Bezos cobrará pelo menos US$ 200 mil por viagem ao espaço

Getty Images
Empresa planeja voos de teste com passageiros na NewShepard em breve

A empresa de foguetes de Jeff Bezos planeja cobrar dos passageiros cerca de US$ 200 mil a US$ 300 mil por suas primeiras viagens ao espaço no próximo ano, disseram à Reuters duas fontes familiarizadas com os planos.

VEJA TAMBÉM: Jeff Bezos nunca foi tão rico como nesta semana

Potenciais clientes e a indústria aeroespacial estão ansiosos para saber o custo de uma passagem no veículo espacial New Shepard da Blue Origin, para descobrir se é possível pagar e se a empresa de Bezos pode gerar demanda suficiente para ser lucrativa com turismo espacial.

Executivos da empresa, iniciada por Bezos, fundador da Amazon.com, em 2000, disseram em uma conferência no mês passado que planejavam voos de teste com passageiros na NewShepard em breve, com a venda de passagens esperada para o próximo ano.

A empresa divulgou o modelo geral do veículo – formado por um foguete de lançamento e cápsula separável de passageiros –, mas não falou sobre a situação da produção e os preços de passagem.

Representantes da Blue Origin não responderam a pedidos por comentários sobre seus programas e estratégia de preços. Bezos disse em maio que os preços de passagens ainda não estavam definidos.

LEIA: 3 lições para líderes tiradas da carta de Jeff Bezos

Um funcionário da Blue Origin com conhecimento direto do plano de preços disse que a empresa vai começar a vender passagem na faixa entre US$ 200 mil e US$ 300 mil. Um segundo funcionário disse que as passagens custariam pelo menos US$ 200 mil. Os dois falaram na condição de anonimato, uma vez que a estratégia de precificação é confidencial.

A New Shepard é feita para transportar de forma autônoma seis passageiros a mais de 100 quilômetros acima da Terra, no espaço suborbital, alto o suficiente para experimentar por poucos minutos a falta de gravidade e ver a curvatura do planeta antes que a cabine pressurizada volte para a Terra com paraquedas.

A cápsula possui seis janelas de observação que, segundo a Blue Origin, são quase três vezes maiores do que as da linha de jatos 747 da Boeing.

A Blue Origin completou oito voos de teste de decolagem vertical e pouso da New Shepard de sua base de lançamento no Texas, mas sem passageiros a bordo. Dois voos incluíram bonecos de teste.

E MAIS: Jeff Bezos se torna o homem mais rico da história, com US$ 113,5 bilhões

A empresa fará o primeiro teste no espaço de seu sistema de fuga de cápsula, que leva a tripulação para a segurança caso o impulsionador exploda, “dentro de semanas”, disse um dos funcionários.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).