Valor de mercado da Amazon supera US$ 900 bilhões

Getty Images
Empresa ameaça superar a Apple como joia mais valiosa de Wall Street

O valor de mercado da Amazon.com atingiu US$ 900 bilhões ontem (18) pela primeira vez, um marco importante em sua trajetória de 21 anos como uma companhia listada e ameaçando superar a Apple como joia mais valiosa de Wall Street.

VEJA TAMBÉM: Amazon vende 100 milhões de produtos em liquidação

Depois que Jeff Bezos fundou a empresa de venda de livros online em sua garagem em 1994, a Amazon sobreviveu à crise das empresas pontocom e expandiu-se em toda a indústria de varejo, alterando a forma como os consumidores compram produtos e desencadeando uma luta entre lojas físicas.

Após anunciar que vendeu mais de US$ 100 milhões em produtos durante a venda anual do Prime Day, o valor de mercado da Amazon atingiu US$ 902 bilhões.

As ações da Amazon subiram mais de 57% em 2018, com uma valorização de 123 mil por cento desde sua listagem na Nasdaq, em 1997. Um investidor que comprasse 1 ação da Amazon por US$ 18 no IPO teria agora um investimento de mais de 22,2 mil dólares.

A Amazon, o serviço de streaming de vídeo Netflix e um punhado de empresas de tecnologia de peso pesado alimentaram a recuperação de Wall Street nos últimos anos e continuam sendo peças-chave dos portfólios dos gestores de portfólio.

A Apple superou a Exxon Mobil no fim de 2011 como a empresa dos EUA com o maior valor de mercado de ações. As ações da empresa no Vale do Silício subiram 12% em 2018, elevando o valor do mercado de ações a US$ 935 bilhões.

LEIA: Amazon anuncia compra da PillPack

A Amazon divulga seus resultados em 26 de julho e a Apple apresenta os seus 31 de julho.

A Amazon superou a Microsoft como terceira maior empresa dos EUA em valor de mercado em fevereiro. Desde então, a Microsoft foi superada pela Alphabet, dona do Google.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).