Alibaba e Tencent lideram aporte de US$ 1,5 bi na CMC

Getty Images
A CMC Inc, metade do império de mídia que abrange desde esportes até parques de diversões, disse que a empresa foi avaliada em cerca de 400 bilhões de iuanes após a rodada

O grupo chinês de mídia CMC disse hoje (3) que levantou cerca de 10 bilhões de iuanes (US$ 1,49 bilhão) em uma rodada de captação de recursos com investidores liderada pelas gigantes da tecnologia chinesa Alibaba e Tencent.

LEIA MAIS: Empresa chinesa vende US$ 1,5 bi em ações do Alibaba

A CMC Inc, metade do império de mídia que abrange desde esportes até parques de diversões, disse que a empresa foi avaliada em cerca de 400 bilhões de iuanes após a rodada.

A CMC Capital Partners é a outra metade do grupo CMC, fundada por Li Ruigang. Li é frequentemente retratado como a versão chinesa do australiano Rupert Murdoch, o líder da News Corp.

A Alibaba e a Tencent não comentaram o assunto.

O grupo CMC é uma força importante nos setores de mídia e entretenimento da China e tem grandes ambições globais. A empresa detém uma participação no time de futebol inglês Manchester City e uma joint venture com os estúdios de Hollywood da Warner Brothers Entertainment.

A captação de recursos acontece quando os líderes da China buscam reforçar seu controle sobre as indústrias de mídia e cultura, onde as gigantes da tecnologia e da internet, como Alibaba e Tencent, desempenham um papel excepcional.

VEJA TAMBÉM: Conglomerado Bollore firma parceria com Alibaba

O investimento também acompanha o movimento crescente de empresas de tecnologia que estão buscando parcerias com companhias apoiadas pelo governo chinês sob as reformas de propriedade mista de Pequim. O grupo de telecomunicações China Unicom levantou US$ 11,7 bilhões de uma dezena de investidores, incluindo Alibaba e Tencent, em 2017.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).