Dólar tem leve alta e fecha a R$ 3,78

Reuters
Na sessão passada o dólar despencou 1,84% frente ao real, fechando a semana com desvalorização acumulada de 2%, a maior em cinco meses

O dólar fechou hoje (23) em alta ante o real, com pequeno movimento de correção e com os investidores ainda de olho na cena externa e no quadro político local.

LEIA MAIS: Dólar despenca e fecha a R$ 3,77

A moeda norte-americana avançou 0,24%, a R$ 3,7831 na venda, depois de marcar a máxima de R$ 3,8045. O dólar futuro tinha valorização de cerca de 0,35% no final da tarde.

“A agenda está tranquila… Não há motivo para uma correção da mesma magnitude da queda de sexta-feira (20)”, afirmou a estrategista de câmbio do banco Ourinvest, Fernanda Consorte.

Na sessão passada o dólar despencou 1,84% frente ao real, fechando a semana com desvalorização acumulada de 2%, a maior em cinco meses. O mercado respirou aliviado após os partidos do blocão – grupo formado por DEM, PP, PRB, PR e Solidariedade– decidirem fechar apoio ao pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin.

Alckmin é visto pelo mercado financeiro como um político mais comprometido com os ajustes fiscais. Até então, as notícias indicavam que o blocão estava pendendo para Ciro Gomes, pré-candidato do PDT nas eleições de outubro.

“É cedo para dizer que o dólar mudou de patamar… Temos que ver a percepção do público [ao apoio do blocão a Alckmin]”, acrescentou Fernanda.

Recentemente, a moeda norte-americana esteve oscilando entre R$ 3,80 e R$ 3,90.

O foco do mercado também continuou voltado ao exterior, com a guerra comercial entre Estados Unidos e outros países abastecendo o noticiário, com temores de que o crescimento global seja afetado.

Nesta sessão, o dólar avançava ante uma cesta de moedas e ante divisas de países emergentes, como o rand sul-africano.

O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 14 mil swaps tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 10,5 bilhões do total de US$ 14,023 bilhões dos contratos que vencem

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).