Alibaba pretende unir negócios de entrega de comida

iStock
O Alibaba está buscando levantar entre US$ 3 bilhões e US$ 5 bilhões para a unidade de entrega de comida

O Alibaba Group planeja fundir suas unidades de entrega de comida e levantar recursos para o negócio combinado, intensificando uma disputa com a Meituan Dianping, para dominar o mercado chinês de serviços sob demanda, disseram quatro fontes à Reuters.

LEIA MAIS: Starbucks faz acordo com Alibaba para entregas na China

As unidades do Alibaba que devem ser fundidas incluem a plataforma de entrega de comidas Ele.me e a empresa de alimentos e serviços de estilo de vida Koubei. O Alibaba está buscando levantar entre US$ 3 bilhões e US$ 5 bilhões para a unidade combinada, disse uma das fontes. A unidade pode ser avaliada em até US$ 25 bilhões, disse outra fonte.

Uma força-tarefa do Alibaba baseada em Hong Kong está trabalhando na fusão e captação para a unidade combinada, segundo duas das fontes.

As unidades da Alibaba e a Meituan, apoiada pela gigante de mídia social e jogos Tencent Holdings, estão brigando pela supremacia no intenso mercado chinês online-to-offline (O2O), no qual aplicativos conectam usuários de smartphones com estabelecimentos físicos para fornecer entrega de refeições e outros produtos.

“Alibaba e Meituan são as duas principais empresas que podem oferecer serviços abrangentes de O2O”, disse Mo Jia, analista da consultoria de tecnologia Canalys. “As três unidades do Alibaba são complementares e a empresa tem uma lógica estratégica para fundi-las em uma plataforma para competir com a Meituan.”

VEJA TAMBÉM: Por que o Alibaba é mais lucrativo do que a Amazon

Uma das fontes disse que a captação deve acontecer mais para frente este ano. A fonte disse que a nova unidade também vai incluir a Hema Fresh, uma cadeia de supermercados que não aceita dinheiro e oferece entrega de alimentos e produtos frescos.

O Alibaba se recusou a comentar. Um porta-voz da Ele.me negou o plano de fusão e de captação. Todas as fontes pediram anonimato, uma vez que a informação é confidencial.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).