Dona do Google supera estimativas de lucro no 2º tri

iStock
O lucro ajustado por ação foi de US$ 10,58, o que superou a estimativa média de US$ 9,52

A Alphabet, controladora do Google, informou hoje (23) que sua margem de lucro subiu no segundo trimestre, dando aos investidores um sinal há muito esperado de que as despesas estão ficando sob controle.

LEIA MAIS: UE aplica multa recorde de US$ 5 bi contra o Google

A alta nos custos de aquisição de tráfego da empresa, uma despesa-chave, caiu pela primeira vez em três anos ante mesmo período do ano passado. A margem operacional subiu para 24% excluindo uma multa antitruste de US$ 5 bilhões, ante 22,5% no último trimestre.

O lucro ajustado por ação foi de US$ 10,58, o que superou a estimativa média de US$ 9,52 em pesquisa agregada da Thomson Reuters. Alguns analistas excluíram outros itens, e a Alphabet também superou o consenso de US$ 9,59.

A Alphabet informou que o lucro por ação foi de US$ 11,75 antes dos ajustes, número que exclui US$ 1,1 bilhão de investimento em um ano contábil para ganhos não realizados, e uma multa da Comissão Europeia. O Google apelou da decisão, que o condenou por abuso em softwares para aplicativos móveis.

A Alphabet teve receita de US$ 32,66 bilhões no trimestre, 86% dos quais vieram do negócio de publicidade do Google, superando projeção média de US$ 32,2 bilhões.

VEJA TAMBÉM: Alphabet vai usar balões para ampliar internet no Quênia

O domínio do Google em publicidade online foi desafiado este ano pela batalha antitruste sobre seu software móvel Android e outras ações regulatórias. O tema ainda não foi superado pelo Google, cuja receita trimestral cresceu ao menos 20% ao ano por dois anos seguidos.

Uma nova lei de privacidade, promulgada pela UE em maio, levou a empresa a revisar divulgações de privacidade de usuários e reprimir a forma como compartilha dados com os clientes de publicidade. O Google também ajustou seu serviço de comparação de preços ao se empenhar em cumprir uma decisão da UE do ano passado e planeja divulgar em breve as mudanças na maneira de lidar com anúncios políticos.

As ações da Alphabet também subiram, segundo analistas, pela previsão de que a alta das despesas se estabilizará. Ainda assim, a perspectiva da companhia continua temperada por preocupações de custo, disse Michael Graham, analista da Canaccord Genuity, em um relatório neste mês.

A invasão da Amazon à publicidade ameaçou os negócios lucrativos do Google com empresas de mídia e anunciantes. Pelo menos três analistas que acompanham o Google disseram neste ano que separar seus vários negócios de publicidade em resultados financeiros ajudaria os investidores a entender como a concorrência está afetando a empresa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).