Presidente da Audi é preso na Alemanha

Getty Images
Prisão levou a Volkswagen a uma crise de liderança

O presidente da montadora de carros de luxo Audi, Rupert Stadler, do grupo Volkswagen, foi preso nesta segunda-feira (18). O represente do mais alto escalão do conglomerado foi levado em custódia por causa do escândalo de fraude em testes de emissões poluentes.

VEJA TAMBÉM: 32 bilionários que já foram presos

Promotores de Munique afirmaram que o presidente foi preso por causa de temores de que ele possa dificultar investigações sobre a fraude. A prisão levou a Volkswagen a uma crise de liderança.

A notícia da prisão do executivo acontece em um momento em que o novo presidente-executivo do grupo, Herbert Diess, está tentando introduzir uma nova estrutura de liderança, que inclui Stadler, e acelerar a migração do conglomerado em direção dos veículos elétricos.

“Como parte da investigação sobre as questões sobre emissão dos motores a diesel da Audi, a promotoria de Munique executou um pedido de prisão contra Rupert Stadler”, afirmou a promotoria em comunicado. A Justiça alemã ordenou que o executivo fique preso para impedí-lo de obstruir as investigações.

Audi e Volkswagen confirmaram a prisão e reiteraram que há ainda presunção de inocência de Stadler. Um porta-voz da Porsche SE, a companhia que controla Volkswagen e Audi, afirmou que a prisão do executivo será discutida em reunião do conselho de administração nesta segunda-feira (18).

LEIA: Alemanha multa Volkswagen em € 1 bilhão

A Volkswagen admitiu em setembro de 2015 que usou um software ilegal para mascarar emissões de poluentes de motores a diesel que equipam seus veículos, disparando a maior crise na história da companhia e gerando um escândalo que se disseminou por toda a indústria.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).