Dólar despenca e fecha a R$ 4,07

iStock
Moeda registrou, no entanto, a maior alta mensal desde setembro de 2015

O dólar terminou o dia (31) com forte queda, abaixo de R$ 4,10, depois que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu incluir na pauta da sessão de hoje o julgamento do registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e após alívio com a situação da Argentina.

LEIA MAIS: Apesar de BC, dólar sobe ante real

Apesar disso, a moeda norte-americana acumulou forte alta em agosto, a maior desde setembro de 2015, diante das incertezas eleitorais que ainda devem castigar os investidores no mês de setembro, até que a trilha para o futuro ocupante do Planalto esteja mais clara.

O dólar recuou 1,78%, a R$ 4,0724 na venda, fechando agosto com valorização de 8,46%. É o maior avanço para um mês desde o acréscimo de 9,33% em setembro de 2015. Na semana, a moeda cedeu 0,78%.

Hoje, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,0562 e a máxima de R$ 4,1781. O dólar futuro cedia 2,31%.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).