Alphabet vai usar balões para ampliar internet no Quênia

A Loon, subsidiária da Alphabet Inc, anunciou hoje (19) que vai implantar com a empresa de telecomunicações queniana Telkom Kenya seu sistema de balões para acesso à internet de alta velocidade a partir do ano que vem, cobrindo populações rurais e suburbanas, no seu primeiro acordo comercial fechado na África.

LEIA MAIS: Lucro da Alphabet supera estimativas de analistas

Conhecido como Project Loon, a tecnologia foi desenvolvida pelo laboratório de inovação X da Alphabet. Desde então, tornou-se Loon, uma subsidiária da Alphabet, que é a empresa controladora do Google.

A tecnologia foi usada por operadoras de telecomunicações dos EUA para fornecer conectividade a mais de 250 mil pessoas em Porto Rico após um furacão no ano passado. O Quênia espera que a tecnologia possa ajudar a garantir acesso à internet para toda a população.

“A missão da Loon é conectar pessoas em todos os lugares por meio da invenção e da integração de tecnologias audaciosas”, disse Alastair Westgarth, presidente-executivo da Loon.

A Telkom Kenya é a terceira maior operadora do país, atrás da líder de mercado Safaricom e da unidade queniana da Bharti Airtel.

“Vamos trabalhar muito duro com a Loon para entregar o primeiro serviço móvel comercial, o mais rápido possível, usando a internet do balão da Loon na África”, disse Aldo Mareuse, presidente-executivo da Telkom.

VEJA TAMBÉM: Alphabet ultrapassa US$ 100 bi em receita anual com venda de anúncios

Os termos do acordo não foram divulgados.

O serviço Loon usa balões, que são alimentados por um painel solar integrado, para fornecer cobertura de quarta geração (4G) para áreas com menor densidade populacional.

Eles flutuam a 60.000 pés acima do nível do mar, bem acima do tráfego aéreo, vida selvagem e eventos climáticos, disse a empresa.

Com mais de 45 milhões de pessoas, as principais cidades e vilas do Quênia são cobertas por redes de operadoras, mas vastas áreas rurais do país não têm cobertura.

Uma startup queniana apoiada pela Microsoft tem usado frequências de televisão subutilizadas para conectar algumas dessas comunidades rura

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).