Mercado prevê que BC manterá Selic em 6,50% nesta semana

Reprodução/Reuters
Focus mostrou ainda que a inflação medida pelo IPCA deve encerrar 2018 a 4,11%

Economistas consultados semanalmente pelo Banco Central corroboraram suas projeções de manutenção da taxa básica de juros e para o comportamento anual da inflação até 2021, segundo relatório Focus divulgado hoje (30), dois dias antes da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom).

VEJA TAMBÉM: Brasil tem déficit primário de R$13,5 bilhões em junho

A taxa Selic deve continuar inalterada em sua mínima recorde de 6,50% ao ano após os dois dias de reunião do Copom, prevê a pesquisa, preservando a mesma projeção da semana anterior.

Pesquisa da Reuters com analistas também mostrou a mesma direção, com previsões consensuais de que o BC provavelmente vai manter os juros básicos após a greve dos caminhoneiros alavancar a inflação acima do centro da meta.

O Focus mostrou ainda que a inflação medida pelo IPCA deve encerrar 2018 a 4,11%, mesmo número do levantamento anterior, antes de avançar 4,10% em 2019, 4% em 2020 e 4% em 2021, último ano do horizonte relevante usado pelo BC para avaliar a trajetória dos juros.

Ao mesmo tempo, os economistas consultados pelo BC reduziram sua estimativa para a inflação do IPCA nos próximos 12 meses de 3,70% para 3,67%.

A meta de inflação é de 4,5% neste ano, caindo 0,25 ponto percentual por ano até 3,75% em 2021, sempre com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

LEIA: Economia brasileira encolhe 3,34% em maio

Os preços administrados pelo governo, como tarifas de energia, por exemplo, devem subir 6,81% neste ano, sobre previsão anterior de 6,71% uma semana antes, de acordo com o Focus.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).