados Unidos de “extrema pressão e chantagem” e prometeu retaliar após Trump ameaçar impor tarifa de 10% a US$ 200 bilhões em produtos chineses, além das tarifas de importação já anunciadas sobre US$ 50 bilhões em produtos da China.

VEJA TAMBÉM: EUA impõem tarifas sobre Canadá, México e União Europeia

A saída de investimentos dos mercados emergentes na última semana foi concentrada na Ásia, disse o IIF, sinalizando uma preocupação crescente com a disputa comercial entre EUA e China.

Economias de mercados emergentes têm estado em foco desde meados de abril, após um salto inesperado no dólar, enquanto as expectativas de aumento dos juros norte-americanos têm impulsionado os fluxos de dinheiro para longe dos mercados emergentes desde meados de abril.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).