Elon Musk cogita fechar capital da Tesla

Getty Images
Não ficou claro se Musk estava falando sério, já que ele tem um histórico de tuítes erráticos

As ações da Tesla saltaram quase 11% hoje (7), depois que o presidente-executivo, Elon Musk, disse no Twitter que está cogitando fechar o capital da montadora de carros elétricos por US$ 420 a ação em um período de rápido crescimento e restrições financeiras.

LEIA MAIS: Ações da Tesla sobem com investidores confiantes

Tal acordo, se fosse adiante, tiraria a Tesla do foco de Wall Street, mas poderia limitar seu acesso a capital. Seria uma das maiores transações privadas com um valor de mercado em torno de US$ 72 bilhões, com base nos US$ 420 por ação citados por Musk.

“Estou pensando em fechar o capital da Tesla a US$ 420. Financiamento garantido”, disse Musk. Esse preço representaria um prêmio de 22,8% em relação ao valor de fechamento da ação da montadora ontem (6).

Não ficou claro se Musk estava falando sério, já que ele tem um histórico de tuítes erráticos, e a empresa não respondeu imediatamente ao pedido de entrevista.

A empresa tinha um valor de mercado de US$ 58 bilhões com base no fechamento de ontem. Musk tem cerca de 20% da empresa.

Quando outra pessoa tuitou que se tornar privada “evitaria muitas dores de cabeça” para a Tesla, Musk respondeu: “Sim”.

VEJA TAMBÉM: Tesla inicia contratações para 1ª fábrica fora dos EUA

Fechar o capital é um modo de evitar o intenso escrutínio do mercado. Musk teve desentendimentos com reguladores, críticos e repórteres, e dúvidas persistem sobre as dificuldades de fabricação e produção da Tesla, a demanda de longo prazo por seus carros e a incerteza sobre o financiamento.

“Minha esperança é que todos os investidores atuais permaneçam com a Tesla, mesmo se formos privados”, Musk tuitou. “Criaria um fundo para propósitos especiais que permitisse a qualquer um ficar com a Tesla. Já faço isso com o investimento da SpaceX na Fidelity.”

Analistas levaram a sério a fala do executivo. “Acredito que a Tesla considera os tuítes como divulgação pública. Acho que ele está falando sério. Além disso, isso é ‘combustível de foguete’ de curto prazo depois de um bom trimestre”, disse o analista Chaim Siegel, da Elazar Advisors.

Separadamente, o jornal britânico “Financial Times” reportou hoje que o fundo soberano da Arábia Saudita, supervisionado pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, adquiriu uma participação na Tesla não revelada entre 3% a 5% por cento.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).