Ações das Airbus sobem para nível recorde

iStock
Ações chegaram a subir mais de 5%

A Airbus divulgou hoje (26) um lucro maior que o esperado no segundo trimestre e reafirmou suas metas para o ano, com os gargalos na entrega das aeronaves começando a diminuir e queda nos custos do mais novo jato do grupo, o A350.

VEJA TAMBÉM: Airbus diz que recebeu 431 pedidos em feira de aviação

As ações chegaram a subir mais de 5%, para um novo recorde de alta.

A Airbus está no meio de sua maior reforma industrial desde que foi fundada há quase 50 anos, substituindo ou atualizando suas duas linhas de produtos mais lucrativas e, ao mesmo tempo, acelerando a produção para atender à demanda recorde de viagens aéreas.

Embora a introdução do A350 tenha sido relativamente suave, mostrando “melhorias significativas” nos custos, à medida que a Airbus caminha para a meta de produção de 10 unidades por mês até o final do ano, o A320neo menor continua causando dores de cabeça.

As entregas do jato de médio alcance, que gera mais lucro e dinheiro para o maior grupo aeroespacial da Europa, foram atrasadas por falhas no fornecimento de motores da Pratt & Whitney e, em menor medida, da CFM.

Mas a Airbus chegou a um ponto de virada em maio, quando a fila de aviões semiacabados obstruindo a pista fora das fábricas europeias começou a cair, tendo atingido seu pico em 100 unidades.

LEIA: JetBlue decide trocar Embraer por Airbus

Pela primeira vez, a Airbus informou que entregou mais jatos A320neo com novos motores no segundo trimestre do que a versão anterior do modelo. Mas disse que os riscos permanecem para a previsão de entrega “desafiadora” de 800 no total este ano. “Certamente vai ser um inferno, mas a meta de entrega de 800 aviões é viável”, disse o presidente-executivo Tom Enders a repórteres. “Nós temos os motores, temos as fuselagens, mas tirar tantas aeronaves do armazenamento não é uma tarefa fácil e requer recursos adicionais que estamos mobilizando.” A Airbus entregou 303 aeronaves no primeiro semestre.

A companhia sediada em Toulouse disse que o lucro operacional ajustado do segundo trimestre dobrou para € 1,15 bilhão (€ 1,35 bilhão), com alta de 8% na receita, para € 14,85 bilhões.

Os analistas previam, em média, um lucro operacional ajustado de € 1,01 bilhão, com receita de € 14,55 bilhões, de acordo com uma pesquisa da Reuters.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).